Banner Portal
Contribuição da História das Ideias Linguísticas e da Análise de Discurso para o estudo sobre educação escolar indígena no Brasil
PDF

Palavras-chave

História das ideias linguísticas
Análise de discurso
Política linguística

Como Citar

AMARAL, A. J. dos S.; LOPES, M. Contribuição da História das Ideias Linguísticas e da Análise de Discurso para o estudo sobre educação escolar indígena no Brasil . Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 23, n. 46, p. 31–50, 2020. DOI: 10.20396/lil.v23i46.8661630. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8661630. Acesso em: 5 mar. 2024.

Resumo

Este artigo tem por objetivo expor o processo de articulação teórico-metodológica entre a História das Ideias Linguísticas (HIL) e a Análise de Discurso Materialista (AD), que tem sido realizado por nós em pesquisas relacionadas às políticas linguísticas da Educação Escolar Indígena no Brasil. Trata-se, pois, de demonstrar os procedimentos de pesquisa utilizados e, nesse percurso, trazer exemplificações com base no objeto supra referido. Além disso, pretendemos discutir sobre a noção de política linguística a partir de uma perspectiva materialista, concebendo-a enquanto prática sócio-política e dialética relacionada com os processos ideológicos e diferindo-a de uma concepção sociologista.

https://doi.org/10.20396/lil.v23i46.8661630
PDF

Referências

ALTHUSSER, Louis. Ideologia e aparelhos ideológicos de Estado. Lisboa: Editorial Presença/Martins Fontes, 3. ed. 1980.

ANJOS, Marcelo Alessandro Limeira dos. Marcas toponímicas em solo piauiense: seguindo as trilhas das águas. Tese. Doutorado em Linguística. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Letras Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, 2012.

AUROUX, Sylvain. A revolução tecnológica da gramatização. Trad. Eni P. Orlandi. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 3. ed. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes para a Política Nacional de Educação Escolar Indígena. Brasília, DF: MEC/SEF/DPEF, 2ª ed. 1994

BRASIL. Ministério da Educação. Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

CALVET, Louis-Jean. As políticas linguísticas. São Paulo: Parábola/IPOL, 2007.

COLOMBAT, Bernard; FOURNIER, Jean-Marie; PUECH, Christian. Uma história das ideias linguísticas. Trad. Jacqueline Léon; Marli Quadros Leite. São Paulo: Contexto, 1. ed, 2017.

COOPER, Robert Leon. Language planning and social change. Cambridge, CB: Cambridge University Press, 1989.

DIAS, Cristiane. Análise do discurso digital: sujeito, espaço, memória e arquivo. Campinas, SP: Pontes Editores, 2018.

DINIZ, Leandro Rodrigues Alves. Mercado de línguas: a instrumentalização brasileira do português como língua estrangeira. Dissertação. Mestrado em Linguística. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2008.

DINIZ, Leandro Rodrigues Alves. Política linguística do Estado brasileiro na contemporaneidade: a institucionalização de mecanismos de promoção da língua nacional no exterior. Tese. Doutorado) em Linguística. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, 2012.

HONÓRIO, Maria Aparecida. Espaço enunciativo e educação escolar indígena: saberes, políticas, línguas e identidades. Tese. Doutorado em Linguística. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, 2000

LOPES, Maraísa. Folha: do Manual ao Jornal ou do Jornalístico ao Pedagógico. Tese. Doutorado em Linguística. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, 2012.

MARIANI, Bethania Sampaio Corrêa. O comunismo imaginário: práticas discursivas da imprensa sobre o PCB (1922 1989). Tese. Doutorado em Linguística. Campinas: Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem, 1996.

NUNES, José Horta. Dicionários no Brasil: análise e história. Campinas, SP: Pontes Editores; São Paulo, SP: Fapesp, 2006.

NUNES, José Horta. “Uma articulação da análise de discurso com a história das ideias linguísticas”. In: Letras, Santa Maria, v. 18, n. 2, p. 107–124, jul./dez, 2008.

ORLANDI, Eni Puccinelli. “Apresentação”. In: ______ (Org.). História das ideias linguísticas: construção do saber metalinguístico e constituição da língua nacional. Campinas, SP: Pontes; Cáceres, MT: Unemat Editora. p. 7-20, 2001a.

ORLANDI, E. P. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas, SP: Pontes Editores, 2001b.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes, 4. ed, 2003.

ORLANDI, E. P. “Apresentação”. In: ______ (Org.). Política linguística no Brasil. Campinas, SP: Pontes Editores. p. 7-10, 2007.

ORLANDI, E. P. Discurso e leitura. São Paulo: Cortez, 9. ed, 2012.

ORLANDI, E. P. Língua e conhecimento linguístico: para uma história das ideias no Brasil. São Paulo: Cortez Editora, 2. ed, 2013.

PALADINO, Mariana; ALMEIDA, Nina Paiva. Entre a diversidade e a desigualdade: uma análise das políticas públicas para a educação escolar indígena no Brasil dos governos Lula. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria; LACED/Museu Nacional/UFRJ, 2012.

PÊCHEUX, Michel. “Análise Automática do Discurso (1969)”. In: GADET, Françoise; HAK, Tony (Orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 5. ed. p. 59-158, 2014a.

PÊCHEUX, Michel; FUCHS, Catherine. “A propósito da Análise Automática do Discurso: atualização e perspectivas (1975)”. In: GADET, Françoise; HAK, Tony (Orgs.). Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 5ª ed. p. 159-250, 2014.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 5. ed., 2014b.

RODRIGUES, Aryon. “Os estudos de linguística indígena no Brasil”. In: Revista de Antropologia, v. 11, n. 1 e 2, p. 9-21, 1963.

SILVA, Eunice Gomes da. Políticas linguísticas e a prática discursiva no instrumento linguístico. Dissertação. Mestrado em Linguística. Porto Velho, RO: Universidade Federal de Rondônia, 2017.

SPOLSKY, B. Language policy. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.

STAUFFER, David Hall (1959). “Origem e fundação do serviço de proteção aos índios”. Revista de história, n. 37, jan./mar, 1959.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Línguas e Instrumentos Línguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.