Ansiedade pré-competitiva e esporte: estudo com atletas universitários

William das Neves Salles, Cassiel Casagrande de Oliveira, Mario Luiz Couto Barroso, Raquel Walter Pacheco

Resumo


O presente estudo investigou o nível de ansiedade de 65 atletas universitários de esportes coletivos, de ambos os sexos (média de idade 22,72 ± 3,31 anos) e praticantes de Futsal, Handebol e Voleibol. O instrumento de coleta de dados utilizado foi a versão brasileira do Sport Competition Trait Anxiety Test (SCAT) ou Teste de Ansiedade-Traço Competitiva, cuja finalidade é identificar o perfil de ansiedade no período pré-competitivo. De maneira geral, os resultados indicaram que o nível de ansiedade dos atletas universitários foi de 20,10 ± 3,52 pontos, o que os caracteriza com perfil de “média ansiedade-traço”. Não houve associação significativa do nível de ansiedade dos atletas com o sexo, com a modalidade praticada ou com a classificação final da equipe na competição, embora tenha se verificado que o sexo feminino apresentou níveis de ansiedade mais elevados, seja no âmbito geral ou na especificidade de cada modalidade em particular. Sugere-se que sejam realizados mais estudos sobre ansiedade pré-competitiva em modalidades coletivas, ampliando o número de participantes e investigando mais a fundo as comparações entre os sexos e modalidades, além da possível relação entre esse constructo e a classificação final das equipes em competições.

Palavras-chave


Esporte. Competição. Ansiedade. SCAT

Texto completo:

PDF

Referências


GARGANTA, J; PINTO, J. O ensino do futebol. In: GRAÇA, A.; OLIVEIRA, J. (Eds.). O ensino dos jogos desportivos. Porto: Universidade do Porto, 1998. p. 95-136.

DANTAS, E. H. M. A prática da preparação física. 5. ed. Rio de Janeiro: Shape, 2003.

BOMPA, T. O. Periodização: teoria e metodologia do treinamento. 4. ed. São Paulo: Phorte, 2002.

PARFITT, C. G.; JONES, J. G.; HARDY, L. Multidimensional anxiety and performance. In JONES, J. G; HARDY, L. (Ed.). Stress and performance in sport. Chichester, UK: Wiley. 1990, p. 43–80.

SAMULSKI, D. M. Psicologia do Esporte: conceitos e novas perspectivas. 2. ed. Barueri: Manole, 2009.

BARBANTI, V. J. Dicionário de Educação Física e do Esporte. São Paulo: Manole, 1994.

BERTUOL, L.; VALENTINI, N. C. Ansiedade Competitiva de adolescentes: gênero, maturação, nível de experiência e modalidades esportivas. Revista da Educação Física/UEM. Maringá, 2006. v.17, n.1, p. 65-74, 1 sem.

WEINBERG, R. S.; GOULD. D. Fundamentos da psicologia do esporte e do exercício. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2008.

CRUZ, J. F. Stress e ansiedade na competição desportiva: Teoria, investigação e implicações práticas. Braga: Universidade do Minho, 1986

MACHADO, A. A. Psicologia do Esporte: Temas Emergentes I. Jundiaí: Ápice, 1997.

BALLONE, G. J. Ansiedade e Esporte. São Paulo. 2004. Disponível em: www.virtualpsy.org/temas/esporte.html. Acesso em 14 Jun. 2013.

STAREPRAVO, F. A.; REIS, L. J. A.; MEZZADRI, F. M.; MARCHI J. W. Esporte universitário brasileiro: uma leitura a partir de suas relações com o Estado. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, 2010. v.31, n.3, p. 131-148

SILVA, T. A. F. Iniciação nas modalidades esportivas coletivas de invasão: a possibilidade de uma prática transferível. 2010. Dissertação (Mestrado em Estudos do Esporte) - Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

ANDRADE, M. M. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

MARTENS, R.; VEALEY, R. S.; BURTON, D. Competitive anxiety in sport. Chapaign: Human Kinetics Publisher, 1990.

DE ROSE JR., D.; VASCONCELLOS, E. G. Ansiedade-traço competitiva e atletismo: um estudo com atletas infanto-juvenis. Revista Paulista de Educação Física, São Paulo, 1997, v. 11, n. 2, p. 148-157.

WOODMAN, T.; HARDY, L. Stress and anxiety. In: SINGER, R.; HAUSENBLAS H. A.; JANELLE, C. M. Handbook of research on sport psychology. 2. ed. New York: Wiley, 2001. p. 290-318.

HARDY, L.; PARFITT, C. G. A catastrophe model of anxiety and performance. British Journal of Psychology, v. 82, n. 2, p. 163-178, 1991.

SANTOS, S. G.; PEREIRA, S. A. Perfil do nível de ansiedade-traço pré-competitiva de atletas de esportes coletivos e individuais do Estado do Paraná. Movimento, Porto Alegre, ano 3, n. 6, p. 3-12, 1997.

INTERDONATO, G. C; OLIVEIRA, A. R. de; CORREA-LUIZ, C.; GREGUOL, M. Análise da ansiedade traço competitiva em atletas. Conexões: Revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP, Campinas, v. 8, n. 3, p. 1-9, 2010.

GONCALVES, M. P.; BELO, R. P. Ansiedade-traço competitiva: diferenças quanto ao gênero, faixa etária, experiência em competições e modalidade esportiva em jovens atletas. Psico-USF, Itatiba, v. 12, n. 2, dez. 2007.

DELL’ANTONIO, E. Perfil de liderança de treinadores e o desempenho das equipes em competição. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Curso de Educação Física, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.




DOI: https://doi.org/10.20396/conex.v13i3.8640872

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Conexões

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

(c) Conexões: Educ. Fís., Esporte e Saúde, Campinas, SP - ISSN: 1983-9030.