O corpo feminino da tv: reflexões necessárias no âmbito da educação física escolar

Autores

  • Marcos Garcia Neira Universidade de São Paulo
  • Nei Jorge Santos Junior Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Ana Paula Silva Santos Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v7i2.8637779

Palavras-chave:

Midia. Gênero. Educação Física escolar.

Resumo

Constituído em meio ao poder que se reflete nos processos de subjetivação, o corpo é concebido como elemento cultural à mercê dos movimentos identitários. O presente estudo analisou os sentidos implícitos e explícitos na construção do corpo feminino pela mídia e apresentou alternativas para problematização desse mecanismo no cotidiano pedagógico. Discutiu a relação entre corpo feminino, mídia, gênero e Educação Física escolar, tencionando subsidiar propostas para o componente que analisem as formas pelas quais a sociedade do espetáculo e da imagem opera na nomeação e construção dos corpos femininos. Concluiu que se faz necessário o estabelecimento de novos olhares para compreensão da recepção midiática sobre o corpo feminino e a conseqüente atribuição de outros significados. No terreno pedagógico, isso será possível mediante a organização e desenvolvimento de situações didáticas que analisem os sentidos implícitos e explícitos na espetacularização do corpo feminino, de maneira a distingui-los e compreender suas motivações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Garcia Neira, Universidade de São Paulo

Universidade de São Paulo

Nei Jorge Santos Junior, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Universidade Federal do Rio de Janeiro

Ana Paula Silva Santos, Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro

Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro

Referências

BETTI, M. Imagem e ação: a televisão e a Educação Física escolar. In: ______. (Org.). Educação Física e mídia: novos olhares outras práticas. São Paulo: Hucitec, 2003. p. 91-137.

BOURDIEU, P. O camponês e seu corpo. Rev Sociol Polit, n. 26, p. 83-92, jun. 2006.

FERRÉS, J. Televisão e educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

FISCHER, R. M. B. O dispositivo pedagógico da mídia: modos de educar na (e pela) TV. Educ Pesq, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 151-162, jan./abr., 2002.

FORSYTH, L. H. Pela reapropriação do corpo das mulheres e das meninas, ainda sob o olhar dos outros na cultura popular das sociedades patriarcais. Labrys: estudos feministas, n. 3, jan./jul. 2003.

HALL, S. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções de nosso tempo. Educ Real, Porto Alegre, n. 2, v. 22, p. 15-46, jul./dez. 1997.

HEILBORN, M. L. Entre as tramas da sexualidade brasileira. Rev Estud Fem, v.14, n.1, p.43-59, abr. 2006.

LIMA, T. C. S.; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Rev Katálysis, Florianópolis, v. 10, n. esp., 2007

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação. Petrópolis: Vozes, 1997.

LOURO, G. L. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-Prosições, Campinas, v.19, n. 2, p.17-23, ago. 2008.

LOURO, G. L. Teoria queer: uma política pós-identitária para a educação. Rev Estud Fem, v. 9, n. 2, p. 541-553, 2001.

LOURO, G. L. Gênero, sexualidade e educação: das afinidades políticas às tensões teórico-metodológicas. Educ Rev, n. 46, p. 201-218, dez. 2007.

MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. 4. ed. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ, 2006.

MCLAREN, P. A vida nas escolas: uma introdução à pedagogia crítica nos fundamentos da educação. Porto Alegre: Artmed, 1997.

MEYER, D. E. Sexualidades, nacionalidades e escolarização. Rev. Estud. Fem., v. 9, n. 2, p.609-611, 2001.

MAI, L. D.; BOARINI, M. L. Estudo sobre forças educativas eugênicas no Brasil, nas primeiras décadas do século XX. Ciência, cuidado e saúde, v. 1, n. 1, p. 135-138, jan./jun. 2002.

MATOS, A. A.; LOPES, M. F. Corpo e gênero: uma análise da revista TRIP para mulher. Rev Estud Fem, v.16, n.1, p. 61-76, 2008

NEIRA, M. G. Representações sobre a docência em educação física: modificações a partir de um programa de formação. Paidéia, v.16, n. 33, p.101-110, abr. 2006.

NEIRA, M. G. Pedagogia da cultura corporal: motricidade cultura e linguagem. In: NEIRA, M. G. Ensino de Educação Física. São Paulo: Thomson Learning, 2007.

PEREIRA, S. A. M. O sexismo nas aulas de educação física: uma análise dos desenhos infantis e dos estereótipos de gênero nos jogos e brincadeiras. Motriz, v. 11, n.1, p. 137s-138s, 2005.

SANTOS, L. L.; HOFF, T. Da cronobiologia aos neurocosméticos: o advento do corpo-mídia no discurso publicitário da beleza. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO, 15., 2006, Bauru. Anais ... Bauru, 2006.

SANTOS JUNIOR, N. J. Espetacularização esportiva na TV: ações e desafios à Educação Física escolar. Lect Educ Fis Deportes, Buenos Aires, v. 12, p. 111, 2007.

SHAW, I. S. O corpo feminino na propaganda. In: BERNADETTE, L.; SANTANA, G. (Org.). Corpo & mídia. São Paulo: Arte & Ciência, 2003, p. 193-206.

SILVA, T. T. Currículo, universalismo e relativismo: uma discussão com Jean-Claude Forquin. Educ Soc, v. 21, n.73, p.71-78, dez. 2000.

SOUSA, E. S.; ALTMANN, H. Meninos e meninas: expectativas corporais e implicações na EF escolar. Cad Cedes, ano 19, n. 48, p. 52-68, 1999.

WOLFF, C. S.; POSSAS, L. M. V. Escrevendo a história no feminino. Rev Estud Fem, v.13, n.3, p. 585-589, 2005.

Downloads

Como Citar

Neira, M. G., Santos Junior, N. J., & Santos, A. P. S. (2009). O corpo feminino da tv: reflexões necessárias no âmbito da educação física escolar. Conexões, 7(2), 97–113. https://doi.org/10.20396/conex.v7i2.8637779

Edição

Seção

Artigos