Construções adjetivais e participais em Caxinauá (PANO)

Autores

  • Eliane Camargo Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/liames.v3i1.1412

Palavras-chave:

Família pano. Lingua kaxinawa. Categorias gramaticais. Sintagma nominal. Sintagma adjetivo.

Resumo

O objeto deste estudo são as construções adjetivas, marcadas ou não por modificadores (adjetivizadores, morfema de valor participial). Nesta língua, a classe dos adjetivos apresenta lexemas plenos que mostram um valor adjetival extrínseco. Muitos desses lexemas plenos recorrem, com freqüência, ao adjetivizador {-ta}pa, com o qual atribui uma propriedade ao elemento determinado. Um outro processo derivacional bastante produtivo na língua é o uso do sufixo -ja. Este morfema, associado a um nome, expressa um valor participial, atribuindo um estado ao elemento determinado: ain ‘esposa’ > ain-ja ‘estar casado’. Com este sufixo, constroem-se ainda nomes de agente, ao quais atribuem-se propriedades ao elemento determinado: huni bin-ja (homem / seringa-particípio) ‘seringueiro’ (lit. aquele que é caracterizado por possuir a propriedade de conhecer a ‘seringa’). O elemento determinado ocupa a posição inicial do sintagma nominal (bimi bata //fruta / doce// ‘fruta doce’), porém este sintagma pode ocupar a posição de predicado, quando valores aspecto-temporais  ssociam ao elemento determinante modificado ou não por um adjetivizador ou particípio, como ilustra a construção marcada por - ja: ain-ja-mis (esposarparticípio-evento) ‘ele continua casado’. Este texto apresenta diferentes processos derivacionais construidores desses / predicados adjetivais e participais, levando em conta a situação enunciativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Camargo, Universidade de São Paulo

Possui graduação em - Universite de Paris III (Sorbonne-Nouvelle) (1984), mestrado em - Universite de Paris III (Sorbonne-Nouvelle) (1986) e doutorado em Lingüística hispânica - Universite de Paris IV (Paris-Sorbonne, bolsista do cnpq) (1992). Pós-doutorado no Departamento de Antropologia Social.

Referências

AGUIAR, M. S. (1988). Elementos de descrição sintática para uma gramática do Katukina. Dissertação de Mestrado em Lingüística. Campinas: UNICAMP.

CAMARGO, E. (2003). Classes lexicales: frontière peu tranchée en caxinauá. Faits de Langues 2: 25-39. Méso-Amérique, Caraïbes, Amazonie. Paris: Ophrys. Recebido: 01/10/2003 Aceito: 17/12/2003

COSTA, R. (1992). Padrões Rítmicos e Marcação de Caso em Marubo (Pano). Dissertação de Mestrado em Lingüística. Rio de Janeiro: UFRJ.

COSTA, R. (1994). Manifestaciones de la ergatividad en marubo (Pano). Actas de las II Jornadas Lingüísticas Aborigen, p. 205-223. Buenos Aires: UBA.

CARVALHO, C. (1992). A decodificação da estrutura frasal em matsés (pano). Dissertação de Mestrado em Lingüística. Rio de Janeiro: UFRJ.

d’ANS, A.- M. & MONDRAGÓN, M. C. (1973). Términos de colores Cashinahua (Pano). Documento de Trabalho 16. Lima: Centro de Investigación de Lingüística Aplicada, Universidad Nacional Mayor de San Marcos.

FLECK, D. W. (2003). A Grammar of Matses. Ph.D. Dissertation in Linguistics. Houston: Rice University.

ITIER, C. (1997). Parlons Quechua. Paris:L’Harmattan.

POTTIER, B. (1974). Linguistique générale. Théorie et description. Paris: Klincksieck.

SHELL, O. (1985) [1975]. Las lenguas pano y su reconstrucción. Série Lingüística Peruana 12. Estudios Panos III. Yarinacocha, Peru: ILV.

TAYLOR, G. (1981). Énoncé exprimant la possession et l’obligation en quechua, Amerindia 6: 85-94. Paris: AEA.

TAYLOR, G. (1996). Les particules modales en quéchua. In Zlatka Guentchéva (ed.). Énonciation médiatisée. Bibliothèque de l’Information Grammaticale, p. 259-269. Louvain/Paris: Peeters.

Downloads

Publicado

2012-03-15

Como Citar

CAMARGO, E. Construções adjetivais e participais em Caxinauá (PANO). LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, Campinas, SP, v. 3, n. 1, p. 39–51, 2012. DOI: 10.20396/liames.v3i1.1412. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/liames/article/view/1412. Acesso em: 26 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos