Inclusão interrompida? Educação Superior no Brasil no início do século 21

Autores

Palavras-chave:

Educação superior, Desigualdade, Políticas públicas, Austeridade

Resumo

O objetivo do artigo é avaliar a evolução recente do acesso da população brasileira à educação superior assim como o perfil dos estudantes tendo em vista o conjunto de políticas públicas direcionadas para a educação superior. Os dados mostram que, de 2001 a 2015, houve ampliação da representatividade dos negros, do número de estudantes em Unidades da Federação fora do eixo Sul-Sudeste-Brasília e do percentual de estudantes de renda baixa. Adicionalmente, busca-se mostrar que esse processo de inclusão pode estar ameaçado por políticas de austeridade, em especial a Emenda Constitucional 95.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Luíza Matos de Oliveira, Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe

Oficial Associada de Assuntos Econômicos da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), México, DF, México.

Marcio Pochmann, Universidade Estadual de Campinas

Professor do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, Brasil.

Pedro Rossi, Universidade Estadual de Campinas

Professor livre-docente do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ANDIFES. Conselho Pleno da Andifes manifesta preocupação com falta de investimentos para assistência estudantil 2018. Disponível em: https://goo.gl/NE9p3k Acesso em: 10 abr. 2018.

BATHMAKER, A. M.; INGRAM, N.; ABRAHAMS, J.; HOARE, A.; WALLER, R.; BRADLEY, H. Higher education, social class and social mobility: the degree generation. 2016.

BAUER, A.; ALAVARSE, O. M.; OLIVEIRA, R. P. Avaliações em larga escala: uma sistematização do debate. Educ. Pesqui, São Paulo, v. 41, n. especial, p. 1367-1382, dez. 2015.

BAUER, A.; CASSETTARI, N.; OLIVEIRA, R. P. Políticas docentes e qualidade da educação: uma revisão da literatura e indicações de política. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 25, n. 97, p. 943-970, out./dez. 2017

BRASIL DEBATE. Fundação Friedrich Ebert. Austeridade e retrocesso: impactos sociais da política fiscal no Brasil. São Paulo, 2018. Disponível em: https://goo.gl/AqAfR7 Acesso em: 9 jan. 2019.

CAMPELLO, T. Faces da desigualdade no Brasil: um olhar sobre os que ficam para trás. Clacso, Flacso e Agenda Igualdade. 2017.

CARNEIRO, R. Velhos e novos desenvolvimentismos. Economia e Sociedade, v. 21, n. 4, Número Especial, dez. 2012. Disponível em: https://goo.gl/NySV56 Acesso em: 21 jan. 2019.

CARVALHO, I. Dez anos de cota nas universidades: o que mudou? 2014. Disponível em: https://goo.gl/KN74S7 Acesso em: 3 abr. 2018.

CASTRO, J. A. Política social e desenvolvimento no Brasil. Economia e Sociedade, v. 21, n. 4, Número Especial, dez. 2012. Disponível em: https://goo.gl/NySV56 Acesso em: 21 jan. 2019.

CASTRO, J. A.; VALENTE, J.; MOSTAFA, J.; ACIOLY, L.; CALIXTRE, A.; CONRADO, R. Financiamento da educação: necessidades e possibilidades. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada-Ipea, 2011. (Comunicados do Ipea, n. 124).

CLARKE, M.; DRENNAN, J.; HYDE, A. et al. The impact of austerity on Irish higher education faculty. Higher Education, v. 75, n. 3, p. 1047-1060, 2018. Available at: https://doi-org.ez88.periodicos.capes.gov.br/10.1007/s10734-017-0184-3.

CORSEUIL, C. H. L.; POLOPONSKY, K.; FRANCA, M. A. P. Uma interpretação para a forte aceleração da taxa de desemprego entre os jovens IPEA, abr. 2018. (Nota Técnica Ipea; Mercado de Trabalho, n. 64). Disponível em: https://goo.gl/xJWSEL Acesso em: 24 jan. 2018.

COSTA, D. M.; COSTA, A. M.; AMANTE, C. J.; SILVA, C. H. P. Aspectos da reestruturação das Universidades Federais por meio do Reuni 2011. Disponível em: https://goo.gl/FfXkeU Acesso em: 24 maio 2015.

CRAIDE, S. Universidades federais dizem que só têm dinheiro para manutenção até setembro EBC Agência Brasil, 2017. Disponível em: https://goo.gl/aFFevw Acesso em: 11 abr. 2018.

DIEESE. A política de valorização do Salário Mínimo: persistir para melhorar. 2014a. Disponível em: https://goo.gl/Wv7zXT Acesso em: 22 jun. 2014.

DIEESE. Balanço das negociações dos reajustes salariais de 2013 2014b Disponível em: https://goo.gl/oJNFmF Acesso em: 14 jul. 2014.

DIEESE. Balanço das negociações dos reajustes salariais de 2017 2018. Disponível em: https://goo.gl/VPS8mT Acesso em: 24 jan. 2019.

DUBET, F. Qual democratização do ensino superior? Cad. CRH, Salvador, v. 28, n.74, maio/ago. 2015. Disponível em: https://goo.gl/mHLpkn Acesso em: 15 jan. 2019.

ENADE. Enade 2017: resultados e indicadores. 2018. Disponível em: https://goo.gl/H6WVPC Acesso em: 10 out. 2018.

FAGNANI, E.; BIANCARELLI, A.; ROSSI, P. Apresentação. Revista Política Social e Desenvolvimento, 13, 2015. A virada neoliberal do Governo Dilma. Plataforma Política Social. Disponível em: https://goo.gl/5vP9fo Acesso em: 29 dez. 2018.

FONAPRACE. IV Pesquisa do perfil socioeconômico e cultural dos estudantes de graduação das instituições federais de ensino superior brasileiras 2014. Disponível em: https://goo.gl/dyY15t Acesso em: 1 abr. 2018.

GRUPO DE TRABALHO DA SOCIEDADE CIVIL PARA AGENDA 2030. Relatório Luz da Agenda 2030 2017. Disponível em: https://goo.gl/S32d58 Acesso em: 24 jan. 2019.

GUERRA, A.; OLIVEIRA, A. L. M.; MELLO, G. S.; ROCHA, I.; JAKOBSEN, K. A.; VITAGLIANO, L. F.; TOLEDO, M. T.; RIBEIRO, P. S. C. T.; SILVA, R. A.; SILVA, R.; BOKANY, V. L.; NOZAKI, W. Brasil 2016: recessão e golpe. 1. ed. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2017a.

GUERRA, A.; SILVA, R. A.; OLIVEIRA, A. L. M. Variação da desocupação no Brasil (2016-2017): apontamentos sobre a desigualdade regional e de gênero. In: TEIXEIRA, M. O.; GALVÃO, A.; KREIN, J. D.; BIAVASCHI, M.; ALMEIDA, P. F.; ANDRADE, H. R. (Org.). Contribuição crítica à reforma trabalhista Campinas: Instituto de Economia/CESIT/Unicamp, 2017.

GUIMARÃES, R.; GUEDES, G. R.; RIOS-NETO, E. L. S. De onde vim e até onde vou: uma análise preliminar da desigualdade socioeconômica e entrada no Ensino Superior brasileiro. Cedeplar/UFMG, 2010. (Texto para Discussão, n. 414). Disponível em: https://goo.gl/s9npzf Acesso em: 4 abr. 2018

IBGE. Síntese de Indicadores Sociais 2014. Disponível em: https://goo.gl/Njqjg8 Acesso em: 23 maio 2015.

IBGE. Síntese de Indicadores Sociais. 2018. Disponível em: https://goo.gl/4umrc1 Acesso em: 24 jan. 2019.

KWIEK, M. Higher education, welfare states and austerity: pressures on competing public institutions. In: NIXON, Jon (Ed.). Higher education in austerity Europe London and New York: Bloomsbury, 2017.

MERCILLE, J.; MURPHY, E. (). The neoliberalization of Irish higher education under austerity. Critical Sociology, v. 43, n. 3, p. 371-387, 2017. Available at: https://doi.org/10.1177/0896920515607074.

MOSCOWITZ, D.; JETT, T.; CARNEY, T.; LEECH, T.; SAVAGE, A. Diversity in times of austerity: documenting resistance in the academy. Journal of Gender Studies, v. 23, n. 3), p. 233-246, 2014. Doi: 10.1080/09589236.2014.913976. Available at: http://digitalcommons.butler.edu/facsch_papers/407.

OIT. As boas práticas brasileiras em seguridade social: a Previdência Social brasileira. 2014. Disponível em: https://goo.gl/kZ4DP2 Acesso em: 14 jul. 2014.

OLIVEIRA, A. L. M. Educação Superior brasileira no início do século XXI: inclusão interrompida? Tese (Doutorado)–IE. Unicamp, 2019.

OLIVEIRA, A. L. M. Perfil dos estudantes de graduação entre 2001 e 2015: uma revisão. Revista da Avaliação da Educação Superior, v. 26, p. 237-252, 2021.

OXFAM. Equilibre o jogo! É hora de acabar com a desigualdade extrema. 2014.

OXFAM. País estagnado: um retrato das desigualdades brasileiras. 2018.

O’MALLEY, S. G. Austerity blues: fighting for the soul of public higher education by Michael Fabricant and Steve Brier. Radical Teacher, v. 108, n. 1, p. 45-48. 2017. Doi: https://doi.org/10.5195/rt.2017.383.

PNUD. Human Development Report 2014.

PNUD. Brasil mantém tendência de avanço no desenvolvimento humano, mas desigualdades persistem 2018.

POCHMANN, M. Nova classe média? O trabalho na base da pirâmide social brasileira. São Paulo: Boitempo, 2012.

REAY, D. Working class educational transitions to university: the limits of success. European Journal of Education, v. 53, n. 4, p. 528-540, 2018.

RISTOFF, D. O novo perfil do campus brasileiro: uma análise do perfil socioeconômico do estudante de graduação. 2014. Disponível em: https://goo.gl/iN749G Acesso em: 14 jan. 2019.

ROSSI, P.; DWECK, E.; OLIVEIRA, A. L. M. (Org.). Economia para poucos: impactos sociais da austeridade e alternativas para o Brasil. 1. ed. São Paulo: Autonomia Literária, 2018. 372p.

ROSSI, P.; MELLO, G. Choque recessivo e a maior crise da história: a economia brasileira em marcha ré. Campinas: CECON/IE/Unicamp, 2017. (Nota de Conjuntura, n. 1).

ROSSI, P.; OLIVEIRA, A. L. M.; ARANTES, F. Austeridade e impactos no Brasil: ajuste fiscal, teto de gastos e o financiamento da educação pública. Análise, Friedrich Ebert Stiftung, n. 33, 2017. Disponível em: https://goo.gl/FSHbif Acesso em: 11 abr. 2018.

SGUISSARDI, V. Educação superior no Brasil. 2015. Disponível em: https://goo.gl/nBHxdE Acesso em: 26 nov. 2018.

VIEIRA, D. J. Desenvolvimento regional, C&T e ensino superior: notas sobre o contexto recente do Brasil e da Bahia. Bahia Análise & Dados, v. 26, n. 1, 2016.

WALLER, R.; INGRAM, N.; WARD, M. R. (Ed.). Higher education and social inequalities: University admissions, experiences, and outcomes. 2017.

Downloads

Publicado

2022-08-19

Como Citar

OLIVEIRA, A. L. M. de .; POCHMANN, M. .; ROSSI, P. . Inclusão interrompida? Educação Superior no Brasil no início do século 21. Economia e Sociedade, Campinas, SP, v. 31, n. 2, p. 417–437, 2022. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/ecos/article/view/8670773. Acesso em: 5 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos