Jovens praticantes de atletismo: contribuição da maturação e variáveis antropométricas no desenvolvimento da força explosiva e velocidade em púberes e pós-púberes durante cinco meses de treinamento

Autores

  • Thiago Mariano Universidade Estadual de Campinas
  • Miguel Arruda Universidade Estadual de Campinas
  • Eduardo Henrique Frazilli Pascoal Universidade Estadual de Campinas
  • Evandro Lazari Universidade Estadual de Campinas
  • Yuri Muniz Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v9i1.8637715

Palavras-chave:

Força explosiva. Maturação. Atletismo

Resumo

O objetivo do estudo é estimar a contribuição dos estatutos maturacionais, na variação do percentual de gordura, peso e estatura, como também na variação dos desempenhos de força explosiva, força explosiva elástica e força explosiva elástica reflexa e velocidade em jovens atletas de atletismo de ambos os sexos, no período de cinco meses de treinamento. Os atletas foram divididos segundo o sexo e estagio maturacional. Cada jogador foi submetido a uma bateria de testes motores, bem como a avaliação da composição corporal e auto-avaliação de maturação pelo teste de Tanner. Concluiu-se que ocorrem alterações distintas dependendo da variável estudada, gênero e estagio de maturação do atleta. As variáveis antropométricas variaram de acordo com o que ocorre no processo de maturação normal de indivíduos na fase púbere e pós-púberes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Mariano, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Campinas.

Miguel Arruda, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Campinas.

Eduardo Henrique Frazilli Pascoal, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Campinas.

Evandro Lazari, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Campinas.

Yuri Muniz, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Campinas.

Referências

MALINA, R. M. et al. Maturity-associated variation in sport-specific skills of youth soccer players aged 13-15 years. Journal Sports Science, v.23, p. 515-22, 2005.

SCATES, A. L.; LINN, M. Complete conditioning for volleyball. Champaign: Human Kinetics, 2003.

MALATESTA, D. et al. Effecs of electromyostimulation training and volleyball practice on jumping ability. Journal of Strength and Conditioning Research, v. 17, n. 3, p. 573-579, 2003.

NUNES, C. G. Associação entre força explosiva e a velocidade de deslocamento em futebolistas profissionais. 2004. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

BOSCO, C. et al. Effetto della vibrazione su forza esplosiva, resisteza Allá forza veloce e flessibilità muscolare. Medicina Dello Sport, v.54, p. 287-293, 2001.

YOUNG, W.; MCLEAN, B.; ARDAGNA, J. Relationship between strength qualities and sprinting performance. Journal of Sports Medicine and Physical Fitness, v.35, p.13-19, 1995.

CICCARONE, G. et al. Evaluation of jumping capacities in high-level volleyball players. In: CONGRESS OF THE EUROPEAN COLLEGE OF SPORT SCIENCE, 6, 2001, Cologne. Abstract... Cologne: German Society of Sport Science, 2001.

KRAEMER, W. J.; HÄKKINEN, K. Treinamento de força para o esporte. Porto Alegre: Artmed, 2004.

HÄKKINEN, K.; KESKINEN, K.L. Muscle cross sectional area and voluntary force production characteristics in elite strength and endurance trained athletes and sprinters. European Journal of Applied Physiology, v. 59, p. 215-220, 1989.

BLIMKIE, C. J. Resistance during training pre-and early puberty: efficacy, trainability, mechanism, and persistence. Canadian Journal Sport Science, v.17, n.4, p.264-279, 1992.

OZMUN, J. C, MIKESKY, A. E.; SURBURG, P. R. Neuromuscular adaptations following prepubescent strength training. Medicine and Science in Sports and Exercise, v.26, p.510-514, 1994.

FAIGENBAUM, A. D.; WESCOTT, W. L.; MICHELI. L. J.; The effects of strength training and detraining on children. Journal of Strength and Conditioning Research, v.10, p.109-114, 1996.

BLIMKIE, C. J. R.; SALE, D. G. Strength development and trainability during childhood. In: VAN PRAAGH, E. Pediatric anaerobic performance. Champaign: Human Kinetics, 1998. chapter 9. p.193-224.

FAIGENBAUM, A. D. et al. The effects of different resistance training protocols on muscular strength and endurance development in children. Pediatrics, v. 104, n. 5, p.1-7, 1999.

MANNO, R.; GIMINIANI, R. D. Controllo e allenamento della forza muscolare Nei bambini e nei giovani. AtleticaStudi, v.3/4, p.27-40, 2003.

MARTIN, R. J. F. et al. M. Longitudinal changes of maximal short-term peak Power in girls and boys during growth. Medicine and Science in Sports and Exercise, v. 36, n.3, p. 498-503, 2004.

FAIGENBAUM, A. D.; MILIKEN, L. A.; WESTCOTT, W. L. Maximal strength testing in healthy children. J Strength Cond Res, v. 17, p.162-166, 2003.

BERALDO, S. Il miglioramento della forza nell’ adolescenza. AtleticaStudi, v. 314, p. 65-74, 2003.

ARRUDA, M.; HESPANHOL, J. E.; SILVA NETO, L. G. Força explosiva em jovens atletas do sexo masculino. Revista Perfil, v. 7, n. 8, p. 73-4, 2005.

MALINA, R. M.; BAR-OR, O. Growth, maturation, and physical activity: Champaign:Human Kinetics, 2004.

GABETTT, T. et al. Changes in skill and physical fitness following training in talent-identified volleyball player. Journal of Strength Conditioning Research, v. 20, n. 13, p. 29-35, 2006.

MERO, A.; JAKKOLA, L.; KOMI, P. V. Serum hormones and physiological performance capacity in young boys athletes during a 1 years training period, European Journal of Applied Physiology, v. 60, n. 2, p. 32-37, 1990.

RAMSAY, J. A. et al. Strength effects in prepubescent boys. Medicine and Science in Sports and Exercise, v. 14, n. 1, p. 134-143, 1990.

BOILEAU, R; LOHMAN, T.; SLAUGTHER, M. Exercice and body composition of children and youth. Scandinavian Journal Sports Science, n. 7, p. 17-27, 1985.

BOSCO, C. La valoracion de la fuerza com el Teste de Bosco. Barcelona: Paidotribo, 1994.

TANNER, J. M. Growth at adolescence, with a general consideration of the effects of hereditary and environmental factors upon growth and maturation from birth to maturity. 2. ed. Oxford: Blackwell, 1962

MALINA, R. M.; BOUCHARD, C. Atividade física do atleta jovem: do crescimento à maturação. São Paulo: Rocca, 2002.

MACHADO, D. R. L. Maturação esquelética e desempenho motor em crianças e adolescentes. 2004. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

GARCIA, L. L.; RAMADA, B. A. Maturacion sexual e biológica. Anales Españoles de Pediatria, Barcelona, v. 38, n. 3, p. 245-249, 1993.

BARBANTI, V. J. Desenvolvimento das capacidades físicas básicas na puberdade. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, v. 3, n. 5, p. 31-37, 1989.

BALE, P. et al. Biological and performance variables in relation to age in male and female adolescent athletes. Journal of Sports Medicine and Physical Fitness, Turin, v. 32, n. 2, p. 142-148, 1992.

FERREIRA, M. et al. Comparação da aptidão física de escolares de Itaquera e São Caetano do Sul. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, São Caetano do Sul, v. 4, n. 2, p. 19-27, 1990.

Downloads

Publicado

2011-05-26

Como Citar

MARIANO, T.; ARRUDA, M.; PASCOAL, E. H. F.; LAZARI, E.; MUNIZ, Y. Jovens praticantes de atletismo: contribuição da maturação e variáveis antropométricas no desenvolvimento da força explosiva e velocidade em púberes e pós-púberes durante cinco meses de treinamento. Conexões, Campinas, SP, v. 9, n. 1, p. 92-108, 2011. DOI: 10.20396/conex.v9i1.8637715. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637715. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)