Lazer e presídio: do prazer ao ilícito ou prazer no ilícito

Autores

  • Marco Antonio Bettine de Almeida Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v1i2.8638022

Palavras-chave:

Lazer. Presídio. Teoria da Ação Comunicativa.

Resumo

O propósito do trabalho é conhecer o lazer da sociedade dos cativos e compreender se dentro de uma instituição fechada, as atividades de lazer são ou não colonizado por ações estratégicas, e, quais as possibilidades de inserção do agir comunicativo nestas atividades de lazer no presídio. Referenciando-se no lazer vinculado à busca do prazer e transformação individual; no presídio como espaço de reclusão e intermediação entre a reprodução do ilícito e a recuperação; e por último na "Teoria da Ação comunicativa" de Habermas contrapondo a sociedade dos cativos no sistema poder e moeda (onde se reproduz o agir estratégico) e no mundo da vida (onde se reproduz o agir comunicativo)

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antonio Bettine de Almeida, Universidade Estadual de Campinas

Universidade Estadual de Campinas

Downloads

Publicado

2015-09-21

Como Citar

Almeida, M. A. B. de. (2015). Lazer e presídio: do prazer ao ilícito ou prazer no ilícito. Conexões, 1(2), 145–160. https://doi.org/10.20396/conex.v1i2.8638022

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>