Banner Portal
A criminalização dos Capoeiras
capa 2023 com foto das primeiras edições da revista impressas
PDF

Palavras-chave

Capoeira
Criminologia
Negros
Resistência
Sociologia - Esportes

Como Citar

SANTOS, Womualy Gonzaga dos. A criminalização dos Capoeiras. Conexões, Campinas, SP, v. 21, n. 00, p. e023038, 2024. DOI: 10.20396/conex.v21i00.8674386. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8674386. Acesso em: 22 maio. 2024.

Resumo

Objetivo: Compreender o processo de criminalização do corpo negro a partir das maltas de capoeiras, a fim de contribuir para o combate à naturalização de sua marginalidade. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, exploratória e descritiva, a partir do método materialista histórico-dialético, com o intuito de investigar as múltiplas determinações em que os negros estavam imersos, buscando entender a síntese e as contradições das concepções que o criminalizaram. Resultados e discussão: Encontrou-se que a criminalização do negro capoeira se deu em um contexto ampliado de criminalização do negro, com o objetivo de controle social e regulação do corpo do trabalhador negro no Brasil, em um projeto de disciplinação. Conclusão: Conclui-se que o conhecimento dos conflitos em que os grupos organizados de capoeiras estavam incluídos remetiam à luta de classes empreendidas por estes contra o colonialismo escravista no Brasil sendo importante entender tais conflitos para refutar visões racistas de um corpo negro “naturalmente propenso ao crime e à vadiagem”, como ainda atualmente é observado em parte da bibliografia que analisa o negro Capoeira.

https://doi.org/10.20396/conex.v21i00.8674386
PDF

Referências

AMORIM, Thiago Rodrigues. Registros pictóricos: refletindo sobre a capoeira na primeira metade do século XIX. Revista Do Colóquio, v. 8, n. 16, p. 10–22, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/colartes/article/view/21895. Acesso em: 01 jun. 2023.

AMADO, Filipe. Abre a roda minha gente que o batuque é diferente: tiririca, capoeira e samba em São Paulo, 1900-1970. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Estudos Brasileiros, Universidade de São Paulo, 2019.

AMADO, Filipe. Capoeira: a principal cultura negra do século XIX. 1 vídeo (11min15). 30 set. 2020. Publicado pelo canal História, Capoeira e Samba. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=yhj2dz4cWVM. Acesso em: 01 jun. 2023.

AMADO, Filipe. Maltas de capoeira e o primeiro livro sobre capoeiragem. 1 vídeo (15min57). 7 mar. 2021. Publicado pelo canal História, Capoeira e Samba. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=bDSOwxFHQaE. Acesso em 01 jun. 2023.

BASTIDE, Roger; FERNANDES, Florestan. Brancos e Negros em São Paulo: Ensaio sociológico sobre aspectos da formação, manifestações atuais e efeitos do preconceito de cor na sociedade paulistana. 4. ed. rev. São Paulo: Global, 2008.

CERQUEIRA, Daniel. Atlas da Violência 2021 — São Paulo: FBSP, 2021. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/arquivos/artigos/5141-atlasdaviolencia2021completo.pdf. Acesso em 01 jun. 2023.

COSTA, Neuber Leite. Capoeira, trabalho e educação. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, 2007.

CUNHA, Pedro Figueiredo Alves da. Capoeiras e Valentões na História de São Paulo (1830–1930). Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011a.

CUNHA, Pedro Figueiredo Alves da. Capoeiras e Valentões em São Paulo: Medo e perseguição no pós-abolição. Anais... SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA – ANPUH, 26. São Paulo, julho, 2011b.

ENGELS, Friedrich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. Tradução: B. A. Schumann. São Paulo: Boitempo, 2010.

FALCÃO, José Luiz Cirqueira. O jogo da capoeira em jogo e a construção da práxis capoeirana. 2004. 408 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2004.

GIL, Antonio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HALL, Gwendolyn Midlo. Escravidão e etnias africanas nas américas: restaurando os elos; tradução de Fábio Ribeiro. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

LEAL, Luiz Augusto Pinheiro. Capoeira, Boi-Bumbá e Política no Pará Republicano (1889-1906). Afro-Ásia, v. 32, p. 241-269, 2005. Disponível em: https://doi.org/10.9771/aa.v0i32.21094. Acesso em: 01 jun. 2023.

LOVEJOY, Paul. Escravidão na África: uma história de suas transformações. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. Tradução e introdução de Florestan Fernandes. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MARX, Karl. O 18 Brumário de Luís Bonaparte. Tradução: Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, Karl. O Capital – Livro I – O processo de produção do capital. Tradução: Rubens Enderle. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2017.

MOURA, Clóvis. O racismo como arma ideológica de dominação. Revista Princípios, São Paulo, v. 34, 1994, p. 28-38.

MOURA, Clóvis. Sociologia do Negro Brasileiro. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 2019.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da Senzala: Quilombos, insurreições, guerrilhas. 6. ed. São Paulo, SP: Anita Garibaldi, 2020.

PACHUKANIS, Evgeni. Teoria Geral do Direito e Marxismo. São Paulo: Boitempo, 2017

PEREIRA, Roberto Augusto A. Marinheiros, Moleques e Heróis: Alguns personagens da Capoeira do Maranhão de fins do século XIX (1880-1900). Afro-Ásia, v. 58, p. 51-76, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.9771/aa.v0i58.22572. Acesso em: 01 jun. 2023.

PIRES, Antônio Liberac Cardoso Simões. A Capoeira no Jogo das Cores: Criminalidade, Cultura e Racismo na cidade do Rio de Janeiro (1890-1937). 1996. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1996.

REIS, João José. Ganhadores: a greve negra de 1857 na Bahia. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

REIS, João José; GOMES, Flávio dos Santos. Revoltas escravas no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2021.

SOARES, Carlos Eugênio Líbano. A negregada instituição: os capoeiras no Rio de Janeiro 1850-1890. 1993. 2v. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

SOARES, Carlos Eugênio Líbano. A capoeira escrava no Rio de Janeiro (1808-1850). 1998. Tese (Doutorado em História) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998a.

SOARES, Carlos Eugênio Líbano. A capoeiragem baiana na Corte Imperial (1863-1890). Afro-Ásia, Salvador, n. 21-22, 1998b. Disponível em: https://doi.org/10.9771/aa.v0i21-22.20966. Acesso em: 01 jun. 2023.

SOARES, Carlos Eugênio Líbano. A capoeira escrava e outras tradições rebeldes no Rio de Janeiro, 1808-1850. 2. ed. Campinas, Ed. da Unicamp, 2004.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Conexões

Downloads

Não há dados estatísticos.