Ginástica para Todos no Rio Grande do Sul

desafios e perspectivas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/conex.v14i4.8648069

Palavras-chave:

Ginástica, Gestão esportiva, Federação, Política pública

Resumo

Introdução: O desenvolvimento esportivo se relaciona com diversos fatores, como exemplo, a atuação do técnico e políticas públicas. Este último perpassa tanto a promulgação de leis e estatutos para o esporte, como a organização e gestão de instituições promotora daquele. Objetivo: O foco de nosso estudo é elencar os desafios e perspectivas dos gestores da federação de ginástica do Rio Grande do Sul no que se refere o progresso da Ginástica para Todos (GPT). Metodologia: Foram entrevistados o presidente e a diretora-técnica da GPT da respectiva federação. Como coleta, utilizou-se da entrevista semiestruturada, gravada e transcrita na íntegra e analisada por meio da Análise de Conteúdo. Resultados: Foi possível detectarmos duas categorias principais: desafios para ampliar a GPT no estado (compreensão da GPT; carga de trabalho; cultura ao alto rendimento) e perspectivas e direcionamentos futuros da gestão com a modalidade (parcerias com universidades; fortalecimento de festivais já organizados). Conclusão: Percebe-se que o estado já realiza ação que se aproxima da GPT (como o festival anual), no entanto as demandas e interesses nas ginásticas artística e rítmica se sobressaem. A interlocução com a universidade coincide com as pesquisas atuais na GPT para seu crescimento no país. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

COSTA, Christian Pinheiro da. Estudo sobre modelos de desenvolvimento de federações desportivas no estado do Pará - Brasil. 2010. Tese (Doutorado) - Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Porto, 2010.

HELENO, G. Gestão esportiva. Revista Brasileira de Administração, Brasília, mar./abr. 2010.

DACOSTA, Lamartine Pereira (Org.). Atlas do esporte do Brasil. Brasília: CONFEF, 2005.

FIGUEIROA, Laís Stroesser; MAZZEI, Leandro; BASTOS, Flávia Cunha. Gestão da Confederação Brasileira de Ginástica Estética de Grupo: um estudo de caso. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, Porto, v. 14, p. 471-483, 2014.

DE BOSSCHER, Veerle et al. The global sporting arms race: an international comparative study on sports policy factors leading to international sporting success. Oxford: Meyer & Meyer Sport, 2008.

DE BOSSCHER, Veerle; DE KBOP, P.; HEYNDELS, B. Comparing relative sporting success among countries: create equal opportunities in sport. Journal for Comparative Physical Education and Sport, Schorndorf, v. 3, n. 3, p. 49-69, 2003.

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE GINÁSTICA (CBG). Estatuto da Confederação Brasileira de Ginástica. Disponível em: http://www.cbginastica.com.br/estatuto. Acesso em: 07 abr. 2016.

SIMÕES, Regina et al. A produção acadêmica sobre ginástica: estado da arte dos artigos científicos. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 183-198, 2016.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

ROCHA, Claudio Miranda da; BASTOS, Flávia da Cunha. Gestão do esporte: definindo a área. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. esp., n. 25, p. 91-103, 2011.

BASTOS, Flavia da Cunha; MAZZEI, Leandro C.; SARMENTO, J. P. Analysis of Brazilian sports management congresses abstracts from 2005 to 2009. In: EUROPEAN CONGRESS OF SPORT MANAGEMENT, 19., 2011, Madrid. Abstracts... Madrid: European Association for Sport Management, 2011.

AMARAL, Cacilda Mendes dos Santos; BASTOS, Flávia da Cunha. O gestor esportivo no Brasil: revisão de publicações no país. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 68-78. 2015.

CHELLADURAI, Packianathan. Sport management: defining the field. European Journal for Sport Management, Groningen, v.1, n.1 p.7-21, 1994.

CHALIP, Laurence Hilmond. Towards social leverage of sport events. Journal of Sport & Tourism, Abingdon, v. 11, n. 2, p. 1-19. 2006.

PITTS, Brenda G. Sport management at the millennium: a defining moment. Journal of Sport Management, Groningen, v.15, n.1, p. 1-9. 2001.

HOULIHAN, Barrie.; GREEN, Mike. Comparative elite sport development: systems, structures and public policy. Burlington: Elsevier, 2008.

DE BOSSCHER, Veerle. et al. Explaining international sporting success: an international comparison of elite sport systems and policies in six countries. Sport Management Review, Sydney, v.12, p.113-136, 2009.

PAOLIELLO, Elizabete. Ginástica geral: experiências e reflexões. São Paulo: Phorte, 2008.

CARBINATTO, Michele Viviene. Ginástica para Todos na escola. In: SIMOES, Regina; BERTUCCI, J.; MOREIRA, Wagner Wey (Org.). Escola de tempo integral: linguagens e expressões. Uberaba: Ed. da UFTM, 2014. v. 1, p. 23-33.

TOLEDO, Eliana de; TSUKAMOTO, M.; CARBINATTO, Michele Viviene Fundamentos da Ginástica Para Todos. In: NUNOMURA, Myrian. (Org.). Fundamentos da ginástica. 2. ed. Jundiaí: Fontoura, 2016. p. 12-40.

SANTOS, José Carlos Eustáquio. Ginástica geral: elaboração de coreografias, organização de festivais. Jundiaí, SP: Fontoura, 2001.

BRATIFISCHE, S. A.; CARBINATTO, Michele Viviene. Inovação e criação de materiais: em busca da originalidade na ginástica para todos. In: MIRANDA, R. C. F.; EHRENBERG, M. C.; BRATIFISCHE, S. (Org.). Temas emergentes de pesquisa em ginástica para todos. Jundiaí: Fontoura, 2016.

VELARDI, Marília; NISTA-PICCOLO, Vilma Leni. Ginástica geral: coletânea: textos e sínteses do I e II Encontro de Ginástica Geral. Campinas: UNICAMP, 1996.

OLIVEIRA, N. R. C. Ginástica para todos: perspectivas do contexto no lazer. São Paulo. Revista Mackenzie de Educação Física e Esporte, v. 6, n. 1, p. 27-35, maio 2007.

PROGRAMA SEGUNDO TEMPO. 2016. Disponível em: http://portal.esporte.gov.br/snee/segundotempo. Acesso em: 15 maio 2016.

CARBINATTO, Michele Viviene; BORTOLETO, Marco Antônio Coelho. Ginástica para Todos: princípios para a prática. In: SILVA, JWP; GONÇALVES-SILVA, L.L; MOREIRA, Wagner Wey. Educação Física e seus diversos olhares. Mato Grosso do Sul: Ed. da UFMS, 2016.

BLUMENAU. Prefeitura Municipal. Disponível em: http://www.blumenau.sc.gov.br/secretarias/secretaria-de-educacao/semed/nova-modalidade-do-paradesporto-escolar-inicia-nesta-quarta-feira82. Acesso em: 12 maio 2016.

SPECIAL OLYMPICS. 2016. Disponível em: http://specialolympics.org.br/. Acesso em: 15 maio 2016.

PATRICIO, Tamiris L.; CARBINATTO, Michele Viviene; BORTOLETO, Marco Antônio Coelho. Festivais de ginástica no mundo e no Brasil: reflexões gerais. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 199-216, 2016.

MAZZEI, Leandro Carlos et al. Gestão da Confederação Brasileira de Judô: um estudo de caso. Revista Intercontinental de Gestão Desportiva, v. 2, n. 1, p. 30–42. 2012

MAZZEI, Leandro Carlos; BASTOS, Flávia da Cunha. Gestão do esporte no Brasil: desafios e perspectivas. São Paulo: Ícone, 2012.

BASTOS, Flávia da Cunha. Administração esportiva: área de estudo, pesquisa e perspectivas no Brasil. Motrivivência, Florianópolis, v. 20-21, n. 15, p. 295-306. 2003.

TASSINARI, L. Gestão esportiva: uma abordagem sobre a disposição e a contextualização das organizações esportivas. http://www.uniritter.edu.br/w2/letras/palavora_anterior/arquivos/15%20%20Artigo%20Lorenzo.pdf. 2007.

CELMA, Joan. ABC del gestor deportivo. Zaragoza: INDE, 2004.

CASCA, Dani Garcia. Perspectivas de la gestión deportiva municipal y de modelos de gestión. In: CONGRESSO DE GESTIÓN DEPORTIVA DE CATALUÑA. 2000. Anais... Zaragoza, 2000.

MEIRA, Tatiana de Barros; BASTOS, Flávia da Cunha; BÖHME, Maria Tereza Silveira. Análise da estrutura organizacional do esporte de rendimento no Brasil: um estudo preliminar. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 26, n. 2, p. 251-262, p. 51-63. 2012.

MÜHLEN, Johanna Coelho von; NATIVIDADE, Daniela; GOELLNER, Silvana Vilodre. Fragmentos da história da ginástica rítmica no Rio Grande do Sul: as primeiras professoras e suas memórias. Pensar a Prática, Goiânia, v. 16, n. 1, p. 101-117. 2013.

MELLO, Vanessa Scalei de. Daiane dos Santos, a gauchinha de ouro: articulações entre jornalismo esportivo e identidade gaúcha. 2007. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

BRASIL. Ministério do Esporte. O Ministério. Disponível em: http://portal.esporte.gov.br/. Acesso em: 20 jan. 2010.

BRASIL. Ministério do Esporte. Lei no 10.264, de 16 de julho de 2001, acrescenta inciso e parágrafos ao art. 56 da Lei n. 9.615, de 24 de março de 1998, que institui normas gerais sobre desporto. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/ LEIS_2001/L10264.htm. Acesso em: 14 abr. 2016.

COMITÊ OLÍMPICO BRASILEIRO (COB). Demonstração da aplicação dos recursos provenientes da Lei Agnelo- Piva 2009. Disponível em: http://www.cob.org.br. Acesso em: 15 maio 2010.

LEITE, M. Regulamento técnico de ginástica para todos. Federação Rio-Grandense de Ginástica, 2015.

CARBINATTO, Michele Viviene; SOARES, Daniela Bento; BORTOLETO, Marco Antônio Coelho. GYM Brasil: Festival Nacional de Ginástica Para Todos. Motrivivência, Florianópolis, v. 28, n. 49, p. 128-145, 2016.

Downloads

Publicado

2016-12-31

Como Citar

LINK, A.; MANTOVANI, D.; CARBINATO, M. V. Ginástica para Todos no Rio Grande do Sul: desafios e perspectivas. Conexões, Campinas, SP, v. 14, n. 4, p. 25–46, 2016. DOI: 10.20396/conex.v14i4.8648069. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8648069. Acesso em: 11 maio. 2021.

Edição

Seção

Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)