Jovens futebolistas: contribuição da maturação e variáveis antropométricas no desenvolvimento da força explosiva e velocidade em púberes e pós-púberes durante três meses de treinamento

Autores

  • Thiago Mariano Universidade Estadual de Campinas
  • Miguel de Arruda Universidade Estadual de Campinas
  • Eduardo Henrique Frazilli Pascoal Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v8i2.8637744

Palavras-chave:

Futebol. Força explosiva. Maturação.

Resumo

Introdução: A força explosiva é uma variável importante no desempenho dos futebolistas. Logo, as manifestações são intervenientes no desempenho físico entre elas a agilidade, velocidade de deslocamentos e no salto vertical. Objetivo: estimar a contribuição da maturação biológica na variação da estatura, peso, percentual de gordura e das manifestações da produção de força explosiva (FE), força explosiva elástica (FEE) e força explosiva elástica reflexa (FEER) e velocidade em jovens do sexo masculino na faixa etária de 14 a 18 anos durante o período de três meses. Métodos: Participaram 21 atletas divididos em dois estágios de maturação (púberes e pós-púberes). Foram medidas o percentual de gordura, o peso e a estatura. O teste utilizado para mensurar a FE foi o Squat Jump (SJ), a FEE o Countermovement Jump (CMJ) e a FEER saltos verticais contínuos durante 5 segundos (CJ5s). Resultados: Dos dados obtidos as variáveis apresentaram comportamentos iguais quando comparamos o estágio maturacional dos atletas. Porém houve variações significantes no peso em ambos os estágios maturacionais e variância significativa do teste CJ5s e de velocidade em 20 metros nos atletas púberes. Conclusões: Concluiu-se que ocorreram alterações distintas em relação a variável estudada e estagio de maturação do atleta. As variáveis antropométricas variaram em conformidade com o que ocorre no processo de maturação dos indivíduos e os testes motores apresentaram resultados distintos no que se diz respeito a significância estatística sendo que o processo de incremento de força em púberes é maior do que em pós-púberes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Mariano, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação Física - UNICAMP.

Miguel de Arruda, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação Física - UNICAMP

Eduardo Henrique Frazilli Pascoal, Universidade Estadual de Campinas

Faculdade de Educação Física - UNICAMP

Referências

ARRUDA, M.; HESPANHOL, J. E.; SILVA NETO, L. G. Força explosiva em jovens atletas do sexo masculino. Rev Perfil, v.7, n. 8, p. 73-74, 2005.

BARBANTI, V. J. Desenvolvimento das capacidades físicas básicas na puberdade. Rev Paul Ed Fis, São Paulo, v. 3, n. 5, p. 31-37, 1989.

BENCKE, J. et al. Anaerobic power and muscle strength characteristics of 11 years old elite and non-elite boys and girls from gymnastics, team handball, tennis and swimming. Scand J Med Sci Sports 2001; v. 12 p. 171- 178.

BERGAMO, V. R. O perfil técnico de atletas de basquetebol feminino: Contribuições para a identificação do talento esportivo múltiplo. 2003. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

BLIMKIE, C. J. R.; SALE, D. G. Strength development and trainability during childhood. In: VAN PRAAGH, E. Pediatric anaerobic performance. Champaign: Human Kinetics, 1998. Cap. 9. p. 193-224.

BOILEAU, R; LOHMAN, T.; SLAUGTHER, M. Exercice and body composition of children and youth. Scand J Sports Sci, v. 7, p. 17-27, 1985.

BOSCO, C. et al.. Effetto della vibrazione su forza esplosiva, resisteza Allá forza veloce e flessibilità muscolare. Med Dello Sport, v. 54, p. 287-293, 2001.

FAIGENBAUM, A. D.; MILIKEN, L. A.; WESTCOTT, W. L. Maximal strength testing in healthy

children. J Strength Cond Res, v. 17, p.162-166, 2003.

GARCIA, L. L.; RAMADA, B. A. Maturacion sexual e biológica. An Esp Ped, Barcelona, v.3 8, n.3, p. 245-249, 1993.

KOTZAMANIDIS, C. et al. The effect of a combined high-intensity strength and speed training programo n the running and jumping ability of soccer players. J Strength Cond Res, v. 19, p. 869-375, 2005.

KRAEMER, W. J.; HÄKKINEN, K. Treinamento de força para o esporte. Porto Alegre: Artmed, 2004.

MACHADO, D. R. L. Maturação esquelética e desempenho motor em crianças e adolescentes. 2004. Dissertação (Mestrado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

MALINA, R.; BOUCHARD, C. Atividade física do atleta jovem: do crescimento à maturação. São Paulo: Rocca, 2002.

MALINA, R.; BAR-OR, O. Growth, maturation, and physical activity. Champaign, Human Kinetics, 2004.

MALINA, R. M. et al. Maturity-associated variation in sport-specific skills of youth soccer players aged 13-15 years. J Sports Sci, v. 23, p. 515-22, 2005.

MARTIN, J. C.; MALINA, R. M. Developmente variations in anaerobic performance associated with age and sex. In: PRAAGH, E. V. Pediatric anaerobic performance. Champaign: Human Kinetics, 1998. p. 45-64.

MERO, A.; JAKKOLA, L.; KOMI, P. V. Serum hormones and physiolical performance capacity in young boys athletes during a 1 years training period. Eur J App Physiol, v. 60, n. 2, p. 32-37, 1990.

NUNES, C. G. Associação entre força explosiva e a velocidade de deslocamento em futebolistas profissionais. 2004. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

PRATT, M. Strength, flexibility and maturity in adolescent athletes. Am J Dis Child, v. 143, p. 560-563, 1989.

QUATMAN, C. E. et al. Maturacion leads to gender differences in landing force and vertical jump performance: A longitudinal study. Am J Sports Med, v. 34, n. 5, p. 1-8, 2006.

SCHNEIDER, P.; RODRIGUES, L.; MEYER, F. Dinamometria computadorizada como metodologia de avaliação de força muscular de meninos e meninas em diferentes estágios de maturidade. Rev Paul Ed Fís, v. 16, p. 35-42, 2002. .

SOUSA, P.; GARGANTA, J.; GARGANTA, R. Estatuto posicional, força explosiva dos membros inferores e velocidade imprimida à bola no remate em futebol: um estudo com jovens praticantes do escalão sub-17. Rev Port Cien Desp, v. 3, n. 3, p. 27-35, 2003.

STOLEN, T. et al. Physiology of soccer. Sports Med, v. 35, p. 501-36, 2005.

WEINECK, J. Treinamento ideal. Manole, São Paulo; 1999.

YOUNG, W.; JAMES, R.; MONTGOMERY, I. Is muscle power related to running speed with changes of direction? J Sports Med Phys Fitness, v. 42, n. 3, p. 282-288, 2002.

YOUNG, W.; MCLEAN, B.; ARDAGNA, J. Relationship between strength qualities and sprinting performance. J Sports Med Phys Fitness, v. 35, p. 13-19, 1995.

Downloads

Publicado

2010-07-23

Como Citar

MARIANO, T.; ARRUDA, M. de; PASCOAL, E. H. F. Jovens futebolistas: contribuição da maturação e variáveis antropométricas no desenvolvimento da força explosiva e velocidade em púberes e pós-púberes durante três meses de treinamento. Conexões, Campinas, SP, v. 8, n. 2, p. 103-116, 2010. DOI: 10.20396/conex.v8i2.8637744. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637744. Acesso em: 27 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)