Banner Portal
Publicações sobre lutas e artes marciais em congressos de iniciação científica
PDF

Palavras-chave

Educação Física. Esporte. Pesquisa.

Como Citar

CAZETTO, Fabiano Filier; LOLLO, Pablo Christiano. Publicações sobre lutas e artes marciais em congressos de iniciação científica. Conexões, Campinas, SP, v. 8, n. 2, p. 187–199, 2010. DOI: 10.20396/conex.v8i2.8637750. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637750. Acesso em: 19 maio. 2024.

Resumo

A Educação Física no Brasil passou por momentos históricos de restrição ou predominância em uma ou poucas manifestações da cultura. A partir de 80 isso começou a ser questionado e atualmente existe um início de diversificação de conteúdos que coloca as lutas e as artes marciais inseridas no contexto da área. O Objetivo desse artigo é demonstrar como a produção científica na Educação Física vem evoluindo nos últimos 12 anos, especialmente no que se refere a trabalhos sobre lutas e artes marciais. Para isso foram analisados os anais dos congressos de iniciação científica desse período. Foi possível detectar um aumento nas publicações da área como um todo e nos trabalhos específicos nas áreas de humanas e biológicas, os trabalhos de lutas e artes marciais também vem crescendo em ambas as áreas apesar de haver uma expressiva predominância nos trabalhos de biológicas. Assim como o discurso teórico a legislação e as publicações vêm caminhando no sentido da diversidade, neste caso particular incluindo as lutas e as artes marciais. Tal movimento dá subsidio ao trabalho com esses fenômenos dentro e fora da escola, o que é benéfico tanto para a área como um todo quanto para as manifestações específicas.
https://doi.org/10.20396/conex.v8i2.8637750
PDF

Referências

BARROS, N. B. Como fazer experimentos. Campinas, Ed. da Unicamp, 2003.

BETTI, M. A janela de vidro: esporte, televisão e educação física. 1997. 291f. (Tese) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros

Curriculares Nacionais do ensino médio: linguagens, códigos e suas tecnologias. Brasília: MEC: SEMTEC, 1998.

CAZETTO, F. F. A influência do esporte espetáculo sobre o modelo de competição dos mais jovens no Judô. 2009. 210 f. (Dissertação) – Faculdade de educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

DA COSTA, L. (Org.). Atlas do esporte no Brasil. Rio de Janeiro: CONFEF, 2006

DAOLIO, J. Educação Física e o conceito de cultura. Campinas: Autores Associado, 2004.

DAOLIO, J. Educação Física e pluralidade. Rev Paul Educ Fis, São Paulo, supl. 2, p. 40-42, jan. 1996.

DARIDO, S. C. Educação Física na escola: questões e reflexões. Rio de Janeiro: Guanabara, 2003.

NOETHER, G. Introdução a estatística: uma abordagem não paramétrica. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1983.

OLIVEIRA, V. M. O que é Educação Física. São Paulo: Brasiliense, 1983.

PAES, R. R. Aprendizagem e competição precoce: o caso do basquetebol. Campinas: Ed. da Unicamp, 1992.

PAES, R. R. Educação Física escolar: o esporte como conteúdo pedagógico do ensino fundamental. Canoas: Ulbra, 2001.

PAES, R. R. Aprendizagem e competição precoce: “o caso do basquetebol”. 1989. Dissertação (Mestrado) - Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 1989.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1989.

SANCHES NETO, L.; BETTI, M. Convergência e integração: uma proposta para a educação física de 5a a 8a série do ensino fundamental. Rev Bras Educ Fis Esporte, São Paulo, v. 22, n.1, p 5-23, jan.-mar. 2008.

SOARES, C. L. Educação Física: Conhecimento e Especificidade. Rev Paul Educ Fis, São Paulo, supl. 2, p. 6-12, 1996.

SOARES, C. L. et al. Metodologia do ensino de Educação Física. São Paulo: Cortez, 1992.

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.