Banner Portal
Musculação como espaço generificado e sexualizado?
capa 2023 com foto das primeiras edições da revista impressas
PDF

Palavras-chave

Academias de ginástica
Construção social do gênero
Antropologia
Sociologia
Educação física e treinamento

Como Citar

SILVA, Alan Camargo; FERREIRA, Jaqueline. Musculação como espaço generificado e sexualizado? notas etnográficas . Conexões, Campinas, SP, v. 21, n. 00, p. e023006, 2023. DOI: 10.20396/conex.v21i00.8673162. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8673162. Acesso em: 21 jun. 2024.

Dados de financiamento

Resumo

Objetivo: Com base na micros sociologia de Erving Goffman e na teoria sociológica de Pierre Bourdieu, o presente estudo objetivou analisar até que ponto o setor da musculação pode ser considerado um espaço generificado e sexualizado. Metodologia: Durante um ano, entre 2012-2013, realizou-se uma etnografia interacionista comparativa entre duas academias inseridas em dois bairros distintos da zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Resultados e discussão: Os resultados indicaram como os espaços no interior dos estabelecimentos e as interações sociais entre os(as) frequentadores(as) se estabeleciam de modo eminentemente binário e sexista. Foi possível também apreender como as intersecções entre gênero e camada social revelam as formas como as academias se constituem como locais de práticas corporais (in)viáveis para determinados sujeitos. Considerações finais: Conclui-se que tais achados podem ser importantes para gestores(as), professores(as) de Educação Física e alunos(as) compreenderem alguns aspectos socioculturais que atravessam as interações entre as pessoas que circulam nesses estabelecimentos cotidianamente.

https://doi.org/10.20396/conex.v21i00.8673162
PDF

Referências

ANDREASSON, Jesper; JOHANSSON, Thomas. The fitness revolution: historical transformations in the global gymand fitness culture. Sport Science Review, Champaign, v. 23, n. 3-4, p. 91-112, 2014. Disponível em: http://www.diva-portal.org/smash/get/diva2:742709/FULLTEXT01.pdf. Acesso em: 30 mar. 2023.

BARIL, Alexandre. Des corps et des hommes trans-formés. La musculation comme “technologie de genre”. Recherches Sociologique set Anthropologiques, Louvain, v. 48, N. 1, p. 65-85, 2017. Disponível em: https://journals.openedition.org/rsa/1816. Acesso em: 30 mar. 2023.

BERTEVELLO, Gilberto. Academias de ginástica e condicionamento físico: sindicatos & associações. In: DaCOSTA, Lamartine. Atlas do esporte no Brasil. Rio de Janeiro: CONFEF, 2006. p. 65-66.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 11. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989.

BOURDIEU, Pierre. Sociologia geral, vol1: lutas de classificação: Curso no Collège de France (1981-1982). Petrópolis: Vozes, 2020.

BOURDIEU, Pierre. Sociologia geral, vol. 2: habitus e campo: Curso no Collège de France (1982-1983). Petrópolis: Vozes, 2021.

BRAUNER, Vera Lúcia Pereira. Gênero, sexualidade e formação de professores: quo vadis? Conexões, Campinas, v. 16, n. 2, p. 125-134, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8653001/18350. Acesso em: 30 mar. 2023.

CONNEL, Raewyn. Políticas da masculinidade. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 185-206, 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/71725/40671. Acesso em: 30 mar. 2023.

CONNEL, Robert; MESSERSCHMIDT, James. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 21, n. 1, p. 241-282, 2013. Disponível: https://www.scielo.br/j/ref/a/cPBKdXV63LVw75GrVvH39NC/?lang=pt#. Acesso em: 30 mar. 2023.

DEVIDE, Fabiano; OSBORNE, Renata; SILVA, Elza Rosa; FERREIRA, Renato Callado; CHAIR, Emerson Saint; NERY, Luiz Carlos Pessoa. Estudos de gênero na Educação Física Brasileira. Motriz, Rio Claro, v. 17, n. 1, p. 93-103, 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/motriz/a/vdH5QcysDZcqrTk4hNZsqYJ/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 30 mar. 2023.

FONSECA, Claudia. Família, fofoca e honra: etnografia de relações de gênero e violência em grupos populares. Porto Alegre: UFRGS, 2000.

FRAZÃO, Deimersom Pereira; COELHO FILHO, Carlos Alberto de Andrade. Motivos para a prática de ginástica em academias exclusivas para mulheres. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 149-158, 2015. Disponível: https://www.scielo.br/j/rbefe/a/Dr4WQBFhh5GDzpCvvTLVv6z/#. Acesso em: 30 mar. 2023.

FRAZÃO, Deimersom Pereira; FRANCO, Neil; COELHO FILHO, Carlos Alberto de Andrade. Frequentadoras de academias de ginástica para mulheres e tradição familiar: subordinação ou emancipação? Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 30, e173003, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/psoc/a/66dnX7Y8pQWJdxH7JmsYwTm/?lang=pt#. Acesso em: 30 mar. 2023.

GARCIA, Rafael Marques. Consumo de drogas em uma academia de ginástica do Rio de Janeiro: uma microrrealidade de homens gays. In: SILVA, Alan Camargo. Corpo e práticas corporais em academias de ginástica. Curitiba: Bagai, 2022. p. 151-162.

GARCIA, Rafael Marques; PEREIRA, Erik Giuseppe Barbosa. Corpo, práticas corporais e relações de gênero na Educação Física brasileira: uma pesquisa bibliográfica. Horizontes – Revista de Educação, Dourados, v. 7, n. 14, p. 153-179, 2019. Disponível em: https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/horizontes/article/view/10047/5507. Acesso em: 30 mar. 2023.

GOELLNER, Silvana Vilodre. Gênero e esporte na historiografia brasileira: balanços e potencialidades. Revista Tempo, Niterói, v. 19, n. 34, p. 45-52, 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tem/a/vbn6CksZ5vyDDpKrCZPWMhS/?lang=pt#. Acesso em: 30 mar. 2023.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. 10. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

GOFFMAN, Erving. Gender advertisements. New York: Harper & Row, 1979. Disponível em: http://www.publiccollectors.org/Goffman_Gender.pdf.

GOFFMAN, Erving. Ritual de interação: ensaios sobre o comportamento face a face. Petrópolis: Vozes, 2011.

GOFFMAN, Erving. The arrangements between the sexes. Theory and Society, California, v. 4, n. 3, p. 301-331, 1977. Disponível em: http://www.csun.edu/~snk1966/Goffman%20The%20Arrangement%20between%20the%20sexes.pdf. Acesso em: 30 mar. 2023.

GONÇALVES, Ítalo Vinicius. Da etnografia multissituadaà “plataformizada”: aproximações entre antropologia e estudos de plataforma. Cadernos de Campo, São Paulo, v. 9, n. 2, e175274, 2020.

JACO, Juliana Fagundes; ALTMANN, Helena. Significados e expectativas de gênero: olhares sobre a participação nas aulas de Educação Física. Educação em Foco, Juiz de Fora, v. 22, n. 1, p. 1-26, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/edufoco/article/view/19899/10637. Acesso em: 30 mar. 2023.

KERCHER, Vanessa; KERCHER, Kyle; BENNION, Trevor; LEVY, Paul; ALEXANDER, Chris; AMARAL, Paulo Costa; LI, Yong-Ming; HAN, Jia; LIU, Yang; WANG, Ran; HUANG, Hai-Yan; GAO, Bing-Hong; BATRAKOULIS, Alexios; CHÁVEZ, Lino Francisco Jacobo Gómez; HARO, Jorge López; ZAVALZA, Adrián Ricardo Pelayo; RODRÍGUEZ, Luis Eduardo Aguirre; VEIGA, Oscar; VALCARCE-TORRENTE, Manel; ROMERO-CABALLERO, Alejandro. Fitness trends from around the globe. ACSM's Health & Fitness Journal, Hagerstown, v. 26, n. 1, p. 21-37, 2022. Disponível em: https://journals.lww.com/acsm-healthfitness/fulltext/2021/01000/fitness_trends_from_around_the_globe.7.aspx. Acesso em: 30 mar. 2023.

LEITE, Marcelo Alencar; MEDEIROS, Normandia; IWAMOTO, Thiago; DEVIDE, Fabiano; FILGUEIRA, Dulce. A temática gênero na licenciatura em Educação Física: discussões acerca da formação inicial. Motrivivência, Florianópolis, v. 34, n. 65, p. 1-18, 2022.

Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/84292/51103. Acesso em: 30 mar. 2023.

LESSA, Patricia; FURLAN, Cassia Cristina; CAPELARI, Julia Bellini. Pedagogia do corpo e construção do gênero na prática de musculação em academias. Motrivivência, Florianópolis, v. 23, n. 37, p. 41-50, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2011v23n37p41/21754. Acesso em: 30 mar. 2023.

LOPES, Felipe Tavares Paes. Bourdieu e Goffman: um ensaio sobre os pontos comuns e as fissuras que unem e separam ambos os autores a partir da perspectiva do primeiro. Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 389-407, 2009. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/epp/v9n2/v9n2a09.pdf. Acesso em: 30 mar. 2023.

MAGUIRE, Jennifer Smith. Fit for consumption: sociology and the business of fitness. London: Routledge, 2007.

MALYSSE, Stéphane. Em busca dos (h)alteres-ego: olhares franceses nos bastidores da corpolatria carioca. In: GOLDENBERG, Mirian. Nu & Vestido: dez antropólogos revelam a cultura do corpo carioca. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 2007. p. 79-137.

MARKULA, Pirkko. “Tuningintoone’s self”: Foucault’s Technologies of the self and mindful fitness. Sociologyof Sport Journal, Champaign, v. 21, n. 3, p. 302-321, 2004.

OLIVEIRA, Myllena Camargo de; JAEGER, Angelita Alice. Equidade de gênero na formação docente em Educação Física. Revista Contexto & Educação, Ijuí, v. 37, n. 118, e12725, 2022. Disponível em: https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/view/12725. Acesso em: 30 mar. 2023.

OLIVEIRA JÚNIOR, Edyr Batista de. “Cada um sabe do seu próprio corpo”: masculinidades, projetos corporais e treinos. 2017. 246 f. Tese (Doutorado em Antropologia)– Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Pará, Belém, 2017.

PARKER, Richard. Cultura, economia política e construção social da sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 125-150.

PEREIRA, Erik Giuseppe Barbosa. As setorizações de gênero em um espaço de musculação do subúrbio do Rio de Janeiro. In: SILVA, Alan Camargo. Corpo e práticas corporais em academias de ginástica. Curitiba: Bagai, 2022. p. 123-132.

PINHEIRO, Maria Rosângela Dias; CAMINHA, Iraquitan de Oliveira. Assédio sexual em mulheres praticantes de musculação: impactos no seu cotidiano. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 25, e200819, 2021. Disponível em: https://www.scielo.br/j/icse/a/Sbjy6xw3BkXJRdVsfrxCK4K/?lang=pt#. Acesso em: 30 mar. 2023.

PINHEIRO, Maria Rosângela Dias; CAMINHA, Iraquitan de Oliveira. Mulheres praticantes de musculação e assédio sexual: uma análise das narrativas. Pensar a Prática, Goiânia, v. 25, e68019, 2022. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fef/article/view/68019/38374. Acesso em: 30 mar. 2023.

RODRÍGUEZ, Francisco Javier Cortazar. Sobreviviendo a la pandemia. Estratégias de gimnasios frente alôs efectos del Covid-19. In: SILVA, Alan Camargo. Corpo e práticas corporais em academias de ginástica. Curitiba: Bagai, 2022. p. 201-216.

SANTOS, Sandra Ferreira dos; SALLES, Adilson Dias. Antropologia de uma academia de musculação: um olhar sobre o corpo e um espaço de representação social. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, v. 23, n. 2, p. 87-102, 2009. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/16713/18426. Acesso em: 30 mar. 2023.

SANTOS, Victor Cesar Belloni dos; PRADO, Vagner Matias do; FRANCISCO, Marcos Vinicius. “Tá monstrão”! A construção da masculinidade em uma academia de musculação. Revista Latino-americana de Geografia e Gênero, Ponta Grossa, v. 12, n. 1, p. 34-53, 2021. Disponível em: http://www.sies.uem.br/trabalhos/2017/3185.pdf. Acesso em: 30 mar. 2023.

SCHWANDT, Thomas. Três posturas epistemológicas para a investigação qualitativa: interpretativismo, hermenêutica e construcionismo social. In: DENZIN, Norman; LINCOLN, Yvonna. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006.p. 193-217.

SILVA, Alan Camargo. Corpo e práticas corporais em academias de ginástica. Curitiba: Bagai, 2022. p. 5-8.

SILVA, Alan Camargo. Uma etnografia encarnada: imagens e identidades corporais de um pesquisador em uma academia de ginástica. In: FERREIRA, Jaqueline; BRANDÃO, Elaine Reis. Reflexividade na pesquisa antropológica em saúde: desafios e contribuições para a formação de novos pesquisadores. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2021. p. 183-207.

SILVA, Alan Camargo; FERREIRA, Jaqueline. Homens no “limite” das dores na musculação de uma academia de ginástica de bairro popular: uma etnografia sobre formas plurais de expressão da masculinidade. Movimento, Porto Alegre, v. 22, n. 1, p. 89-98, 2016.

SILVA, Alan Camargo; FERREIRA, Jaqueline. Marombeiros e marombeiras em duas academias de ginástica cariocas: dores e usos do corpo sob a ótica das intersecções de gênero e de classe social. Esporte e Sociedade, Niterói, v. 13, n. 31, p. 1-26, 2018.

SILVA, Alan Camargo; FERREIRA, Jaqueline. Rituais de iniciação à dor entre homens na musculação: etnografia de uma academia de ginástica. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 28, n. 2, p. 160-173, 2019.

SILVA, Alan Camargo; FERREIRA, Jaqueline. Evolução das academias de ginástica no Brasil e sua relação com a saúde. Lecturas: Educación Física y Deportes, Buenos Aires, v. 24, n. 262, 2020a. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efdeportes/index.php/EFDeportes/article/view/1897/1162. Acesso em: 17 jan. 2023.

SILVA, Alan Camargo; FERREIRA, Jaqueline. “Homens bombados e embalados”: masculinidades e músicas sobre anabolizantes em uma academia de ginástica. Lecturas: Educación Física y Deportes, Buenos Aires, v. 25, n. 267, 2020b. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efdeportes/index.php/EFDeportes/article/download/2099/1266?inline=1. Acesso em: 17 jan. 2023.

VOTRE, Sebastião Josué; VIGNE, Joana Angélica; LACERDA, Yara. Mulheres da Rocinha: relações entre corpo, identidade e trabalho. Movimento, Porto Alegre, v. 14, n. 3, p. 53-69, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/Movimento/article/view/2550/4513. Acesso em: 30 mar. 2023.

WEEKS, Jeffrey. O corpo e a sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado:pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 24-59.

WHYTE, William Foote. Sociedade de esquina: a estrutura social de uma área urbana e degradada. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Conexões

Downloads

Não há dados estatísticos.