Banner Portal
Política linguística como política de domínio territorial
PDF

Palavras-chave

História das ideias linguísticas
Análise do discurso
Política linguística
National Security Education Program
Departamento de Defesa norte-americano

Como Citar

COLAÇA, Joyce Palha; MARIANI, Bethania. Política linguística como política de domínio territorial: o departamento de defesa norte-americano e as critical languages. Línguas e Instrumentos Linguísticos, Campinas, SP, v. 27, n. 00, p. e024001, 2024. DOI: 10.20396/lil.v27i00.8675060. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/lil/article/view/8675060. Acesso em: 22 jul. 2024.

Resumo

No artigo em tela, fazemos um percurso de análise sobre o National Security Education Program, um programa de Educação mantido pelo Departamento de Defesa norte-americano, cujo objetivo é a aprendizagem do que denominam como línguas críticas em relação a áreas críticas. Tomamos como base para nossa discussão os estudos do campo do discurso no seu encontro com a História das Ideias Linguísticas, que pensa as línguas em sua historicidade como “corpo simbólico” e as políticas de línguas, ou seja, as tensões que percorrem os sentidos políticos para as línguas nas lutas sociais (ORLANDI, 2007). Como corpus de análise, nos detivemos aos textos descritos na página web do Programa, considerando tanto os aspectos da constituição de sua história, objetivos e alcance, como as tabelas descritivas nas quais demonstram as áreas e as línguas críticas que são prioritárias para o governo norte-americano. Em nossa análise, foi possível discutir o processo de produção de sentidos que engendra como evidência, nos dias atuais, uma certa relação entre línguas e territórios.  Em nosso gesto de análise, como modo de trabalhar com o dito e o não dito constitutivo do processo de significação desse programa, traçamos um percurso que passa pela historicidade das dominações em relação à aprendizagem de línguas como estratégia de guerra, uma estratégia que ultrapassa o campo bélico.

https://doi.org/10.20396/lil.v27i00.8675060
PDF

Referências

AUROUX, Sylvain. A revolução tecnológica da gramatização. 2ªed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2009 [1992]). 144p.

BRANCO, Luiza Katia Castelo. Lusofonia e CPLP: impossibilidade de outros imaginários de línguas. In: Polifonia, Cuiabá, MT, v. 22, n. 31, p. 73-100, janeiro-junho, 2015.

CELADA, Maria Teresa. Entremeio III. IN Enciclopédia Virtual do Discurso. Niterói, Laboratório Arquivos do Sujeito, UFF, 2018. https://www.youtube.com/watch?v=VQzX0bFhBdg Acesso em: 10 jul. 2021.

CELADA, Maria Teresa; FANJUL, Adrián Pablo. Língua e política. Conceitos e casos no espaço da América do Sul. São Paulo: EDUSP, 2022.

COLAÇA, Joyce Palha. As reduções e as línguas: apontamentos sobre a formação do Guarani paraguaio. In: Caderno de Letras UFF, Multilinguismo, discurso e direitos lingüísticos. Niterói, v. 32, n. 62, 2021, p. 214-236, 1º semestre de 2021.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica do acontecimento. Campinas: Pontes, 2002.

HAMEL, Rainer Enrique. El campo de las ciencias y la educación superior entre el monopólio del inglés y el plurilingüismo: Elementos para una política del lenguaje en América Latina. In: Trabalhos de Linguística Aplicada, Campinas, n. (52.2): 321-384, jul./dez. 2013.

JOBIM, José. Luís. Geopolítica da comparação e representação do outro. In: JOBIM, José Luís. Literatura comparada e literatura brasileira: circulações e representações [livro eletrônico] / José Luis Jobim. Rio de Janeiro: Makunaima; Boa Vista: Editora da Universidade Federal de Roraima, 2020, p. 64-108.

LEFFA, Vilson José. Metodologia do ensino de línguas. In BOHN, H. I.; VANDRESEN, P. Tópicos em Lingüística Aplicada: O ensino de línguas estrangeiras. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1988, p. 211-236.

MARIANI, Bethania. Colonização linguística: línguas, política e religião no Brasil (séculos XVI a XVIII) e nos Estados Unidos da América (século XVIII). Campinas: Pontes, 2004.

MARIANI, Bethania. Quando as línguas eram corpos: sobre a colonização lingüística portuguesa na África e no Brasil. In: Orlandi (org.). Política Linguística no Brasil. Campinas, SP: Pontes Editores, 2007, p.83-112.

MARIANI, Bethania. Linguagem e economia. In: Anais do 53º Congreso Internacional de Americanistas, México, Universidad Iberoamericana, 2009, Ciudad de Mexico. 53º Congreso Internacional de Americanistas. Ciudad de Mexico: Editora as Impressiones, 2009. p. 01-16.

MARIANI, Bethania; MEDEIROS, Vanise. História das ideias linguísticas do e no Brasil. In WINDLE, Joel e SAVEDRA, Monica (orgs). História, política e contato linguístico. Coleção Estudos de Linguagem, volume 3. Niterói: EDUFF, 2023.

MARIANI, Bethania. Quanto vale uma língua? Custo e benefício político nas relações econômicas e linguísticas. In: Relações literárias internacionais II – Interseções e fricções entre fonias.Rio de Janeiro, EDUFF, 2008, p. 193 a 209.

MARIANI, Bethania. Conhecimento científico, línguas de ciência e formas de circulação. in: A "ciência aberta" na divulgação do conhecimento: discurso, tecnologia, ética. ABRALIN: INTERAB, online, 2020. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=wIjBx570UU4>. Acesso em 20 nov. 2023.

NEBRIJA, Antonio de. Gramática de la lengua castellana. Madrid: SGEL, [1992]1492.

ORLANDI, Eni. As formas do silencio no movimiento dos sentidos. Campinas: Ed. Da UNICAMP, 1992.

ORLANDI, Eni. Discurso fundador: a formação do país e a construção da identidade nacional. 3ª ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2003 [1993].

ORLANDI, Eni. “Processo de descolonização linguística e lusofonia”, In: Línguas e instrumentos lingüísticos, n.19, São Paulo: Pontes; Campinas: UNICAMP 2007a.

ORLANDI, Eni. (Org.) Política linguística no Brasil. Campinas, SP: Pontes Editores, 2007b.

PÊCHEUX, Michel. A língua inatingível. O discurso na história da linguística. Campinas: Pontes, 2004 (1981).

PÊCHEUX, Michel. Ler o arquivo hoje. In: ORLANDI, E. (Org.). Gestos de leitura: da história no discurso. Campinas: Editora da Unicamp, 2010.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Línguas e Instrumentos Linguísticos

Downloads

Não há dados estatísticos.