Banner Portal
Meronímia e holonímia em textos narrativos e procedurais da língua Apurinã (Aruák))
PDF

Palavras-chave

Meronímia
Holonímia
Textos narrativos
Textos procedurais
Apurinã

Como Citar

FREITAS, Marília Fernanda Pereira de; BENTES, Izabelly Karoliny Brito. Meronímia e holonímia em textos narrativos e procedurais da língua Apurinã (Aruák)). LIAMES: Línguas Indígenas Americanas, Campinas, SP, v. 24, n. 00, p. e024007, 2024. DOI: 10.20396/liames.v24i00.8675462. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/liames/article/view/8675462. Acesso em: 22 jul. 2024.

Resumo

O presente artigo investiga a ocorrência da relação semântica meronímia/holonímia em textos narrativos e procedurais da língua apurinã, língua indígena falada no sudeste do estado do Amazonas. A meronímia, segundo Cruse (2000), é um fenômeno semântico que expressa a relação parte (merônimo)/todo (holônimo), podendo haver diferentes subtipos semânticos expressando tal relação (Winston; Chaffin; Hermann 1987). Dentre tais subtipos há os que denotam um evento (atividade/holônimo) e os subeventos (traços/merônimos) associados a ele. Verificou-se uma carência de trabalhos linguísticos descritivos, especialmente em se tratando de línguas indígenas, voltados para esse tipo de meronímia, envolvendo verbos. Esse tipo de investigação pode ser útil para estudos futuros ligados a verbos em línguas indígenas, no sentido de identificar, entre verbos designativos de subeventos (merônimos) e eventos mais amplos (holônimos) possíveis semelhanças morfossintáticas. Os textos analisados foram selecionados do banco de dados textuais da língua apurinã, interlinearizados no programa Fieldwork Language Explorer (FLEx) por Facundes e equipe de pesquisa, ao longo de três décadas de estudos. Concluiu-se que, nos textos investigados, há uma maior presença de relações meronímicas atividade/traço do que de qualquer outro subtipo semântico de merônimo. Isto ocorre devido aos tipos textuais narrativo e procedural serem intrinsecamente permeados por eventos e seus desdobramentos, seja, no primeiro caso, pela narração de eventos e seus subeventos associados, seja, no segundo caso, pela explicação dos subeventos que constituem a realização de um evento maior.

https://doi.org/10.20396/liames.v24i00.8675462
PDF

Referências

Cruse, Alan (2000). Meaning in language: an introduction to semantics and pragmatics. Oxford University Pess.

Facundes, Sidney da Silva (2000). The language of the Apurinã people of Brazil (Maipure/Arawak) (PhD. dissertation) Faculty of the Graduate School of State University of New York at Buffalo. Disponível em http://www.etnolinguistica.org/tese:facundes-2000

Freitas, Marília Fernanda Pereira de (2017). A posse em apurinã: descrição de construções atributivas e predicativas em comparação com outras línguas Aruák (Tese de doutorado). Universidade Federal do Pará. Disponível em http://www.etnolinguistica.org/tese:freitas-2017

Freitas, Marília Fernanda Pereira de; Facundes, Sidney da Silva (2021). Pupỹkary tywy, takarena, ῖthu ykynypuku: meronímia e sua contribuição para o conhecimento e ensino da língua apurinã (Aruák). Entrepalavras 11, n.10esp (11): 279-304 http://dx.doi.org/10.22168/2237-6321-10esp2073

Freitas, Marília Fernanda Pereira de; Ribeiro, Marlene Cavalcante (2021). Meronímia em textos procedurais da língua Apurinã. Revista de Letras Nortea@mentos 14(37): 41-61. https://doi.org/10.30681/rln.v14i37.7746

Klein, Harriet E. Manelis (2000). Meronymy or part-whole relations in indigenous languages of lowland South America. In Hein van der Voort; Simon van der Kerke (eds.), Indigenous Languages of Latin America 1, pp. 83-98. Research School of Asian, African, and Amerindian Studies (CNWS). Disponível em https://etnolinguistica.wdfiles.com/local--files/illa:vol1n7/illa_vol1n7_klein.pdf

Payne, David (1991). A classification of Maipuran (Arawakan) languages based on shared lexical retentions. In Desmond Derbyshire and Geoffrey K. Pullum (eds.), Handbook of Amazonian languages, vol. 3, pp. 355-499. Mouton de Gruter.

Stassen, Leon (2009). Predicative possession. Oxford University Press.

Wiersbicka, Anna (1991). Semantics: Primes and universals. Oxford University Press.

Winston, Morton E.; Chaffin, Roger; Herrmann, Douglas (1987). A taxonomy of part-whole relations. Cognitive Science 11(4): 417-444. https://doi.org/10.1207/s15516709cog1104_2

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Marília Fernanda Pereira de Freitas, Izabelly Karoliny Brito Bentes

Downloads

Não há dados estatísticos.