Banner Portal
Treinar futebol respeitando a essência do jogo: o exemplo do salto como ação tática e não somente técnico
PDF

Palavras-chave

Futebol. Modelo de jogo. Salto de impulsão vertical. Periodização. Tática.

Como Citar

SILVA, Pedro Miguel; SANTOS, Pedro Manuel de Oliveira; MARQUES JUNIOR, Nelson Kautzner. Treinar futebol respeitando a essência do jogo: o exemplo do salto como ação tática e não somente técnico. Conexões, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 38–63, 2009. DOI: 10.20396/conex.v7i2.8637776. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8637776. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

O objetivo da revisão foi de exemplificar a metodologia de treino do salto de impulsão vertical no futebol assente em premissas táticas. O treino das capacidades físicas, desprovido da sua relação com o verdadeiro significado do Futebol, tem sido bastante utilizado nos últimos anos. Este tipo de trabalho esquece, frequentemente, a relação que deveria existir com o modelo de jogo do treinador, não maximizando a sua utilidade para a forma de jogar que se pretende cultivar na equipa. No caso do salto, este só existe no Futebol enquanto habilidade aberta, pertencente a um sistema termodinâmico de não- equilíbrio, dentro do qual o jogador deverá tomar deliberada e oportunamente a decisão de saltar. Neste sentido consideramos oportuno estabelecer uma relação entre o treino do salto e o modelo de jogo.
https://doi.org/10.20396/conex.v7i2.8637776
PDF

Referências

AZOUZ, A. Dynamic spatiotemporal synaptic integration in cortical neurons: neuronal gain, revisited. J Neurophysiol, v. 94, n. 4, p. 2785-2796, 2005. Disponível em: www.jn.org. Acesso em: 04 jun. 2008.

BARBANTI, V. Treinamento físico: bases científicas. 3. ed. São Paulo: CLR Balieiro, 2001.

BANGSBO, J.; MOHR, M.; KRUSTRUP, P. Physical and metabolic demands of training and match-play in the elite football player. J Sports Sci, v. 24, n. 7, p. 665-674, 2006.

BATISTA, P. Organização defensiva: congruência entre os princípios, sub-princípios e sub-sub- princípios de jogo definidos pelo treinador e sua operacionalização. Um estudo de caso no Sporting Clube do Espinho. Porto: Universidade do Porto, 2006.

BLOOMFIELD, J.; POLMAN, R.; O`DONOHUE, P. Physical demands of different position in FA Premier League soccer. J Sports Sci Med, v. 6, n. 1, p. 63-70, 2007. Disponível em: www.jssm.org. Acesso em: 10 fev. 2008.

BRAZ, T.; BORIN, J. Análise quantitativa dos jogos de uma equipe profissional da elite do futebol mineiro. Rev Educ Fís/UEM, v. 20, n. 1, p. 33-42, 2009. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis. Acesso em: 19 maio 2009.

BRAZ, J. Organização do jogo e do treino em futsal. 2006. Mestrado (Dissertação) – Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, Universidade do Porto, Porto, 2006.

CAMPOS, C. A singularidade da intervenção do treinador como sua “impressão digital” na... justificação da periodização tática como uma “fenomenotécnica”. Porto: Universidade do Porto, 2007.

CARVALHAL, C. No treino de futebol de rendimento superior: a recuperação é... muitíssimo mais que recuperar. Braga: Liminho, 2001.

CARVALHAL, C. Periodização tática: a coerência entre o exercício de treino e o modelo de jogo adotado. Lisboa: FMH, 2003.

CASTELO, J. Futebol: modelo técnico-tático do jogo. Cruz Quebrada: Faculdade de Motricidade Humana, 1994.

COMETTI, G. La preparación física en el fútbol. Barcelona: Paidotribo, 2002.

COSTA, L.; NASCIMENTO, J. O ensino da técnica e da tática. Rev Educ Fís/UEM, v. 15, n. 2, p. 49-56, 2007. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis. Acesso em: 20 jan. 2008.

COUTINHO, N.; SANTOS SILVA, Conhecimento e aplicação de métodos de ensino para os jogos esportivos coletivos na formação profissional em Educação Física. Mov, v. 15, n. 1, p. 117-144, 2009. Disponível em: www.seer.ufrgs.br/index.php/index. Acesso em: 27 maio 2009.

DAMÁSIO, A. O erro de Descartes: emoção, razão e cérebro humano. 22. ed. Europa-América, 2001.

DAOLIO, J. Jogos esportivos coletivos: dos princípios operacionais aos gestos técnicos: modelo pendular a partir das idéias de Claude Bayer. Rev Bras Cien Mov, v. 10, n. 4, p. 99-104, 2002. Disponível em: http://portalrevistas.ucb.br/. Acesso em: 10 maio 2009.

DURWARD, B.; BAER, G.; ROWE, P. Movimento funcional humano. São Paulo: Manole, 2001.

ESPOSITO, F. et al. Validity of heart rate as an indicator of aerobic demand during soccer activities in amateur soccer player. Eur J Appl Physiol, v. 93, n. 1-2, p. 167-172, 2004.

FARIA, R.; FRADE, V. Periodização tática: um imperativo conceito metodológico do rendimento superior em futebol. 1999. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) – Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, Universidade do Porto, Porto, 1999.

FERRARI, E. et al. Plasticidade neural: relação com o comportamento e abordagem experimentais. Psicol: teor pesqu, v. 17, n. 2, p. 187-94, 2001. Disponível em: www.scielo.br. Acesso em: 4 jun. 2008.

FILGUEIRA, F.; GRECO, P. Futebol: um estudo sobre a capacidade tática no processo de ensino- aprendizagem-treinamento. Rev Bras Futebol, v. 1, n. 2, p. 53-65, 2008. Disponível em: www.rbfutebol.com.br. Acesso em: 3 maio 2009.

FRADE, V. Alta competição no futebol: que exigências de tipo metodológico? Porto: ISEF:Universidade do Porto, 1985. (Curso de Atualização).

FREIRE SILVA, T.; DE ROSE JUNIOR, D. Iniciação nas modalidades esportivas coletivas. Rev Educ Fis Esp, v. 4, n. 4, p. 71-93, 2005. Disponível em: www.mackenzie.br/remef.html. Acesso em: 29 maio 2009.

GAITEIRO, B. A ciência oculta do sucesso: Mourinho aos olhos da ciência. Porto: Universidade do Porto, 2006.

GARGANTA, J. Modelação tática do jogo de futebol: estudo da organização da fase ofensiva em equipas de alto rendimento. 1997. Tese (Doutorado) - Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, Universidade do Porto, Porto, 1997.

GARGANTA, J. La prestacion energetico funzionale del calciatore. Teknosport, v. 11, p.18-27, 1999.

GARGANTA, J. O treino da tática e da técnica nos jogos desportivos à luz do compromisso cognição- ação. In: BARBANTI, V.; AMADIO, A.; BENTO, J.; MARQUES, A. (Org.). Esporte e atividade física: interação entre rendimento e saúde. São Paulo: Manole, 2002. p. 281-306.

GARGANTA, J. Futebol e ciência: ciência e futebol. Lecturas: EF y Deportes, Revista Digital. 2001. Disponível em: www.efdeportes.com/. Acesso em: 15 de fev. 2004.

GARGANTA, J. (Re)Fundar os conceitos de estratégia e tática nos jogos desportivos coletivos, para promover uma eficácia superior. Rev Bras Educ Fís Esp, v. 20, n. S5, p. 201-203, 2006. Disponível em: www.usp.br/eef/. Acesso em: 27 de fev. 2007.

GARGANTA, J. O ensino dos jogos desportivos coletivos. Perspectivas e tendências. Mov, v. 4, n. 8, p. 19-26, 1998. Disponível em: www.seer.ufrgs.br/index.php/index. Acesso em: 28 de maio 2009.

GARGANTA, J.; GRÉHAIGNE, J. Abordagem sistêmica do jogo de futebol: moda ou necessidade? Mov, v. 5, n. 10, p. 40-50, 1999. Disponível em: www.seer.ufrgs.br/index.php/index. Acesso em: 4 de jun. 2009.

GARGANTA, J.; MAIA, J.; MARQUES, A. Acerca da investigação dos fatores de rendimento em futebol. Rev Paul Educ Fís, v. 10, n. 2, p. 146-158, 1996.

GARGANTA, J.; CUNHA E SILVA, P. O jogo de futebol: entre o caos e a regra. Rev Horiz, v. 16, n. 91, p. 5-8, 2000.

GASPAR, P.; FERREIRA, J.; PÉREZ, L. Tomada de decisão no desporto: o seu ensino em jovens atletas. Rev Mackenzie Educ Fís Esp, v. 4, n. 4, p. 95-111, 2005. Disponível em: www.mackenzie.br/remef.html. Acesso em: 28 de maio 2009.

GAYA, A.; TORRES, L.; BALBINOTTI, C. Iniciação esportiva e a educação física escolar. In: SILVA, F. (Org.). Treinamento desportivo: aplicações e implicações. João Pessoa: UFPB, 2002. p. 15-25.

GAUFFIN, H.; EKSTRAND, J.; TROPP, H. Improvement of vertical jump performance in soccer players after specific training. J Hum Mov Studies, v. 15, p. 185-190, 1988.

GRÉHAIGNE, J-F.; GODBOUT, P.; BOUTHIER, D. The teaching and learning of decision making in team sports. Quest, v. 53, n. 1, p. 59-76, 2001.

GOMES, M. Do pé como técnica ao pensamento técnico dos pés dentro da caixa preta da periodização tática: um estudo de caso. Porto: FCDEF, 2006.

GRAÇA, A. Os comos e os quandos no ensino dos jogos. In: GRAÇA, A.; OLIVEIRA, J. (Ed.). O ensino dos jogos desportivos. Porto: FCDEF: UP, 1994. p. 27-34.

GRAÇA, A.; MESQUITA, I. A investigação sobre os modelos de ensino dos jogos desportivos. Rev Port Ciên Desp, v. 7, n. 3, p. 401-421, 2007. Disponível em: www.fade.up.pt/rpcd. Acesso em: 29 maio 2009.

GRECO, P. Conhecimento tático-técnico: eixo pendular da ação tática (criativa) nos jogos esportivos coletivos. Rev Bras Educ Fis Esp, v. 20, n. S5, p. 210-212, 2006. Disponível em: www.usp.br/eef/. Acesso em: 28 maio 2009.

HUGHES, M.; FRANKS, I. Analysis of passing sequences, shots and goals in soccer. J Sports Sci, v. 23, n. 5, p. 509-514, 2005.

JENSEN, J.; MARSTRAND, P.; NIELSEN, J. Motor skill training and strength training are associated with different plastic changes in the central nervous system. J Appl Physiol, v. 99, n. 4, p. 1558-1568, 2005. Disponível em: www.jap.org. Acesso em: 3 jun. 2009.

KRÖGER, C.; ROTH, K. Escola da bola. São Paulo: Phorte, 2002.

LEBED, F. System approach to games and competitive playing. Eur J Sport Sci, v. 6, n. 1, p. 33-42, 2006.

LEAL, J. C. Futebol: arte e ofício. 2. ed. Rio de Janeiro: Sprint, 2001.

LEITÃO, A. Futebol: análise qualitativa e quantitativa para verificação e modulação de padrões e sistemas complexos de jogo. 2004. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br. Acesso em: 22 nov. 2007.

LEITÃO, A. A velocidade tática e as fases sensíveis do desenvolvimento atlético. Universidade do Futebol: Colunas Táticas, 2008. Disponível em: http://universidadedofutebol.com.br/. Acesso: 03 jun. 2009.

LEITÃO, A. Se jogo é jogo e treino é treino, abandonemos os treinos (e fiquemos com o jogo!). Universidade do Futebol: Colunas Táticas, 2008b. Disponível em: http://www.universidadedofutebol.com.br/. Acesso: 03 jun. 2009.

LEONARDO, L.; SCAGLIA, A.; REVERDITO, R. O ensino dos esportes coletivos: metodologia pautada na família dos jogos. Motriz, v. 15, n. 2, p. 236-246, 2009. Disponível em: http://cecemca.rc.unesp.br/ojs/index.php/motriz. Acesso em: 27 maio 2009.

MAGUEIJO, J. Mais rápido que a luz: a bibliografia de uma especulação científica. Lisboa: Gradiva, 2003.

MATTA, M.; GRECO, P. O processo de ensino-aprendizagem-treinamento da técnica esportiva aplicada ao futebol. Rev Min Educ Fís, v. 4, n. 2, p. 34-50, 1996.

MARTINS, F.; GARGANTA, J. “Periodização tática” segundo Vítor Frade: mais do que um conceito, uma forma de estar e de reflectir o futebol. 2003. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) – Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, Universidade do Porto, Porto, 2003.

MARQUES JUNIOR, N. K. Solicitação metabólica no futebol profissional masculino e o treinamento cardiorrespiratório. Corpoconsciência, Santo André, n. 13, p. 25-58, 2004.

MARQUES JUNIOR, N. K. Periodização tática: uma nova organização do treinamento para duplas masculinas do voleibol na areia de alto rendimento. Rev Min Educ Fís, v. 14, n. 1, p. 46-65, 2006.

MARQUES JUNIOR, N. K. Periodização tática: o treinamento de iniciadas do futebol de salão feminino. Mov Percep, v. 8, n. 11, p. 7-41, 2007. Disponível em: www.unpinhal.edu.br/movimentopercepcao. Acesso em: 30 dez. 2007.

MARQUES JUNIOR, N. K. Ensino do treino da visão periférica para jogadores do futsal. Rev Bras Ed Fis Esp Lazer e Dança, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 34-52, 2009. Disponível em: www.refeld.com.br. Acesso em: 18 maio 2009.

MARQUES JUNIOR, N. K. Fundamentos praticados pelo defensor durante o jogo de voleibol na areia. Conexões, Campinas, v. 7, n. 1, p. 61-71, 2009b. Disponível em: www.unicamp.br/fef/. Acesso em: 01 abr. 2009.

MOIGNE, J. O construtivismo dos fundamentos. Lisboa: Instituto Piaget, 1994.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. 3. ed. Lisboa: Instituto Piaget, 1990.

MORIN, E. O método I: a natureza da natureza. 3. ed. Publicações Europa América, 1997.

MORIN, E. Reformar o pensamento: a cabeça bem feita. Lisboa: Instituto Piaget, 1999.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. 4. ed. Lisboa: Instituto Piaget, 2003.

NUNES, J.; FANTATO, E.; MONTAGNER, P. C. Velocidade no basquetebol. Conexões, Campinas, v. 4, n. 2, p. 47-54, 2006. Disponível em: www.unicamp.br/fef/. Acesso em: 06 jun. 2009.

OLIVEIRA, J. Organização do jogo de uma equipa de Futebol. Aspectos metodológicos na abordagem da sua organização estrutural e funcional. In: JORNADAS TÉCNICAS DE FUTEBOL + FUTSAL DA UTAD, 2., 2003. Anais... Vila Real: UTAD, 2003.

OLIVEIRA, J. Futebol/Futsal: uma concepção de treino, periodização tática. Porto: Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, 2004.

OLIVEIRA, J.; FRADE, V. Especificidade, o “pós-futebol” do “pré-futebol”: um fator condicionante do alto rendimento desportivo. 1991. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso) – Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, Universidade do Porto, Porto, 1991.

OLIVEIRA, B. et al. Mourinho: porquê tantas vitória? Lisboa: Gradiva, 2006.

OLIVEIRA, P. R.; AMORIM, C.; GOULART, L. Estudo do esforço físico no futebol júnior. Rev Par Educ Fís, v. 1, n. 2, p. 49-58, 2000.

OLIVEIRA, R. A planificação, programação e periodização do treino em futebol. Lecturas: EF y Deportes, Revista Digital. 2005. Disponível em: www.efdeportes.com/. Acesso em: 07 out. 2004.

OLIVEIRA, R. O microciclo de treino: a base fundamental da planificação tático-estratégica de um jogo de futebol. Lecturas: EF y Deportes, Revista Digital. 2007. Disponível em: www.efdeportes.com/. Acesso em: 02 jun. 2007.

PAPADIMITRIOU, K. et al. Evaluation of the offensive behavior of elite soccer teams. Percept Mot Skills, v. 93, n. 2, p. 405-415, 2001.

PÉREZ MORALES, J.; GRECO, P. A influência de diferentes metodologias de ensino-aprendizagem-treinamento no basquetebol sobre o nível de conhecimento tático processual. Rev Bras Educ Fis Esp, São Paulo, v. 21, n. 4, p. 291-299, 2007. Disponível em: www.usp.br/eef/. Acesso em: 28 maio 2009.

PRILUTSKY, B.; ZATSIORSKY, V. Tendon action of two-joint muscles. J Biomech, v. 27, n. 1, p. 25-

, 1994.

RAAB, M. Decision making in sports. Int J Sport Exerc Psychol, v. 1, n. 2, p. 310-337, 2003.

RAAB, M. Think Smart, not hard, a review of teaching decision making in sport from an ecological rationality perspective. Physic Educ Sport Pedag, v. 12, n. 1, p. 1-15, 2007.

RAAB, M.; MASTERS, R.; MAXWELL, J. Improving the how and what decision of elite table tennis players. Hum Mov Sci, v. 24, p. 326-344, 2005.

RAHNAMA, N.; REILLY, T.; LEES, A. Injury risk associated with playing actions during competitive soccer. Br J Sports Med, v. 36, n. 5, p. 354-359, 2002. Disponível em: www.bjsportmed.com. Acesso em: 30 dez. 2007.

RAMOS, L.; OLIVEIRA JUNIOR, M. Futebol: classificação e análise dos gols da EuroCopa 2004. Rev Bras Futebol, v. 1, n. 1, p. 42-48, 2008. Disponível em: www.rbfutebol.com.br. Acesso em: 30 dez. 2007.

RÉ, A.; BARBANTI, V. Uma visão macroscópica da influência das capacidades motoras no desempenho esportivo. In: RIGOLIN DA SILVA, L. (Ed.). Desempenho esportivo: treinamento com crianças e adolescentes. Rio de Janeiro: Phorte, 2006. p. 217-240.

REILLY, T. Assessment of sport performance with particular reference to field games. Eur J Sport Sci, v. 1, n. 3, p. 1-12, 2001.

REILLY, T.; GILBOURNE, D. Science and football: a review of applied research in the football codes. J Sports Sci, v. 21, p. 693-705, 2003.

RINK, J.; FRENCH, K.; TJEERDSMA, B. Foundations for the learning and instruction of sport and

games. J Teach Physic Educ, v. 15, n. 4, p. 399-417, 1996.

ROBERTSON, E.; PASCUAL-LEONE, A.; MIALL, R. Current concepts in procedural consolidation. Nature Rev, v. 5, p. 1-7, 2004.

SANTOS, P.; SILVA, P.; JARDIM, N. O remate de futebol: caracterização biomecânica e considerações para o treino de força rápida. Lecturas: EF y Deportes, Revista Digital. 2004. Disponível em: www.efdeportes.com/. Acesso em: 24 jun. 2004.

SANTOS, P. O planeamento e a periodização do treino em futebol: um estudo realizado em clubes da Superliga. 2006. Dissertação (Mestrado) – Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, 2006. Disponível em: http://educacaofisica.seed.pr.gov.br. Acesso em: 10 dez. 2008.

SCAGLIA, A. O futebol e os jogos/brincadeiras de bola com os pés: todos semelhantes, todos diferentes. 2003. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003. Disponível em: http://libdigi.unicamp.br. Acesso em: 04 jun. 2009.

SILVA, A. et al. Patrones de juego en el fútbol de alto rendimiento análisis secuencial del proceso ofensivo en el Campeonato del Mundo Corea-Japón 2002. Cult Cien Desp, v. 1, n. 2, p. 65-72, 2005. Disponível em: www.ucam.edu/ccd. Acesso em: 20 dez. 2008.

SILVA, P. A análise do jogo em futebol: um estudo realizado em clubes da Liga Betandwin.com. 2006. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Motricidade Humana, Lisboa, 2006. Disponível em: http://educacaofisica.seed.pr.gov.br. Acesso em: 10 dez. 2008.

SINDIK, J.; VIDAK, N. Application of game theory in describing efficacy of decision making in sportsman`s tactical performance in team sports. Interdisciplinary Description of Complex Systems, v. 6, n. 1, p. 53-66, 2008.

TAMARIT, X. Qué es la periodización táctica? España: MC Sport, 2007.

TAVARES, J.; FRADE, V. Uma noção fundamental: a especificidade, como investigar a ordem das “coisas” do jogar, uma espécie de invariâncias de tipo fractal. 2003. Monografia (Trabalho de C onclusão de Curso) – Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física, Porto, 2003.

TAVARES, F. Análise da estrutura e dinâmica do jogo nos jogos desportivos. In: BARBANTI, V.; AMADIO, A.; BENTO, J.; MARQUES, A. (Org.). Esporte e atividade física: interação entre rendimento e saúde. São Paulo: Manole, 2002. p. 129-143.

TELES, A. Conhecimento tático declarativo e procedimental em crianças e adolescentes praticantes de futebol. 2007. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Pernambuco, Pernambuco, 2007.

TRNINIC, S. et al. Player selection procedures in team sports games. Acta Kinesiol, v. 2, n. 1, p. 24-28, 2008.

TUBINO, M.; MOREIRA, S. Metodologia científica do treinamento desportivo. 13. ed. Rio de Janeiro: Shape, 2003.

TURATO, M. Tratado metodológico da pesquisa clínico-qualitativa. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

TURNER, A.; MARTINEK, T. Teaching for understand: a model for improving decision making during game play. Quest, v. 47, n. 1, p. 44-63, 1995.

WILLIAMS, M.; HODGES, N. Practice, instruction and skill acquisition in soccer: challenging. J Sports Sci, v. 23, n. 6, p. 637-650, 2005.

WALDROP, M. Complexity: the emerging science at the edge of order and chaos. New York:

Touchstone, 1992.

WOLPERT, D.; GHAHRAMANI, Z.; FLANAGAN, J. Perspective and problems in motor learning. Trends Cogn Sci, v. 5, n. 11, p. 487-494, 2001.

O periódico Conexões: Educação Física, Esporte e Saúde utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.