Banner Portal
Tempo, aspecto e modo em Boróro
PDF

Palavras-chave

Língua bororo. Tempo. Aspecto. Modo. Clíticos.

Como Citar

VIANA, Adriana Maria Soares. Tempo, aspecto e modo em Boróro. LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, Campinas, SP, v. 4, n. 1, p. 171–182, 2012. DOI: 10.20396/liames.v4i1.1434. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/liames/article/view/1434. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

Este trabalho inicia uma discussão sobre a análise dos morfemas que expressam tempo, aspecto e modo na língua Boróro, tratados como sufixos por Crowell (1979). Apresentamos algumas evidências que questionam essa análise e levam a uma outra perspectiva, que considera esses elementos não como sufixos, mas como clíticos. O principal argumento em favor dessa análise é o fato de esses elementos não selecionarem de maneira rígida as categorias gramaticais às quais se ligam, podendo estar ligados a nomes, a verbos, a pronomes e ao que Crowell chama de adjetivos. Outro argumento é o fato de a relação que tais elementos estabelecem com as raízes a que se ligam ser de natureza mais sintática que morfológica.
https://doi.org/10.20396/liames.v4i1.1434
PDF

Referências

ALBISETTI, César & VENTURELLI, (1962) ngelo Jaime. Enciclopédia Boróro. Campo Grande, Museu Regional Dom Bosco.

ANDERSON, Stephen R. (1985) “Inflectional morphology”. In: SHOPEN, Timothy (org). Language typology and syntatic description (volume 1). Cambridge University Press.

COLBACCHINI, Antonio & ALBISETTI, César. (1942). Os Boróros orientais orarimogodogue do planalto oriental de Mato Grosso. São Paulo, Brasiliana.

CROWELL, Thomas H. (1977). “The Phonology of Boróro verb, posposition and noum paradigms”. In: Arquivos de Anatomia e Antropologia 159-178.

CROWELL, Thomas H. (1979) A Grammar of Bororo. Cornell University, tese de doutorado, ms.

HUESTIS, George. (1963). “Bororo clause structure” In: IJAL 29: 3, 230-238.

NEGRÃO, Esmeralda Vailati. (1999) O Português Brasileiro: Uma língua voltada para o discurso. Tese de livre docência, São Paulo, USP.

RODRIGUES, Aryon D. (1962). (Comparação das línguas Umutína e Boróro) in SCHULTZ, Harald. Informações etnográficas sobre os Umutína, In: Revista do Museu Paulista, s/n, vol. 13, São Paulo, pp. 99-108.

RODRIGUES, Aryon D. (1986) Línguas brasileiras: para o conhecimento das línguas indígenas. São Paulo: Loyola.

RODRIGUES, Aryon D. (2000) “Flexão relacional no tronco lingüístico Macro-Jê” In: SOARES, Maria Elias (org) Boletim da ABRALIN, no 25, pp. 219-231.

RONDON, Cândido Mariano da Silva & FARIA, João Barbosa de (1948), Esboço gramatical e vocabulário da língua dos índios Boróro. Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Proteção oas Índios.

SCHACHTER, Paul. (1985). “Part-of-speech systems” In: SHOPEN, Timothy (org.). Language typology and syntatic description (volume 1). Cambridge University Press.

SHOPEN, Timothy (editor). Language typology and syntatic description (volume 1). Cambridge University Press.

ZWICKY, Arnold & PULLUM, Geoffrey. (1993). “Clitization vs. Inflection: English n ́t”. Language 59: 502-513.

ZWICKY, Arnold. (1977) “On Clitics”. Bloomington, Indiana University Linguistcs Club. (1985) Clitics and particles. Language 61: 2.

A LIAMES: Línguas Indígenas Americanas utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Os artigos e demais trabalhos publicados na LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, publicação de acesso aberto, passa a seguir os princípios da licença do Creative Commons. Uma nova publicação do mesmo texto, de iniciativa de seu autor ou de terceiros, fica sujeita à expressa menção da precedência de sua publicação neste periódico, citando-se a edição e a data desta publicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.