Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política

Autores

  • Aline Fabiane Barbieri Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v8i3.8637736

Palavras-chave:

Teorias da Educação. Sociedade. Curvatura da vara.

Resumo

Saviani inicia o seguinte texto apresentando sua problemática por meio de um questionamento motivador: Como as teorias da educação se posicionam mediante a situação de precariedade e marginalidade na educação? Assim, o autor destaca que essas teorias se posicionam em dois grupos principais, de acordo com o entendimento que elas têm da relação entre educação e sociedade. Um primeiro grupo de teorias, chamado por Saviani de teorias não-críticas, seria aquelas que entendem a educação como instrumento de equalização social e de superação da marginalidade, caracterizando assim o problema da marginalidade como resultado da ignorância, um fenômeno acidental que deve ser corrigido. Nesse grupo de teorias encontram-se a Escola Tradicional, a Escola Nova e a Tecnicista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Fabiane Barbieri, Universidade Estadual de Maringá

Acadêmica do 3º ano de Licenciatura do curso de Educação Física da Universidade Estadual de Maringá.

Downloads

Publicado

2010-12-30

Como Citar

BARBIERI, A. F. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. Conexões, Campinas, SP, v. 8, n. 3, p. 173–178, 2010. DOI: 10.20396/conex.v8i3.8637736. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637736. Acesso em: 25 out. 2021.

Edição

Seção

Resenha