Banner Portal
A institucionalização do curso de licenciatura em Letras-Libras no Brasil
PDF

Palavras-chave

Curso de licenciatura em Letras-Libras
Processo de institucionalização
Produção de sentidos

Como Citar

LOPES, Maraisa. A institucionalização do curso de licenciatura em Letras-Libras no Brasil: língua, sujeitos e sentidos. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 42, n. 42, 2020. DOI: 10.20396/lil.v42i42.8661564. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8661564. Acesso em: 12 abr. 2024.

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar, a partir do domínio da História das Ideias Linguísticas, sob uma perspectiva materialista, articulada com os dispositivos teórico-analíticos da análise de discurso da linha proposta por Michel Pêcheux e Eni Orlandi, o processo de institucionalização do curso de Licenciatura em LetrasLibras no Brasil, pensando como tem se dado a produção de conhecimento determinada historicamente por condições materiais que envolvem o político, o ideológico e o simbólico, nesse espaço institucionalizado. Além disso, busca-se compreender que lugar tem cabido aos sujeitos surdos, no espaço da Ciência, em meio a políticas afirmativas que instrumentalizam as relações próprias de uma divisão social do acesso à universidade. Com base em nossa análise, compreendemos que, para além de se pensar o curso de Letras-Libras como o espaço de produção de conhecimento sobre a língua de sinais, precisamos pensá-lo em sua discursividade, compreendendo o modo como sua materialização produz e estabiliza sentidos.

https://doi.org/10.20396/lil.v42i42.8661564
PDF

Referências

AUROUX, S. (1992). A Revolução Tecnológica da Gramatização. Campinas, SP: Editora da Unicamp.

BOURDIEU, P. (2002). “A escola conservadora: As desigualdades frente à escola e à cultura”. In: Nogueira, M. A.; Catani, A. (Orgs.). Escritos e Educação. Petrópolis, RJ: Vozes, p.39-64.

BRASIL. (1961). Lei nº 4.024, de 20 de Dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L4024.htm. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (1971). Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1970-1979/lei-5692-11-agosto-1971-357752-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (1989). Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência (Corde), institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas, disciplina a atuação do Ministério Público, define crimes, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7853.htm. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (1996). Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (1999). Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (2001). Lei nº 10.172, de 09 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172.htm. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (2002). Lei nº10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2002/L10436.htm. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (2002a). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP 1, de 18 de Fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (2005). Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (2008). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: SEE/MEC.

BRASIL. (2012). Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

BRASIL. (2013). Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR)/ Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SNPD). Viver sem Limite – Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Brasília: SDHPR/SNPD.

BRASIL. (2018). Ministério da Educação. Programa Incluir. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/programa-incluir. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

CAETANO, A.; COSTA, A. R.; DOMINGUES, S. C. (2008). “A produção do conhecimento das Universidades e a realidade escolar: uma análise crítica sobre o modelo atual de sociedade”. In:

Motrivivência. Ano XX, n.30, p.185-196, Florianópolis, SC: UFSC.

CASTELLS, M. (1999). A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra.

FERREIRA, A. C. F. (2009). “A linguística e outros nomes de saber sobre a linguagem”. In: Revista de Letras. vol.2, n.1, ano II. Brasília: UCB.

FOUCAULT, M. (2004). Vigiar e punir: nascimento da prisão. Rio de Janeiro: Vozes.

GOERGEN, P. (1998). “Ciência, sociedade e universidade”. In:

Educação & Sociedade. vol.19, n.63, p.53-79, Campinas: Centro de Estudos Educação e Sociedade – Cedes.

GUIMARÃES, E. (2005). “Brasil: país multilíngue”. In: Ciência e Cultura. vol.57, n.2. São Paulo: Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

HASHIGUTI, S. T. (2016). “Corpos e formas (in)visíveis: entre a regularização e a ruptura de sentidos”. In: COSTA, G. C.;

CHIARETTI, P. (Orgs.). Arte e Diversidade. Trilogia Travessia da Diversidade. Campinas: Pontes, v.3, p.83-96.

LOPES, M. (2016). “O Sujeito Surdo e a Literatura Surda: sentidos possíveis”. In: COSTA, G. C.; CHIARETTI, P. (Orgs.). Arte e Diversidade. Trilogia Travessia da Diversidade. Campinas: Pontes, v.3, p.119-130.

MARIANI, B. (1998). O PCB e a imprensa: os comunistas no imaginário dos jornais (1922-1989). Rio de Janeiro: Revan; Campinas, SP: Ed. da Unicamp.

NUNES, J. H. (2008). “Uma articulação da análise de discurso com a história das ideias linguísticas”. In: Letras, v.18, n.2, p.107–124, jul./dez, Santa Maria: UFSM.

ORLANDI, E. de L. P. (2000). “Um fato, um acontecimento, uma história: idéias lingüísticas no Brasil”. In: Relatos. n.06. Campinas: Projeto HIL. Disponível em: http://www.unicamp.br/iel/hil/publica/relatos_06.html. Acesso em: 10 de dezembro de 2018. PFEIFFER, C. C. (2002). “O lugar do conhecimento na escola: alunos e professores em busca da autorização”. In: Escritos 7, p.09-20. Campinas: LABEURB/NUDECRI/UNICAMP.

QUADROS, R. M. de; STUMPF, M. R. (Org.). (2009). Estudos Surdos IV: série pesquisas. Petrópolis, RJ: Arara Azul.

SANTOS, M. de F. de S.; ALMEIDA, L. M. de. (2005). Diálogos com a teoria das representações sociais. Recife: UFPE.

SKLIAR, C. (1997). “Uma perspectiva sócio-histórica sobre a psicologia e a educação dos surdos”. In: SKLIAR, C. (Org.).

Educação e exclusão: abordagens socioantropológicas em educação especial. Porto Alegre: Mediação, p.105-153.

UNESCO. (1990). Declaração mundial sobre educação para todos e plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0008/000862/086291por.pdf. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

UNESCO. (1994). Declaração de Salamanca. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 10 de dezembro de 2018.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Línguas e Instrumentos Línguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.