Territórios cindidos: o bairro do Bom Retiro e o conjunto habitacional Parque do Gato em São Paulo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/parc.v6i3.8635019

Palavras-chave:

Territórios. Habitação de Interesse Social. Parque do Gato.

Resumo

As novas configurações econômicas traçadas pelo capitalismo tardio e sua ideologia neoliberal apontam para estratégias sofisticadas dos agentes do mercado financeiro / incorporador, cujos efeitos territorilizantes ancoram-se em padrões cada vez mais homogêneos ditados pela forma da reclusão em ambientes construídos fechados e que negam, via de regra, os espaços de caráter coletivo e público. Este artigo pretende discutir estas questões à luz de um empreendimento habitacional implantado na região central de São Paulo, no bairro do Bom Retiro, no ano de 2003, denominado Parque do Gato, de forma a revelar alguns aspectos relacionados à sua inserção no tecido urbano, que, na contramão das utopias projetivas que preconizavam a sua articulação territorial com o bairro, através da implantação de um parque e outras conexões, manteve-se isolado, ao lado de um conjunto de terrenos e imóveis ociosos, abandonados ou subutilizados, além daqueles que exercem atividades desconexas neste contexto. A observação desta problemática se deu através dos métodos de leitura espacial, incluindo a análise dos padrões morfológicos, usos realizados e a apropriação dos usuários no ambiente. Sem considerar métodos mais sofisticados de avaliação de pós ocupação, esta pesquisa buscou se fixar sobre as características territoriais na fronteira entre duas partes bem delimitadas do bairro do Bom Retiro, observando-se os processos históricos de suas constituições, destacando os fenômenos que contribuem para o “constrangimento” dos lugares e ampliação dos não lugares, uma das estratégias do mercado incorporador para a criação de oportunidades futuras em novos empreendimentos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sidney Piochi Bernardini, Universidade Estadual de Campinas

Docente do Departamento de Arquitetura e Construção da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP.

Renata Ungaro Venitucci, Universidade Estadual de Campinas

Graduada pela Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP

Referências

ÁBALOS, Iñaki. A boa-vida. Visita guiada às casas da modernidade.Barcelona, Editorial Gustavo Gili, 2003.

AMADIO, Decio. Desenho urbano e bairros centrais de São Paulo: um estudo sobre a formação e transformação do Brás, Bom Retiro e Pari. 2005. 483 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paul, 2005.

ARANTES, Otília B. F. Urbanismo em fim de linha e outros estudos sobre o colapso da modernização arquitetônica. São Paulo: EDUSP, 1998.

______. Berlim e Barcelona: duas imagens estratégicas. São Paulo: Anablume, 2012.

ASCHER, François. Os novos princípios do urbanismo. São Paulo: Romano Guerra, 2010.

AUGÉ, Marc. Não-lugares. Introdução a uma antropologia das supermodernidade. Campinas: Papirus, 1994.

BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e simulação. Lisboa: Relógio d’água, 1991.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: ZAHAR, 2001.

BERNARDINI, Sidney P. Estudo de caso sobre o Plano Diretor Estratégico de São Paulo. In: SANTOS JUNIOR, Orlando Alves dos; MONTANDON, Daniel Todtmann (org.). Os planos diretores municipais pós-estatuto da cidade: balanço crítico e perspectivas. Rio de Janeiro: Letra Capital: Observatório das Cidades: IPPUR/UFRJ, 2011.

BONDUKI, Nabil. As práticas bem-sucedidas em habitação, meio ambiente e gestão urbana nas cidades brasileiras. São Paulo: Studio Nobel, 1996.

BRIGHENTI, Andrea Mubi. Lines, barred lines. Movement, territory and the law. International Journal of Law in Context, Cambridge, v. 6, n. 3, set. 2010, p. 217-227. doi: http://dx.doi.org/10.1017/S1744552310000121

CACCIARI, Massimo. A cidade. Barcelona: Editorial Gustavi Gili, 2010.

CARDOSO, Adauto Lúcio. O Programa Minha Casa Minha Vida e seus efeitos territoriais. Rio de Janeiro: Letra Capital, 2013.

CASTELLO, Lineu. A percepção de lugar. Repensando o conceito de lugar em arquitetura – urbanismo. Porto Alegre: PROPAR - UFRGS, 2007.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano. Petrópolis: Vozes, 1998.

FARRUGIA, B.; ABREU, R. Centro tem 22 mil imóveis vagos, o maior índice de desocupação - O Estado de São Paulo. Rede Nossa São Paulo, São Paulo, 17 dez. 2012. Disponível em: http://www.nossasaopaulo.org.br/noticias/centro-tem-22-mil-imoveis-vagos-o-maior-indice-de-desocupacao-o-estado-de-spaulo. Acesso em: 17 dez. 2012.

KOHARA, Luiz; COMARU, Francisco; FERRO, Maria Carolina. Locação social como alternativa ao problema da habitação popular na região central de São Paulo. In: GARCÍA, Ariel et al. (org.). Espacio y poder en las politicas de desarrollo del siglo XXI. Ciudad autonoma de Buenos Aires: Ariel Oscar García, 2014. p. 264-294.

CYMBALISTA, Renato et al. Políticas públicas para o centro: controle social do financiamento do BID à Prefeitura Municipal de São Paulo. São Paulo: Instituto Pólis, 2008.

ABREU FILHO, Ovídio. Mil platôs. Capitalismo e esquizofrenia. Mana, Rio de Janeiro , v. 4, n. 2, p. 143-146, out. 1998 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-93131998000200008&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 01 mai. 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-93131998000200008.

FRÚGOLI JR. Heitor. Intervenção nos espaços centrais das cidades brasileiras – o caso de São Paulo. In: D’ARC, Hélène Rivière; MEMOLI, Maurizio (org.). Intervenções urbanas na América Latina: viver nos centros das cidades. São Paulo: Ed. SENAC São Paulo, 2012, p. 191-210.

GUATTARI, Félix. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1987.

GUATTARI, Félix. Caosmose: um novo paradigma estético. Tradução: Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. São Paulo: Editora 34, 1992.

HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Ed. Betrand Brasil, 2004.

KARA-JOSÉ, Beatriz. Políticas culturais e negócios urbanos: a instrumentalização da cultura na revitalização do centro de São Paulo (1975 – 2000). São Paulo: Ed. Anablume; FAPESP, 2007.

KRAFTA, Romulo. Impressões digitais da urbanidade. In: AGUIAR, Douglas; NETTO, Vinicius M. (org.). Urbanidades. Rio de Janeiro: Folio Digital: Letras e Imagem, 2012, p. 115-134.

LEFEBVRE, Henri. La révolution urbaine. Paris: Gallimard, 1970.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2011.

LEITE, Carlos. O território metropolitano em mutação: intervenções urbanas contemporâneas em São Paulo. In: DEL RIO, Vicente; SIEMBIEDA, William. Desenho urbano contemporâneo no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. LTC, 2013, p. 217-232.

MANGILI, Liziane Peres. Transformações e permanências no bairro do Bom Retiro, SP (1930-1954). 2009. Dissertação (Mestrado em Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2009. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18142/tde-17072009-092245/. Acesso em: 01 mai. 2015.

MEDRANO, Leandro. Habitação coletiva e cidade: invenção sem ruptura. Pós. Revista do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUUSP, [S.l.], n. 28, p. 54-71, dez. 2010. ISSN 2317-2762. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/posfau/article/view/43701. Acesso em: 01 mai. 2015. doi:http://dx.doi.org/10.11606/issn.2317-2762.v0i28p54-71.

MATTOS, Liana Portilho. Limitações urbanísticas à propriedade in FERNANDES, Edésio (org.). Direito Urbanístico e Política Urbana no Brasil. Belo Horizonte: Ed.Del Rey, 2001, p. 55–75.

PINTO, Maurício Faria; GALVANESE, Horacio Calligaris. Requalificação do centro de São Paulo – Projeto Corredor Cultural. In: VARGAS, Heliana Comin; CASTILHO, Ana Luiza Howard de. Intervenções em centros urbanos: objetivos, estratégias e resultados. Barueri: Ed. Mamole, 2009, p. 113 - 130.

SANTOS, Milton. O retorno do território. In: SANTOS et al. (org.). Território, globalização e fragmentação. São Paulo: Ed. Hucitec; ANPUR, 1998, p. 15-20.

SÃO PAULO (Município). HABISP. Disponível em: www.habisp.inf.br. Acesso em: 30 set. 2015.

SÃO PAULO (Município). Infocidade. Disponível em: http://infocidade.prefeitura.sp.gov.br/. Acesso em: 30 set. 2015.

SÃO PAULO (Município). ObservaSampa – Observatório de Indicadores da Cidade de São Paulo. Disponível em: http://observasampa.prefeitura.sp.gov.br/. Acesso em: 30 set. 2015.

SÃO PAULO (Município). Programa Morar no centro. São Paulo, Prefeitura do Município de São Paulo, 2004.

SEABRA, Odete Carvalho de Lima. Territórios do uso: cotidiano e modo de vida. Revista Cidades, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 118-206, jun. 2004. Disponível em: http://revista.fct.unesp.br/index.php/revistacidades/article/view/476. Acesso em: 01 mai. 2015.

SECHI, Bernardo. Primeira lição de urbanismo. São Paulo: Ed. Perspectiva, 2006.

SILVESTRE, Nathércia Pires. Paisagens urbanas e paisagens humanas: o bairro do Bom Retiro. Baleia na Rede, [S.l.], v. 1, n. 4, p. 63-70, 2007. ISSN 1808-8473. Disponível em: http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/baleianarede/article/view/1395. Acesso em: 01 mai. 2015.

SOLÀ-MORALES, Ignasi de. Territorios. Barcelona: Ed. Gustavo Gili, 2003.

TRUZZI, Oswaldo. Etnias em convívio: O bairro do Bom Retiro em São Paulo. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 28, p. 143–166, 2001. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2144/1283. Acesso em: Acesso em: 01 mai. 2015.

VARGAS, Heliana Comin; CASTILHO, Ana Luiza Howard de. Intervenções em centros urbanos: objetivos, estratégias e resultados. Barueri: Ed. Mamole, 2009.

Downloads

Publicado

2015-09-30

Como Citar

BERNARDINI, S. P.; VENITUCCI, R. U. Territórios cindidos: o bairro do Bom Retiro e o conjunto habitacional Parque do Gato em São Paulo. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 6, n. 3, p. 169–187, 2015. DOI: 10.20396/parc.v6i3.8635019. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8635019. Acesso em: 6 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>