O tombamento de Iguape como patrimônio nacional: novas práticas e políticas de preservação

Flávia Brito do Nascimento, Simone Scifoni

Resumo


Em dezembro de 2009 o conselho consultivo do Iphan aprovou o tombamento do Centro Histórico de Iguape/SP, numa decisão que trouxe novidades importantes para a política de patrimônio no Estado de São Paulo. Algumas delas são o princípio essencial da interlocução e diálogo local, a inclusão do patrimônio natural como parte integrante dos bens edificados, a construção do estudo feita de modo indissociável da educação patrimonial e o entendimento dos vestígios materiais a partir dos processos históricos e de sua sobreposição espacial. Estas foram decisões metodológicas do estudo de tombamento que foi realizado pelas autoras do artigo como técnicas em patrimônio da Superintendência do Iphan em São Paulo. Tais decisões fundamentaram-se nas muitas transformações do patrimônio cultural como campo disciplinar postas desde a Constituição de 1988. O presente artigo tem por objetivo apresentar e problematizar o processo de patrimonialização do Centro Histórico de Iguape realizado pelo Iphan entre 2007 e 2009, momento em que a instituição renova seus quadros técnicos e busca novos parâmetros de atuação. Com foco nessa experiência de tombamento o trabalho apresenta de forma crítica os resultados de uma política de proteção ao patrimônio nacional. 


Palavras-chave


Iguape. Iphan. Políticas de patrimônio.

Texto completo:

PDF

Referências


ACSELRAD, Henri (org.) Cartografias sociais e território. Rio de Janeiro: Ippur/UFRJ, 2008.

ANDRÉS, Luiz Philipe de Castro. Parecer de conselheiro. Processo de Tombamento 1584-T -2009, Núcleo urbano de Iguape. Brasília: mimeo, 2009.

BUENO, Beatriz. Introdução. Dossiê Caminhos da História da Urbanização no Brasil-Colônia. Anais do Museu Paulista, São Paulo, vol. 20, no.1, pp. 11-40, jan./jun. 2012.

FONSECA, Cecilia L. O patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ/IPHAN, 1997.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

IPHAN. Centro Histórico de Iguape/São Paulo. Dossiê de tombamento. São Paulo: Iphan/SP, 2009a.

IPHAN. Carta de Nova Olinda. Documento final do 1o Seminário de Avaliação e Planejamento das Casas do Patrimônio. Ceará, 2009b.

MENDES, Carina. O Iphan e a Casa do Patrimônio do Vale do Ribeira/SP: experiências. In: SCIFONI, Simone (org). Caderno de Educação Patrimonial. Memórias urbanas de Iguape-SP. Universidade de São Paulo, 2011. Disponível em: www.repep.fflch.usp.br Acesso em: 15/02/2015.

NASCIMENTO, Flávia Brito do. Blocos de memórias: habitação social, arquitetura moderna e patrimônio cultural. 2011. 392 páginas. Tese (Doutorado Habitat) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. São Paulo.

NASCIMENTO, Flávia Brito do. Em busca de novos documentos: cidade, história e fontes de pesquisa na prática do Iphan dos anos 1980. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO. 3., 2014 São Paulo. Anais ... São Paulo: Mackenzie – PUCCampinas - ANPARQ, 2014.

PAPY, Louis. À margem do império do café. A fachada atlântica de São Paulo. Boletim geográfico, Rio de Janeiro, ano XV, no 137, pp. 139-163, mar./abr.1957.

PEABIRU-TCA/IPHAN. Inventário de Conhecimento do Patrimônio Cultural no Vale do Ribeira de Iguape. Relatório Final. São Paulo, março de 2008a.

PEABIRU-TCA/IPHAN. Relatório da Oficina do Mapa do Patrimônio de Iguape. Iphan/SP, 2008b.

PEREIRA, Danilo Celso. O Conjunto Histórico e Paisagístico de Iguape: um caso paradigmático das políticas de preservação do patrimônio cultural nacional no Estado de São Paulo. In: ENCONTRO INTERNACIONAL ARQUIMEMÓRIA 4, 2013, Salvador. Anais…Salvador: UFBA, 2013.

PEREIRA JUNIOR, Carlos Alberto. Iguape: Conto, canto e encanto com a minha história. São Paulo: Novha America, 2005. 128 p. il. C

PINHEIRO, Maria Lúcia B. Preservação de sítios urbanos tombados: a atuação do CONDEPHAAT em Cananéia e Iguape, no Estado de São Paulo. In: ENCONTRO INTERNACIONAL ARQUIMEMÓRIA 4, 2013, Salvador. Anais…Salvador: UFBA, 2013.

RODRIGUES, Marly. Imagens do passado: a instituição do patrimônio em São Paulo, 1969 -1987. São Paulo: Unesp / Imprensa Oficial do Estado / Condephaat / Fapesp, 2000.

RUBINO, Silvana. As fachadas da história: os antecedentes, a criação e os trabalhos do SPHAN, 1937-1991. 1991. 210 páginas. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social - Programa de Pós-graduação em Antropologia Social, Unicamp. Campinas/SP.

SANT’ANNA, Márcia. A cidade-atração: a norma de preservação dos centros urbanos no Brasil dos anos 90. 2004. 399 páginas. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia. Salvador.

SILVEIRA, Flávio L.A.; BEZERRA, Márcia. Educação Patrimonial: perspectivas e dilemas. In: LIMA FILHO, Manuel et al (orgs.). Antropologia e patrimônio cultural. Diálogos e desafios contemporâneos. Blumenau: Nova Letra, 2007.

VIEIRA FILHO, Dalmo. A rede de proteção. Brasília: mimeo, 2010.




DOI: https://doi.org/10.20396/parc.v6i1.8635027

Métricas do Artigo

Carregando métricas...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

(c) PARC Pesq. em Arquit. e Constr., Campinas (SP) - e-ISSN 1980-6809.