A sindicalização dos profissionais de educação física no Brasil

Autores

  • Antonio Augusto Bonatto Barcellos Universidad de Salamanca/Espanha (USAL) Facultad de Ciencias Sociales (Fac. CC.SS.) Município de Salamanca / Província de Salamanca Comunidad Autónoma de Castilla y León Reino de España
  • Alberto de Oliveira Monteiro Professor Adjunto da Escola de Educação Física (ESEF) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul(UFRGS) Porto Alegre - Rio Grande do Sul
  • Luiz Roberto Nunes Padilla Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)Professor do Magistério SuperiorFaculdade de Direito (FADIR) Porto Alegre - Rio Grande do Sul https://orcid.org/0000-0003-3502-6430

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v13i3.8640876

Palavras-chave:

Sindicalização, Sindicatos, Educação Física, Profissão, Profissionais, Brasil

Resumo

O presente trabalho teve como propósito estudar a sindicalização dos profissionais de Educação Física e suas particularidades a partir da legislação brasileira e da ótica do direito do trabalho. O método de pesquisa utilizado foi a pesquisa bibliográfica e a redação seguiu o método dedutivo onde partimos de questões gerais sobre o sindicalismo e a Educação Física até culminar com as questões mais específicas sobre a sindicalização dos profissionais de Educação Física. A partir de uma intensa pesquisa bibliográfica trouxemos uma contextualização histórica da Educação Física e histórica e jurídica do sindicalismo. Em relação ao tema da sindicalização dos profissionais de Educação Física abordamos os conceitos de categoria e os campos de atuação profissional. Finalmente, concluímos que os Profissionais de Educação Física constituem uma Categoria Profissional Diferenciada para fins sindicais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Augusto Bonatto Barcellos, Universidad de Salamanca/Espanha (USAL) Facultad de Ciencias Sociales (Fac. CC.SS.) Município de Salamanca / Província de Salamanca Comunidad Autónoma de Castilla y León Reino de España

Doutorando em Ciências Sociais Faculdade de Ciências Sociais Bolsista Convênio Banco Santander/Universidad de Salamanca

Alberto de Oliveira Monteiro, Professor Adjunto da Escola de Educação Física (ESEF) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul(UFRGS) Porto Alegre - Rio Grande do Sul

Doutor em Educação Física pela Universidade do Minho/Portugal. Professor Adjunto da Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Luiz Roberto Nunes Padilla, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)Professor do Magistério SuperiorFaculdade de Direito (FADIR) Porto Alegre - Rio Grande do Sul

Professor da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Departamento de Direito Privado

Referências

MARINHO, I. P. História geral da Educação Física. São Paulo: Cia. Brasil, 1980.

TUBINO, M. J. G. O esporte no Brasil: do período colonial aos nossos dias. São Paulo: IBRASA, 1996.

GAYA, A. MAZO, J. As associações desportivas em Porto Alegre, Brasil: espaço de representação da identidade cultural teuto-brasileira. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 6, n. 2, p. 205-213, 2006.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Cortez, 1982.

CASTELANI FILHO, L. Educação Física no Brasil: a história que não se conta. Campinas: Papirus, 1988.

OLIVEIRA, M. A. T. O esporte brasileiro em tempos de exceção: sob a égide da ditadura (1964-1985). In: PRIORE, M; ANDRADE, V. M. (Org.). História do esporte no Brasil: do império aos dias atuais. São Paulo: Ed. da UNESP, 2009. p. 387-416

BRASIL. Presidência da República. Constituição Federal. 05 de outubro de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm Acesso em: 10 maio 2014.

FARIA JÚNIOR, A. G. Professor de Educação Física, licenciado generalista. In: OLIVEIRA, V. M. (Org.). Fundamentos pedagógicos da Educação Física. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1987, p. 11-33.

SOUZA NETO, S. et al. A formação do profissional de Educação Física no Brasil: Uma história sob a perspectiva da legislação federal no século XX. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 25, no 2, p. 113-128, jan. 2004.

BARROS, J. M. C. Educação Física, profissão regulamentada. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 21, n. 2/3, p. 108-109, jan./maio 2000.

PADILLA, L. R. N. Legislação desportiva comentada. Disponível em: www.padilla.adv.br/desportivo Acesso em: 01 maio 2012.

RODRIGUES, L. L.; BRACHT, V. As culturas da Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 32, n. 1, p. 93-107, set. 2010.

MONTEIRO, A. O. Desporto: da excelência a virtude, um caminho de vida para crianças, jovens e adultos. 2007. 497f. Tese (Doutorado em Educação Física) – Faculdade de Desporto, Universidade do Minho, Portugal, 2007.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1987.

SCHWARZ, R. G. Direito do trabalho. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

SANTOS, L. A. M. A liberdade sindical como direito fundamental. São Paulo: LTr, 2009.

ROMITA, A. S. Sindicalismo. São Paulo: LTr, 1986.

CATHARINO, J. M. Tratado elementar de direito sindical. São Paulo: LTr, 1982.

GOMES, O.; GOTTSCHALK, E. Curso de direito do trabalho. Rio de Janeiro: Forense, 2002.

ARISTÓTELES. Política. Lisboa: Vega, 1998.

VIANNA, S. O sindicato no Brasil. Rio de Janeiro: Olímpica, 1953.

NASCIMENTO, A. M. Direito sindical. São Paulo: Saraiva, 1991.

RUSSOMANO, M.V. Princípios gerais de direito sindical. Rio de Janeiro: Forense, 1998.

IGLESIA CATÓLICA. Papa León XIII. Encíclica "rerum novarum": sobre la condición de los obreros/por el Sumo Pontífice León XIII con presentación de la Encíclica, un esquema de la misma, resúmenes y apéndice. Tortosa: Editorial Católica, 1932.

NASCIMENTO, A. M. Compêndio de direito sindical. São Paulo: LTr, 2008.

LIMA, L. T. Movimento sindical e luta de classes. São Paulo: Oliveira Mendes, 1998.

SILVA, H. B. M. Curso de direito do trabalho aplicado: direito coletivo do trabalho. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. v. 7.

DELGADO, M. G. Curso de direito do trabalho. São Paulo: LTr, 2009.

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Convenção no 87 de 1948: liberdade sindical e proteção ao direito de sindicalização. Disponível em: http://www.oit.org.br/content/liberdade-sindical-e-proteção-ao-direito-de-sindicalização Acesso em: 08 jun. 2012.

BRASIL. Presidência da República. Decreto-lei 5.452 de 1943. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del5452compilado.htm Acesso em: 08 maio 2014.

CARNELUTTI, F. Teoria del regolamento collettivo dei rapporti di lavoro. Padova: Antonio Milani, 1936.

JORGE NETO, F. F.; P. CAVALCANTE, J. Q. Estudos dirigidos: direito do trabalho. São Paulo, LTr, 1999.

SÜSSEKIND, A. et al. Instituições de direito do trabalho. São Paulo: LTr, 2005.

CASSAR, V. B. Direito do trabalho. Niterói: Impetus, 2009.

BRASIL. Presidência da República. Lei Federal no 7.783 de 1989. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7783.htm Acesso em: 07 maio 2014.

MAGNANI, J. G. C. Antropologia e Educação Física. In: CARVALHO, Y. M. C.; RUBIO, K. (Org.). Educação Física e ciências humanas. São Paulo: Hucitec, 2001. p. 17-26.

DAOLIO, J. Antropologia Social e Educação Física: possibilidades de encontro In: CARVALHO, Y. M. C.; RUBIO, K. (Org.). Educação Física e ciências humanas. São Paulo: Hucitec, 2001. p. 27-38.

REVEL, J. Os usos da civilidade. In: ARIÉS, P.; DUBY, G. (Org.). História da vida privada: da renascença ao século das luzes. São Paulo: Companhia das Letras, v. 3,1991. p. 169-209.

SOARES, C. Imagens da retidão: a ginástica e a educação do corpo. In: CARVALHO, Y. M.; RÚBIO, K. (Org.). Educação Física e ciências humanas. São Paulo: Hucitec, 2001. p. 53-74

BETTI, M. Perspectivas na formação profissional. In: MOREIRA, W. W. (Org.). Educação Física & esportes: perspectivas para o séc. XXI. Campinas: Papirus, 1992. p. 239-254.

GALINDO, A. G. Mercado de trabalho e educação Física: um breve ensaio sobre os impactos da regulamentação profissional. In: SEMANA DO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA, 2005, Macapá. Anais... Macapá: Secretaria Estadual de Desporto e do Lazer, 2005. p. 21-39.

OLIVEIRA, A. A. B. Mercado de trabalho em Educação Física e a formação profissional: breves reflexões. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília. v. 8, n. 4, p. 45-50, set. 2000.

BARROS, A. M. Curso de direito do trabalho. São Paulo: LTr, 2005.

FARIA JÚNIOR, A. G. Perspectivas na formação profissional em Educação Física. In: MOREIRA, W. N. (Org.). Educação Física & esportes: perspectivas para o séc. XXI. Campinas: Papirus, 1992. p. 227-238

SUSSEKIND, A. Direito constitucional do trabalho. Rio de Janeiro: Renovar, 2004.

ROMITA, A. S. Direito sindical brasileiro. Rio de Janeiro:, 1976.

AGUIRRE BAZTAN, S. A. La cultura de las organizaciones. Barcelona: Ariel, 2004.

BARROS, A. M. Contratos e regulamentações especiais de trabalho: peculiaridades, aspectos controvertidos e tendências. São Paulo: LTr, 2001.

SILVA, H.B.M. Curso de direito do trabalho aplicado: livro das profissões regulamentadas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. v. 4. p. 149.

ROMITA, A. S. A legislação trabalhista e os sindicatos. In: SILVESTRE, R. M.; NASCIMENTO, A. M. (Org.). Os novos paradigmas do direito do trabalho: Homenagem a Valentin Carrion. São Paulo: Fapesp, 1999. p. 280

GÓIS, L. M. F. Princípios da negociação coletiva de trabalho. Justiça do trabalho, Porto Alegre, ano 26, n. 304, abr. 2009.

SANTA'ANNA, D. B. Educação Física e História. In: CARVALHO, Y. M. ; RÚBIO, K. (Org.). Educação física e ciências humanas. São Paulo: Hucitec, 2001. p. 105-114.

Downloads

Publicado

2015-10-02

Como Citar

Barcellos, A. A. B., Monteiro, A. de O., & Padilla, L. R. N. (2015). A sindicalização dos profissionais de educação física no Brasil. Conexões, 13(3), 146–174. https://doi.org/10.20396/conex.v13i3.8640876

Edição

Seção

Artigo de Revisão