Banner Portal
Investimento público no Brasil e suas relações com ciclo econômico e regime fiscal
PDF

Palavras-chave

Investimento público
Multiplicador fiscal
Regime fiscal

Como Citar

ORAIR, Rodrigo Octávio; SIQUEIRA, Fernando de Faria. Investimento público no Brasil e suas relações com ciclo econômico e regime fiscal. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 27, n. 3, p. 939–969, 2019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8657079. Acesso em: 21 jun. 2024.

Resumo

O artigo analisa a trajetória dos investimentos públicos na economia brasileira e suas relações com ciclo econômico e regime fiscal. A abordagem de Auerbach e Gorodnichenko (2012) é utilizada para estimar multiplicadores fiscais que variam conforme o ciclo econômico. Os multiplicadores do investimento público estimados para o Brasil podem alcançar valores elevados em recessões (superiores a 2) e muito mais baixos nas expansões (no máximo 0,8). Estes resultados dão subsídios ao uso do investimento público como instrumento de política anticíclica e também indicam que sua retração em conjunturas de crise econômica como em 2015 tem fortes repercussões negativas. Por fim, o artigo explora os fatores por trás da inflexão para uma trajetória de queda da taxa de investimentos a partir de 2011, com destaque para o papel do regime fiscal.

PDF

Referências

AFONSO, J. R.; BIASOTO JÚNIOR, G. Investimento público no Brasil: diagnósticos e proposições. Revista do BNDES, v. 14, n. 27, p. 71-122, jun. 2007. Disponível em: http://goo.gl/6tTjS9.

AUERBACH, A. J.; GORODNICHENKO, Y. Fiscal multipliers in recession and expansion. National Bureau of Economic Research, Inc, 2011. (NBER Working Papers).

AUERBACH, A. J.; GORODNICHENKO, Y. Measuring the output responses to fiscal policy. American Economic Journal: Economic Policy, v. 4, n. 2, p. 1-27, 2012.

AFONSO, J. R.; GOBETTI, S. W. Impactos das reformas tributárias e dos gastos públicos sobre o crescimento e os investimentos: o caso do Brasil. Santiago de Chile: Cepal, 2015. (Série Macroeconomia do Desenvolvimento, n. 167).

AFONSO, J. R.; VILMA, C. P.; FAJARDO, B. Dilemas do investimento público brasileiro: como salvar o futuro? Ensaios IBRE, Rio de Janeiro, 2015.

ALMEIDA, M. O paradoxo do investimento público no Brasil. Brasília: Ipea, 2009. (Nota Técnica).

BAUM, A.; POPLAWSKI-RIBEIRO, M.; WEBER, A. Fiscal Multipliers and the State of the Economy. International Monetary Fund, 2012. (IMF Working Papers).

BLANCHARD, O.; PEROTTI, R. An empirical characterization of the dynamic effects of changes in government spending and taxes on output. The Quarterly Journal of Economics, v. 117, n. 4, p. 1329-1368, 2002.

BIELSCHOWSKY, R. Investimento e reformas no Brasil: indústria e infraestrutura nos anos 1990. Brasília: Cepal; Ipea, 2002.

BLANCHARD, O.; GIAVAZZI, F. Improving the SGP through a proper accounting of public investment. London: Centre for Economic Policy Research, 2004. (CEPR Discussion Paper, n. 4220).

CALDERÓN, C.; EASTERLY, W.; SERVÉN, L. Latin America’s infrastructure in the era of macroeconomic crises. In: EASTERLY, W.; SERVÉN, L. (Ed.). The limits of stabilization: infrastructure, public deficits, and growth in Latin America. Stanford: Stanford University Press, 2003. p. 21-94.

CÂNDIDO JÚNIOR, J. O. Efeitos do investimento público sobre o produto e a produtividade: uma análise empírica. Brasília: Ipea, 2006. (Texto para Discussão, n. 1204).

CASTELO-BRANCO, M. A.; LIMA, E. C. R.; PAULA, L. F. Mudanças de regime e multiplicadores fiscais no Brasil entre 1999-2012: uma avaliação empírica. In: ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA, 43. Anais... Florianópolis: Anpec, 2015.

CERQUEIRA, B. S. Política fiscal, demanda agregada, crescimento e crise: o investimento federal e o investimento da Petrobras no período 2003-2015. Rio de Janeiro: IE/UFRJ, 2016. (Texto para Discussão, n. 27).

CORSETTI, G.; MEIER, A.; MLLER, G. J. What determines government spending multipliers? Economic Policy, v. 27, n. 72, p. 521-565, 2012.

COS, P. H. de; MORAL-BENITO, E. Fiscal multipliers in turbulent times: the case of Spain. Banco de España, 2013. (Working Papers).

FERREIRA, P. Investimento em infraestrutura no Brasil: fatos estilizados e relações de longo prazo. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 26, n. 2, 1996.

GOBETTI, S. W. Regras fiscais no Brasil e na Europa: um estudo comparativo e propositivo. Brasília: Ipea, 2014. (Texto para Discussão, n. 2018).

GOBETTI, S. W.; ORAIR, R. O. Flexibilização fiscal: novas evidências e desafios. Revista de Economia Contemporânea, v. 19, n. 3, p. 417-447, dez. 2015.

ILZETZKI, E.; MENDOZA, E. G.; VGH, C. A. How big (small?) are fiscal multipliers? Journal of Monetary Economics, v. 60, n. 2, p. 239-254, 2013.

KIRCHNER, M.; CIMADOMO, J.; HAUPTMEIER, S. Transmission of government spending shocks in the euro area: time variation and driving forces. European Central Bank, 2010. (Working Paper Series).

MINTZ, J.; SMART, M. Incentives for public investment under fiscal rules. New York: Banco Mundial, 2006. (Policy Research Working Paper, n. 3860).

MORA, M. Evolução recente da dívida estadual. Brasília: Ipea, 2016. (Texto para Discussão, n. 2016).

ORAIR, R. O. A dinâmica recente dos gastos públicos brasileiros (III): a retomada do investimento público no Brasil e os desafios do padrão de financiamento. In: SANTOS, C. H.;

GOUVÊA, R. (Org.). Finanças públicas e macroeconomia no Brasil: um registro da reflexão do Ipea (2008-2014). Brasília: Ipea, 2014. v. 2. p. 89-110.

ORAIR, R. O. Desonerações em alta com rigidez da carga tributária: o que explica o paradoxo do decênio 2005-2014? Brasília: Ipea, 2015. (Texto para Discussão, n. 2117).

ORAIR, R. O. Investimento público no Brasil: trajetória e relações com o regime fiscal. Brasília: Ipea, 2016. (Texto para Discussão, n. 2215).

ORAIR, R. O.; GOBETTI, S. Retomada do investimento público federal no Brasil e a política fiscal: em busca de um novo paradigma. In: CARDOSO JÚNIOR, J. C. (Org.). Brasil em desenvolvimento 2010: Estado, planejamento e políticas públicas. Brasília: Ipea, 2010. v. 1. p. 113-139.

ORAIR, R. O.; GOBETTI, S. W.; ALENCAR, A. A.; MARCELO, J. Fiscal condition of the public sector in Brazil: an analysis with an emphasis on the states in the Northand Northeast regions of the country and on financing for rural development. Brasília: IPC-IG, Apr. 2016. (Working Paper, n. 140).

ORAIR, R. O.; GOBETTI, S. W.; LEAL, E. M.; SILVA, W. J. Carga tributária brasileira: estimação e análise dos determinantes da evolução recente – 2002/2012. Brasília-DF: Ipea, 2013. (Texto para discussão, n. 1875).

ORAIR, R. O.; GOUVÊA, R. R.; LEAL, E. Ciclos políticos eleitorais e investimentos das administrações públicas no Brasil. Brasília: Ipea, 2014. (Texto para Discussão, n. 1999).

PÊGO FILHO, B.; CAMPOS NETO, C. A. da S. (Org.). Infraestrutura econômica no Brasil: diagnósticos e perspectivas para 2025. Brasília: Ipea, 2010. v. 1.

PÊGO FILHO, B.; CÂNDIDO JÚNIOR, J. O.; PEREIRA, F. Investimento e financiamento da infraestrutura no Brasil: 1990/2002. Brasília: Ipea, 1999. (Texto para Discussão, n. 680).

PIRES, M. Controvérsias recentes sobre multiplicadores fiscais. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DA ASSOCIAÇÃO KEYNESIANA BRASILEIRA, 7. Anais... São Paulo: AKB, 2011. PIRES, M. Política fiscal e ciclos econômicos no Brasil. Economia Aplicada, v. 18, n. 1, p. 69-90, jan./mar. 2014.

SCHAECHTER, A.; KINDA, T.; BUDINA, N. T.; WEBER, A. Fiscal rules in response to the crisis-toward the next-generation rules: a new dataset. New York: Fundo Monetário Internacional, 2012. (Working Paper, n. 12/187).

SCHETTINI, B. et al. Balanço estrutural e impulso fiscal: uma aplicação para o Brasil (19972010). Brasília: Ipea, 2011. (Texto para Discussão, n. 1650).

SERVÉN, L. Fiscal rules, public investment, and growth. New York: Banco Mundial, 2007. (Policy Research Working Paper, n. 4382).

WARNER, A. M. Public investment as an engine of growth. Washington: IMF, Aug. 2014. (IMF Working Paper, n. 148).

WOODFORD, M. Simple analytics of the government expenditure multiplier. American Economic Journal: Macroeconomics, v. 3, n. 1, p. 1-35, 2011.

A Economia e Sociedade utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.