Banner Portal
Interculturalidade crítica rizomática e línguas de fronteira no Mato Grosso do Sul - Brasil
PDF

Palavras-chave

Fronteira
Interculturalidade crítica rizomática
Línguas de fronteira

Como Citar

TORCHI, Gicelma da Fonseca Chacarosqui; SILVA, Denise; ANTONIO, Maiza; MARTINS, Daniel Valério. Interculturalidade crítica rizomática e línguas de fronteira no Mato Grosso do Sul - Brasil. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 24, n. 48, p. 235–252, 2021. DOI: 10.20396/lil.v24i48.8667918. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8667918. Acesso em: 21 maio. 2024.

Resumo

Este paper pretende discorrer sobre as línguas de fronteira no Mato Grosso do Sul. Esse trabalho nasce de algumas angústias sobre a maneira de como as línguas se relacionam dentro dos aspectos inerentes a educação, que deveria ser intercultural, fortalecendo a formação integral de crianças e jovens que residem nas regiões de fronteira. Sabemos que são as línguas que mobilizam, agregam e desagregam, e inclusive integram ou não a comunidade escolar de modo que a escola se perceba como um importante espaço intercultural. Sendo assim, este artigo objetiva, prioritariamente, discorrer sobre o que vem a ser interculturalidade, como percebemos os processos interculturais, como entendemos a interculturalidade, especificamente interculturalidade crítica rizomática e como o papel desse conceito empara espaços interculturais no ensino das línguas nas fronteiras do Brasil, especificamente na fronteira sul de Mato Grosso do Sul/ Brasil.

https://doi.org/10.20396/lil.v24i48.8667918
PDF

Referências

ALVARADO, Neritza. La atención de la pobreza em Venezuela: del gran viraje a la Quinta República 1999-2002. Caracas: Ediciones de la Fundación Escuela de Gerencia Social, 2003.

APARÍCIO, J. M. & DELGADO, M. A. La Educación Intercultural en la Formación Universitaria Europea y Latinoamericana. Segovia: ITAMUT- FIFIED, 2014. D’ÁVILA, A. M. Da coexistência à convivência com o outro: Entre o multiculturalismo e a interculturalidade.Rev. Inter. Mob. Hum.ano XX, nº 38, p. 67-81, jan./jun. 2012.

RIBEIRO, D. A política Indigenista Brasileira. Rio de Janeiro: Ministério da Agricultura, 1962.

SCHADEN, E. Aculturação Indígena. São Paulo: Editora da USP, 1969.

VALÉRIO, D. M., & KNAPP, C. Proposta de uma metodologia intercultural na construção de artigos científicos por estudantes indígenas do PPGET ¬UFGD. Cadernos CERU, 31(2), 137-148, 2020.

VALÉRIO, M. D., Gortari, A.L. & Bravo, M.P. Conceitos de Contatos Culturais e de Intervenção Social que Incidem na Sociedade Latinoamericana do Século XXI: Intra, Multi, Inter, Trans e Sobreculturalidade. Revista Pluri - Vol. 1, Nº 1, 2018.

VALÉRIO, M. Daniel. A intraculturalidade nas comunidades indigenas da Região Metropolitana de Fortaleza - Ce - Brasil: Caminho para o desenvolvimento e sobreculturalidade. Salamanca: Ediciones Vitor, 2016.

WELTER, T. & MARTINS, P. Atualidade da Obra de Egon Schaden no centenário de seu nascimento. São Paulo: Plural Revista de Ciências Sociais, v.20 n.2, 2013.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Línguas e Instrumentos Linguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.