Banner Portal
Avaliação do incremento de custos de obras de urbanização em áreas urbanas informais
PDF

Palavras-chave

Assentamento de Baixa Renda
Comunidade do Jaburu/ES
Custos de Urbanização
Melhorias Urbanas.

Como Citar

BEZERRA, Maria do Carmo de Lima. Avaliação do incremento de custos de obras de urbanização em áreas urbanas informais. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 7, n. 1, p. 12–22, 2016. DOI: 10.20396/parc.v7i1.8643622. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8643622. Acesso em: 27 maio. 2024.

Resumo

Na última década, os investimentos em urbanização de assentamentos informais de baixa renda ocorreram, com maior freqüência, em áreas que já haviam recebido melhorias urbanas. Esses projetos possuem vários fatores que dificultam as intervenções, como: a fragilidade ambiental e a dificuldade de acesso às áreas de obras. O objetivo da pesquisa é identificar a viabilidade dessas intervenções que sempre visam fixar a população em seu local de moradia, considerando como fator limitante, a fragilidade ambiental e os elevados custos de urbanização. Para a análise são utilizados os fundamentos legais da regularização fundiária, que contemplam várias dimensões e direitos socioambientais. Também, foram discutidos os riscos sociais e ambientais e seus custos de mitigação para contextualizar a análise. Para a avaliação dos custos foi utilizado método empírico aplicado ao projeto da comunidade do Jaburu, em Vitória-ES, onde se avaliou o grau de detalhamento do projeto executivo das intervenções, as técnicas construtivas adotadas e suas implicações sobre os custos. Além disso, foi feita uma análise comparativa com os custos médios de obras em assentamentos informais de baixa renda. Como resultado, obteve-se que os fatores avaliados significaram incrementos de custos em decorrência das dificuldades de acesso e das fragilidades ambientais, corroborando com a premissa de que esses podem significar limitantes ao direito de fixação de populações para casos semelhantes.

https://doi.org/10.20396/parc.v7i1.8643622
PDF

Referências

ANCONA, A. L.; LAREU, S.(2002). Avaliação do Programa Guarapiranga: custos e componentes de infraestrutura. In Anais do Seminário de Avaliação de Projetos de Habitação e Meio Ambiente em Assentamentos Urbanos Precários. São Paulo, IPT, e 2.

BEZERRA, Maria do Carmo. (2013). Fatores de incremento de custos em projetos de melhoramento bairros: o caso do município de Vitória. Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID, Setor de Conhecimento e Aprendizagem -KNL. Notas Técnicas # IDB-TN-522, Washington – DC.

BEZERRA, Maria do Carmo; CHAER, Tatiana M. S. (2010). Regularização fundiária em áreas de proteção ambiental - a visão urbana e ambiental. Texto apresentado e publicado nos Anais do Congresso Internacional Sustentabilidade e Habitação de Interesse Social. Porto Alegre.

BID/ BRASIL, Informe de Proyecto (2006). Programa de Desarrollo Urbano e Inclusión Social de Vitoria. BR-l1057, Brasília.

BID/PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA (2007). Estudos de Viabilidade Econômica dos Projetos do Programa Integrado de Desenvolvimento Social e Urbano do Município de Vitória. Vitoria.

BRASIL, Ministério das Cidades. (2009). Manual de Intervenção Integrada em Assentamentos Precários. PAT/Prosanear, World Bank, Brasília.

CHAER, Tatiana M. S. (2007). Regularização Fundiária em Área de Preservação Permanente: uma contribuição à gestão urbana sustentável. Dissertação de Mestrado em Arquitetura e Urbanismo. FAU/UnB, Brasília.

COELHO, Margareth B.S. (2005). Gestão de Políticas Públicas com Inclusão Social no âmbito da Prefeitura Municipal de Vitória. Dissertação de Mestrado, Instituto Saber & Cidadania, Faculdades Integradas de Vitória, Vitória.

IBAM. (2001). Estudo de Avaliação da Experiência Brasileira sobre Urbanização de Favelas e Regularização Fundiária: Produto 6: Relatório Final: Consolidação das Análises. IBAM, Vol. 2, parte 2, out. 2002; e 3) Brasil, Ministério das Cidades.

A PARC Pesquida em Arquitetura e Construção utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.