Navegantes do Solimões

a emergência de sinais Omágua-Kambeba à luz da análise de discurso crítica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/liames.v22i00.8667953

Palavras-chave:

Sinais emergentes, Indígenas surdos, Omágua-Kambeba, Discurso

Resumo

As pesquisas com línguas de sinais indígenas têm crescido significativamente no Brasil nos últimos anos, demonstrando a urgência de um olhar científico reflexivo e sistematizado para essas pessoas e para a valorização de suas línguas. Nesse contexto, essa pesquisa tem como objetivo analisar a constituição dos sinais emergentes de surdos indígenas do povo Omágua-Kambeba do município de São Paulo de Olivença, localizado na Mesorregião do Alto Solimões, no estado do Amazonas, bem como o impacto desses sinais nas práticas discursivas e sociais. Para isso serão utilizados estudos de teóricos da Análise de Discurso Crítica (adc) como Fairclough (2004, 2016); Ferraz (2015); Magalhães, Martins e Resende (2017). Também pesquisadores de línguas de sinais como Cuxac (1997), Quadros e Karnopp (2004); Fusellier-Souza (2003) entre outros. O referencial teórico-analítico é baseado na adc. Percebe-se que esses itens lexicais são constituídos por um sistema linguístico organizado, também se revelam como práticas que influenciam diretamente nas atividades sociais desses surdos dentro das comunidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Roberto dos Santos, Universidade do Estado do Amazonas

Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade de Brasília (PPGL/UnB), Professor assistente na Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Línguas de Sinais na Amazônia (GEPELISA).

Viviane Cristina Vieira, Universidade de Brasília

Pós-doutorado pelo Programa de Estudos Pós-graduados em Língua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC-SP. Professora Associada do Instituto de Letras da Universidade de Brasília (UnB).

Janaína de Aquino Ferraz, Universidade de Brasília

Doutora em Linguística pelo Universidade de Brasília. Coordenadora-geral de Material Didático da Secretaria de Educação Básica do MEC. Professora da Licenciatura em Letras Português do Brasil como Segunda Língua do Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas - LIP da Universidade de Brasília (UnB).

Referências

Cuxac, Christina (1997). Expressions des relations spatiales et spatialisation des relations sémantiques en Langue des Signes Française. In Catherine Fuchs; Stéphane Robert (Eds.), Diversité des langues et représentation cognitives, pp. 150-164. Ophrys.

Fairclough, Norman (2004). Analyzing discourse. Routledge.

Fairclough, Norman (2016). Discurso e poder (2ª ed.). Editora Universidade de Brasília.

Faraco, Carlos A. (2003) [sem título]. In Antonio. C. Xavier; Suzana Cortez (Orgs.), Conversas com linguistas: virtudes e controvérsias da linguística, pp. 63-70. Parábola Editorial.

Fermin Omágua, Eronilde de Souza (2020). Memórias vivas do povo Omágua (Kambeba) de Aparia Grande do Solimões de São Paulo de Olivença - Mumuri kwe awa uawa kãnga pewa Aparia´zaú Surimã tawa´y [E-book]. UEMA/PPGCSPA. Disponível em: http://novacartografiasocial.com.br/

Ferraz, Janaína de Aquino (2015). A formação identitária do brasileiro: um enfoque multimodal. In Josênia. A. Vieira; André L. Bento (Orgs.), Discurso, identidade e gênero, pp. 362-449. Editora Movimento.

Fiorin, José Luiz. (2003) [sem título]. In Antonio. C. Xavier; Suzana Cortez (Orgs.), Conversas com linguistas: virtudes e controvérsias da linguística, pp. 71-76. Parábola Editorial.

Fusellier-Souza, Ivani (2003). Processus cognitifs et linguistiques de la genèse des langues des signes: Emergence et développement des langues des signes primaires (LSP) pratiquées par des individus sourds sans contact avec une communauté sourde. Ponto de Vista (05): 51-80.

Lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002. (2002, 24 abril). Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm

Magalhães, Izabel; Martins, André. R.; Resende, Viviane de Melo (2017). Análise de discurso crítica: um método de pesquisa qualitativa. Editora Universidade de Brasília. DOI: https://doi.org/10.7476/9788523013370

Ministério da Educação [Brasil]. (2012). Parecer CNE/CEB 13/2012 – Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=10806-pceb013-12-pdf&category_slug=maio-2012-pdf&Itemid=30192

Quadros, Ronice Müller de; Karnopp, Lodenir Becker (2004). Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. Artmed. DOI: https://doi.org/10.18309/anp.v1i16.560

Sacks, Oliver (2010). Vendo vozes: uma viagem ao mundo dos surdos. Companhia das Letras.

Saussure, Ferdinand de (2012). Curso de linguística geral (28ª ed.). Cultrix.

Schubert, Silvana E. de Morais (2015). Entre a surdez e a língua: outros sujeitos, novas relações ... desvelando sentidos e significados. Editora Prismas.

Strobel, Karin (2015). As imagens do outro sobre a cultura surda. (3ª ed. rev.). Editora da UFSC.

Thompson, John B. (2011). Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa (9ª ed.). Vozes.

Vieira, Josênia A.; Macedo, Denise S. (2018) Conceitos-chave em análise de discurso crítica. In José R. L. Batista Júnior; Denise Tamaê B. Sato; Iran Ferreira de Melo (Orgs.), Análise de discurso crítica: para linguistas e não linguistas pp. 48-77. Parábola.

Wilson, Victoria; Martelotta, Mário E. (2013). Arbitrariedade e iconicidade. In Mário E. Martelotta (org.), Manual de linguística (2ª ed.), pp. 71-85. Contexto.

Downloads

Publicado

2022-07-13

Como Citar

SANTOS, M. R. dos; VIEIRA, V. C.; FERRAZ, J. de A. Navegantes do Solimões: a emergência de sinais Omágua-Kambeba à luz da análise de discurso crítica. LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, Campinas, SP, v. 22, n. 00, p. e022007, 2022. DOI: 10.20396/liames.v22i00.8667953. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/liames/article/view/8667953. Acesso em: 18 ago. 2022.