Banner Portal
Saberes possíveis no processo de ensinar e aprender dança: revisitando bases epistemológicas
PDF

Palavras-chave

Dança. Epistemologia. Educação física.

Como Citar

KLEINUBING, Neusa Dendena; SARAIVA, Maria do Carmo; MELO, Damiana Fernandes de. Saberes possíveis no processo de ensinar e aprender dança: revisitando bases epistemológicas. Conexões, Campinas, SP, v. 9, n. 2, p. 110–129, 2011. DOI: 10.20396/conex.v9i2.8637703. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637703. Acesso em: 19 jun. 2024.

Resumo

Este ensaio tem por objetivo discutir a dança e os possíveis conhecimentos que podem ser apreendidos a partir da sua prática. Nesse sentido, empreendemos esforços a fim de problematizar e identificar os saberes, bem como bases dos pensamentos geradores desses, refletindo sobre as implicações de tais formas de pensar e fazer a dança em diferentes contextos nas quais esta se manifesta. Para isso discutimos a dança a partir de três momentos históricos que retratam diferentes realidades político-sociais e procuramos identificar modos de pensar a sociedade, o sujeito que dança e a própria dança. Entendemos que esse caminho amplia o olhar sobre essa prática, possibilitando construir conhecimentos que dão conta de compreender a diversidade e a complexidade humana. Almejamos com esse texto (re)discutir as contribuições da dança no processo de formação humana, com especial atenção para a dança na escola, no contexto da Educação Física.
https://doi.org/10.20396/conex.v9i2.8637703
PDF

Referências

SARAIVA-KUNZ, M. C. Dança e gênero na escola: formas de ser e viver mediadas pela educação estética. 2003. Tese (Doutorado) – Faculdade de Motricidade Humana, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2003.

ABRÃO, E. et al. Imagens e percepção da dança: da estética formal à expressão estética. In: SILVA, A. M.; DAMIANI, I. Práticas corporais: construindo outros saberes em educação física. Florianópolis: Nauemblu Ciência & Arte, 2006. p. 84-99.

KLEINUBING, N. D. A dança como espaço-tempo de intersubjetividades: possibilidade da educação física no ensino médio. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

MONTEIRO, M. Balé, tradição e ruptura. In: PEREIRA, R.; SOSTER, S. (Org.). Lições de dança, Rio de Janeiro, n. 1, p. 169-189, 1999.

PORTINARI, M. História da dança. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 4. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. 6. ed. Porto: Afrontamento, 1993.

FORTIN, S. Transformação de práticas de dança.. Lições de dança, Rio de Janeiro, n. 4, p. 161-173, 2004.

STRAZZACAPPA, M. Reflexões sobre a formação profissional do artista da dança. Lições de dança, Rio de Janeiro, n. 4, p. 175-194, 2004.

HOUAISS, A. Dicionário da língua portuguesa. 2 ed. rev. aum. Rio de Janeiro: Objetiva, 2004.

ALVES, L. G.; SARAIVA, M. C. Autoridade na dança: reflexões iniciais a partir de um referencial histórico-crítico. In: SEMINÁRIO DE EPISTEMOLOGIA E TEORIAS DA EDUCAÇÃO, 3., 2008, Campinas. COLÓQUIO DE EPISTEMOLOGIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA, 4., 2088, Campinas. Anais ... Campinas, 2008.

CANTON, K. A pulsação do nosso tempo. Disponível em: http://www.superzap.com.br/arte-

cultura/a-pulsacao-do-nosso-tempo.html. Acesso em: 15 abr. 2007.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

SARAIVA, M. C. O sentido da dança: arte, símbolo, experiência vivida e representação, Movimento, Rio Grande do Sul, v. 11, n. 3, p. 219-241, set./dez. 2005.

LEPECKI, A. O corpo colonizado. Gesto: revista do Centro Coreográfico do Rio, Rio de Janeiro, n. 2, p. 6-11, jun. 2003.

FRITSCH, U. Tanz, bewegungskultur, gesellschaft. Verluste und chancen symbolisch-expressiven bewegens. Frankfurt: Afra Verlag, 1988.

HERCOLES, R. Dança como produção de conhecimento. Disponível em: http://idanca.net/lang/pt-br/2008/02/21/epistemologia-em-movimento/5229/. Acesso em 12 dez. 2009.

BRASILEIRO, L. T.; MARCASSA, L. P. Linguagens do corpo: dimensões expressivas e possibilidades educativas da ginástica e da dança. Pro-Posições, Campinas, v. 19, n. 3, p. 195- 207, set./dez. 2008.

KUNZ, E. Pedagogia do esporte, do movimento humano ou da educação física? In: KUNZ, E.; TREBELS, A. H. (Org.). Educação Física crítico-emancipatória: com uma perspectiva da pedagogia alemã do esporte. Ijuí: Ed. da Unijuí, 2006.

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.