Banner Portal
Três décadas de movimento renovador da educação física: alcançamos a maioridade epistemológica?
PDF

Palavras-chave

Produção do conhecimento. Educação Física. Formação do professor.

Como Citar

SOARES, Marta Genú. Três décadas de movimento renovador da educação física: alcançamos a maioridade epistemológica?. Conexões, Campinas, SP, v. 8, n. 3, p. 24–34, 2010. DOI: 10.20396/conex.v8i3.8637725. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637725. Acesso em: 24 maio. 2024.

Resumo

Analisa o conceito de epistemologia e a dimensão da maioridade. Faz breve apreciação da evolução da racionalidade científica em seus avanços e recortes temporais representados em grandes pensadores para articular o pensamento da Educação Física à intervenção sócio-educativa e finaliza com tópicos do cenário atual no campo da produção do conhecimento.
https://doi.org/10.20396/conex.v8i3.8637725
PDF

Referências

CORTELLA, M. S. Não espere pelo epitáfio...: provocações filosóficas. Petrópolis: Vozes, 2005.

DUROZOI, G. ROUSSEL, A. Dicionário de filosofia. Campinas: Papirus, 1996.

BRACHT, V. Identidade e crise da Educação Física: um enfoque epistemológico. In: BRACHT, V.; CRISORIO, R. (Org.). A Educação Física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: Prosul, 2003.

MARINHO, V. O que é Educação Física. Rio de Janeiro: Brasiliense, 1980.

MEDINA. J. P. S. A Educação cuida do corpo e "mente". Campinas: Papirus, 1983.

MELANI, R. Motricidade e humanização. In: KOLYNIAK FILHO, C.; MELANI, R. Motricidade: um novo olhar sobre o movimento humano. São Paulo: EDUC, 2006

CARMO, A. A. do. Competência técnica e consciência política: em busca de um movimento simétrico. Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, 1983.

CASTELLANI FILHO, L. Educação Física no Brasil: a história que não se conta. Campinas: Papirus, 1988

BONDER, N. A alma imoral: traição e tradição através dos tempos. Rio de Janeiro: Rocco, 1998

PAIVA, F. Constituição do campo da Educação Física no Brasil. Ponderações acerca de sua especificidade e autonomia. In: BRACHT, V.; Crisorio, R. (Org.). A Educação Física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: Prosul, 2003.

TRIGO, L. G. G. A pós-modernidade como categoria filosófica. 1991. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, 1991.

GHIRALDELLI JR., P. Educação Física progressista: a pedagogia crítico-social dos conteúdos e a Educação Física. São Paulo: Loyola, 1987

NÓVOA, A. O professor pesquisador e reflexivo. Entrevista concedida ao Programa Salto em: 13 set. 2001. Disponível em: http://www.tvebrasil.com.br/salto/entrevistas/antonio_novoa.htm. Acesso em: 23 maio 2010

TAFFAREL, C. N. Z.; SANTOS JR., C. Formação humana e formação de professores de educação física: para além da falsa dicotomia licenciatura x bacharelado. In: TERRA, D. S. Formação em Educação Física & ciências do esporte: políticas e cotidiano. São Paulo: Aderaldo & Rothschild: Goiânia: CBCE, 2010.

CHAVES, M.; SANCHEZ GAMBOA, S. Relatório. In: COLÓQUIO DE EPISTEMOLOGIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA, 3. e EPISTED, 2. “Problemas Filosóficos e Epistemológicos da Educação e a Educação Física”. Anais... São Paulo: Unicamp/CBCE, 2006

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.