Influência do Programa Bolsa Família na alocação de recursos

uma análise considerando a presença de mulheres no domicílio

Autores

Palavras-chave:

Consumo intradomiciliar, Programas de transferência de renda, Políticas públicas, Alocação da renda, Parcelas de dispêndio

Resumo

O Programa Bolsa Família (PBF) é o principal programa de transferência de renda do Brasil e representa um incremento de renda nos domicílios, que alocam esses recursos entre diversas categorias de consumo. O objetivo deste trabalho foi identificar em que medida o PBF alterou o valor do dispêndio em cada categoria e as parcelas de dispêndio. Foram utilizadas as Pesquisas de Orçamentos Familiares (POFs) de 2002-2003 e de 2008-2009 e os métodos Propensity Score Matching (PSM), Diferenças em Diferenças e Seemingly Unrelated Regressions (SUR). Os resultados indicaram maior impacto do PBF sobre alimentação e habitação, tanto em termos absolutos como em relativos. Contudo, o efeito sobre alimentação foi surpreendentemente negativo, enquanto o impacto sobre habitação foi positivo. Foi possível concluir que destinar renda preferencialmente às mulheres não afeta o consumo de fumo. Além disso, nos domicílios em que as mulheres têm total autonomia para alocar a renda do PBF, o impacto do acréscimo da renda foi maior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mirian Aparecida Rocha, Universidade Federal de Viçosa

Doutora em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa.

Leonardo Bornacki de Mattos , Universidade Federal de Viçosa

Professor do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa.

Alexandre Bragança Coelho, Universidade Federal de Viçosa

Professor do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa.

Referências

ALTONJI, J. et al. Is the extended family altruistically linked? Direct tests using micro data. Cambridge, Mass: National Bureau of Economic Research, 1993. (Working Paper, n. 3046).

ANGELUCCI, M.; ATTANASIO, O. (). The demand for food of poor urban Mexican households: understanding policy impacts using structural models. American Economic Journal: Economic Policy, v. 5, n. 1, p. 146-205, 2013.

ANGRIST, J.; PISCHKE, J. S. Mostly harmless econometrics: An empiricist’s companion. Princeton, NJ: Princeton University Press, 2008.

ATTANASIO, O. et al. Food and cash transfers: evidence from Colombia. The Economic Journal, v. 122, n. 559, p. 92-124, 2012.

BAPTISTELLA, J. C. Avaliação de programas sociais: uma análise do Bolsa Família sobre o consumo de alimentos. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada)–Universidade Federal de São Carlos, 2012.

BECKER, G. A theory of allocation of time. Economic Journal, v. 75, n. 299, p. 493-517, 1965.

BECKER, G. A treatise on the family. Harvard University Press, 1991.

BECKER, S. O.; ICHINO, A. Estimation of average treatment effects based on propensity scores. The Stata Journal, v. 2, n. 4, p. 358-377, 2002.

BROWNING, M. et al. Income and outcomes: a structural model of intrahousehold allocation. Journal of Political Economy, v. 102, n. 6, p. 1067-1096, 1994.

BROWNING, M. et al. Collective and unitary models: a clarification. Review of Economics of the Household, v. 4, n. 1, p. 5-14, 2006.

CHIAPPORI, P. A. Rational household labor supply. Econometrica: Journal of the Econometric Society, v. 56, n. 1, p. 63-90, 1988.
CRUZ, L. R. As portas do Programa Bolsa Família: vozes das mulheres beneficiárias do município de Santo Antonio do Pinhal/SP. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 19. Anais... São Paulo: ABEP, 2013.

DJEBBARI, H. The impact on nutrition of the intrahousehold distribution of power. Institute of Labor Economics, IZA, 2005. (Discussion Papers, n. 1701).

FAHEL, M. et al. O impacto do Bolsa Família no desempenho escolar em Belo Horizonte: spillover effect da condicionalidade-educação1. In: CONGRESO LATINOAMERICANO DE SOCIOLOGIA, 29, 2013.

FAVERO, C.; SANTOS, S. O Programa Bolsa Família e as relações de gênero e geração na agricultura familiar do semiárido do Nordeste. In: B. M. Fome. Avaliação de políticas públicas: reflexões acadêmicas sobre o desenvolvimento social e o combate à fome Brasília, DF: Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação, 2014. p. 122-147.

FERRARIO, M. N. Análise do impacto dos programas de transferência de renda sobre as despesas familiares com o consumo. Tese (Doutorado em Economia)–Universidade de São Paulo (ESALQ), 2013.

GRONAU, R. Leisure, home production, and work – the theory of allocation of time revisited. Journal of Political Economy, v. 8, n. 6, p. 1099-1123, 1977.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: despesas, rendimentos e condições de vida. Rio de Janeiro, 2010.

KHANDKER, S. R. et al. Handbook on impact evaluation: quantitative methods and practices. World Bank Publications, 2010.

MALUCCIO, J.; FLORES, R. Impact evaluation of a conditional cash transfer program: the Nicaraguan Red de Protección Social, 2004. (FNDC Discussion Paper).

MENEZES-FILHO, N. Avaliação econômica de projetos sociais. São Paulo: Dinâmica Gráfica e Editora, 2012.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME – MDS. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. 2014. Acesso em: 20 out. 2014. Disponível em: http://www.mds.gov.br/.

PHIPPS, S. A.; BURTON, P. What’s mine is yours? The influence of male and female incomes on patterns of household expenditures. Economica, v. 65, n. 160, p. 599-613, 1998.

PINHEIRO, L.; FONTOURA, N. Perfil das despesas e dos rendimentos das famílias brasileiras sob a perspectiva de gênero. In: GASTO e consumo das famílias brasileiras contemporâneas, v. 2, 2007.

ROSENBAUM, P. R.; RUBIN, D. B. Constructing a control group using multivariate matched sampling methods that incorporate the propensity score. The American Statistician, v. 39, n. 1, p. 33-38, 1985.

RUBALCAVA, L. et al. Investments, time preferences, and public transfers paid to women. Economic Development and Cultural Change, v. 57, n. 30, p. 507-538, 2009.

SANTOS, A. H. da S.. Redução da desigualdade de renda no Brasil: determinantes e consequências. Tese (Doutorado)–Universidade de Brasília, 2012.

SCHADY, N.; ROSERO, J. Are cash transfers made to women spent like other sources of income? Economic Letters, v. 101, n. 3, p. 246-248, 2008.

SILVEIRA NETO, R. Impacto do Programa Bolsa Família sobre a frequência à escola: estimativas a partir de informações da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD). In: BOLSA Família 2003-2010: avanços e desafios. Ipea, 2010.


SUÁREZ, M.; LINBARDONI, M. O impacto do Programa Bolsa Família: mudanças e continuidades na condição social das mulheres. In: AVALIAÇÃO de políticas e programas do MDS: resultados, 2007. v. 2, p. 119-162.

THOMAS, D. The distribution of income and expenditure within the household. Annales d'Economie et de Statistique, n. 29, p. 109-135, 1993.

THOMAS, D.; CHEN, C. L. Income shares and shares of income: empirical tests of models of household resource allocations. RAND, 1994.

UDRY, C. Credit markets in Northern Nigeria: credit as insurance in a rural economy. The World Bank Economic Review, v. 4, n. 3, p. 251-269, 1990.

Downloads

Publicado

2018-09-03

Como Citar

ROCHA, M. A.; MATTOS , L. B. de; COELHO, A. B. Influência do Programa Bolsa Família na alocação de recursos: uma análise considerando a presença de mulheres no domicílio. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 27, n. 3, p. 997–1028, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8657091. Acesso em: 26 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos