Banner Portal
Conflitos das dinâmicas de transformação urbana e ambiental à luz da ecologia da paisagem
PDF

Palavras-chave

Métricas da Paisagem. Ecologia da Paisagem. Ecologia da Paisagem Urbana. Métricas Urbanas. Conflitos da Paisagem.

Como Citar

ROCHA, Nicole Andrade da; BORGES, Junia Lúcio de Castro; MOURA, Ana Clara Mourão. Conflitos das dinâmicas de transformação urbana e ambiental à luz da ecologia da paisagem. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 7, n. 1, p. 23–34, 2016. DOI: 10.20396/parc.v7i1.8644222. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8644222. Acesso em: 30 maio. 2024.

Resumo

Atualmente, a taxa de crescimento das cidades é um desafio global para assegurar espaços para habitação, demanda por serviços e lazer, e ao mesmo tempo garantir a manutenção e preservação de áreas verdes que compõe uma paisagem sustentável. Este estudo propõe o uso das análises das métricas de paisagem para guiar decisões, buscando identificar e caracterizar os fragmentos para selecionar unidades em condição para estabelecimentos de corredores em equilíbrio com a ocupação antrópica do território. Assim, a motivação deste artigo é revisitar os princípios do uso das métricas da paisagem, com o emprego de Sistemas de Informações Geográficas (SIG) e modelos de análise espacial em geoprocessamento uma vez que os resultados indicam que as métricas de forma e distribuição espacial são muito úteis para caracterização da ocupação antrópica em comparação à cobertura vegetal. A principal contribuição do trabalho é a tabela comparativa entre as métricas aplicadas aos fragmentos de manchas urbanas e aos fragmentos de cobertura vegetal. O processo é ilustrado através de um estudo de caso em uma importante paisagem caracterizada por conflitos de interesses, demonstrado a aplicação das métricas de paisagem e análise morfológica no planejamento regional. Ao revisitar os estudos de morfometrias (Ecologia da Paisagem) inova ao aplicar suas lógicas para os estudos de áreas urbanas e manchas urbanas, apresentando uma proposta de como identificar condições de dinamismo, avaliando cada fragmento urbano segundo sua condição de expansão, potencial de influenciar transformações no território ou de estabilidade em termos de transformação.

https://doi.org/10.20396/parc.v7i1.8644222
PDF

Referências

BENNETT, A . F. Linkages in the landscape: the role of corridors and connectivity in wildlife conservation. 2. ed. Cambridge: International Union for Conservation of Nature and Natural Resources, 2003, 262 p.

BORGES, J.; CARVALHO, G.; MOURA, A.C.M.. Estudo da conformação da paisagem de Sabará-MG para compreensão das métricas do Fragstats em padrões de uso do solo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CARTOGRAFIA, 24. 2010, Aracaju. Anais... Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Cartografia, 2010. p. 1473-1481.

CEMIM, G.; PÉRICO, E.; REMPEL, C. Uso de sistemas de informação geográfica para análise da estrutura da paisagem do município de Arvorezinha, RS. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO, 12. 2005. Goiania. Anais... Goiania: INPE. 2015, p. 2113-2120.

COUTO, Paula. Análise factorial aplicada a métricas da paisagem definidas em FRAGSTATS. Inv. Op., Lisboa, v. 24, n. 1, p. 109-137, jun. 2004 . Disponível em <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-51612004000100007&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 10 de fev. 2010.

FONSECA, B.M.; RIBAS, R.P; MOURA A.C.M. Applying Ecological Landscape Concepts and Metrics in Urban Landscape Management. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON CHANGING CITIES II: Spatial, Design, Landscape & Socio-economic Dimensions, 2. 2015. Porto Heli. Anais..., Porto Heli: Univesity Thessaly, 2015. p. 661-620.

FORMAN , R.T.T; GODRON, M. Landscape Ecology. New York: John Wiley& Sons, 1986.

FORMAN R.T.; BAUDRY J. Hedgerows and hedgerow networks in landscape ecology. Environmental Management, n. 8, p.499–510, 1984.

LANG, S.; BLASCHKE, T. Análise da Paisagem com SIG. Tradução Hermann Kux, São Paulo: Oficina de Textos, 2009.

LYNCH, K. A boa forma da cidade. MIT Press, 1981, 514 p.

LYNCH, K. The image of the city. MIT Press, 1960.

MAGALHÃES, D. M. Análise dos espaços verdes remanescentes na mancha urbana conurbada de Belo Horizonte - MG apoiada por métricas da paisagem. 2013. 163 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Geraiil, Belo Horizonte.

McGARIGAL, K.; CUSHMAN, S. A.; ENE, E. Fragstats: Spatial Pattern Analysis Program for Categorical and Continuous Maps. Computer software program produced by the authors at the University of Massachusetts, Amherst. 2012.

METZGER, J. P. O que é Ecologia de Paisagens? Biota Neotrópica. n.1, p. 1-9, 2001.

MOURA, A. C. M. Aplicações de modelos de mensuração de métricas de paisagem nos estudos da dinâmica de ocupação urbana no Quadrilátero Ferrífero e região metropolitana de Belo Horizonte – MG. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CARTOGRAFIA, 24. 2010, Aracaju. Anais... Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Cartografia, 2010. p. 1545 – 1554.

NOSS R.F . Protecting natural areas in fragmented landscapes. Natural Areas Journal, n. 7, p. 2-13, 1987.

NOSS R.F . The wildlands project: land conservation strategy. Wild Earth (Special Issue), p.10–25, 1992.

ROCHA N. A.; AMARAL B.A.; MOURA, A. C. M. Tecnologia da Geoinformação na identificação das vocações dos fragmentos de cobertura vegetal urbana. Poster. XIX Congresso Brasileiro de Arborização Urbana São Paulo, Editora, 2015.

STEINITZ, C. A Framework for Geodesign: Changing Geography by Design. ESRI Press: Redlands. 2012.

A PARC Pesquida em Arquitetura e Construção utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.