A percepção térmica de idosos brasileiros em sala com ar condicionado: uma abordagem inicial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/parc.v7i4.8648216

Palavras-chave:

Percepção térmica. Sensação térmica. Idosos. PMV.

Resumo

Apesar do envelhecimento da população de forma geral e, em particular, no Brasil, não há até o momento pesquisas sobre a percepção térmica do idoso no país. As informações disponíveis são baseadas em estudos realizados em climas diversos dos brasileiros. O objetivo do presente trabalho foi avaliar se existem alterações significativas na percepção térmica de idosos em relação à de indivíduos mais jovens. Numa sala com ar condicionado foram medidas suas variáveis térmicas e aplicado um questionário a uma amostra de idosos. As respostas a questões sobre percepção térmica relatada pelos sujeitos (PT), conforto e preferência térmica, aceitabilidade e tolerância pessoal foram relacionadas com as respectivas temperaturas operacionais e essas com as calculadas pelo PMV (referência para não idosos). A temperatura operativa média de neutralidade (PT = 0) foi menor que a calculada pelo PMV, ou seja, menor do que a preferida por não idosos; além disso, a faixa de temperatura operativa de conforto térmico de idosos é também maior que a de não idosos. Os resultados divergem, em princípio, dos encontrados na bibliografia internacional, ao encontrar temperaturas de conforto para idosos menores do que para não idosos, mas eles podem ser amparados em trabalhos mais recentes, os quais envolvem termometria circadiana. Outras respostas ao questionário mostram que o PMV não é um bom previsor de condições de conforto térmico para idosos. Como este é o primeiro trabalho sobre o tema no Brasil, ele abre uma discussão e convida pesquisadores a realizar estudos similares para sua validação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiana Padilha Montanheiro, Universidade do Sagrado Coração,

Arquiteta. Mestre em Arquitetura e Urbanismo.

João Roberto Gomes de Faria, Universidade Estadual Paulista

Engenheiro. Livre-docente. Atua no Departamento de Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo; Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo; Programa de Pós-Graduação em Design.

Referências

AMERICAN SOCIETY OF HEATING, REFRIGERATING AND AIR-CONDITIONING ENGINEERS. ANSI/ASHRAE Standard 55-2013 - Thermal Environmental Conditions for Human Occupancy. Atlanta, GA, 2013.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Projeções da população por sexo e idade: 2000-2060. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Projecao_da_Populacao/Projecao_da_Populacao_2013/projecoes_2013_populacao_xls.zip. Acesso em: 03 mar. 2015.

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. CASA CIVIL. SUBCHEFIA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS. Lei nº 8.842, de 4 de janeiro de 1994. Dispõe sobre a política nacional do idoso, cria o Conselho Nacional do Idoso e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 4 de jan. 1994. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8842.htm. Acesso em: 21 jan. 2014.

COLLINS, K. J.; HOINVILLE, E. Temperature requirements in old age. Building Services Engineering Research and Technology, v. 1, n. 4, p. 165-172, 1980. http://dx.doi.org/10.1177/014362448000100401.

COLLINS, K. J.; EXTON-SMITH, A. N.; DORÉ, C. Urban hypothermia: preferred temperature and thermal perception in old age. British Medical Journal (Clinical Research Edition), v. 282, n. 6259, p. 175-177, 1981. https://doi.org/10.1136/bmj.282.6259.175.

EDWARDS, B.; WATERHOUSE, J.; REILLY, T.; ATKINSON, G. A comparison of the suitabilities of rectal, gut, and insulated axilla temperatures for measurement of the circadian rhythm of core temperature in field studies. Chronobiology International, v. 19, n. 3, p. 579-597, 2002. http://dx.doi.org/10.1081/CBI-120004227.

GUERGOVA S.; DUFOUR A. Thermal sensitivity in the elderly: a review. Ageing Research Reviews, v. 10, n. 1, p. 80-92, jan. 2011. http://dx.doi.org/10.1016/j.arr.2010.04.009.

HESCHONG, L. Thermal delight in architecture. Cambridge: MIT Press, 1979.

HUANG, H.-W.; WANG, W.-C.; LIN, C.-C. Influence of age on thermal thresholds, thermal pain thresholds, and reaction time. Journal of Clinical Neuroscience, v. 17, n. 6, p. 722-726, jun. 2010. http://dx.doi.org/10.1016/j.jocn.2009.10.003.

JOHANSSON, E.; THORSSON, S.; EMMANUEL, R.; KRÜGER, E. Instruments and methods in outdoor thermal comfort studies – The need for standardization. Urban Climate, v. 10, Part 2, p. 346-366, dec. 2014. http://dx.doi.org/10.1016/j.uclim.2013.12.002.

MORAGAS, R. M. Gerontologia social: envelhecimento e qualidade de vida. 3. ed. São Paulo: Paulinas, 2010.

NOVIETO, D. T.; ZHANG, Y. Towards thermal comfort prediction for the older population: a review of aging effect on the human body. In: IESD PHD CONFERENCE: ENERGY AND SUSTAINABLE DEVELOPMENT, 2010. Proceedings.... Leicester, UK: Institute of Energy and Sustainable Development, De Montfort University, 2010, p. 35-48.

RAVUSSIN, E.; BOGARDUS, C. Relationship of genetics, age, and physical fitness to daily energy expenditure and fuel utilization. The American Journal of Clinical Nutrition, v. 49, n. 5, p. 968-975, 1989.

RIBEIRO, L. C. C.; ALVES, P. B.; MEIRA, P. Percepção dos idosos sobre as alterações fisiológicas do envelhecimento. Ciência, Cuidado e Saúde, v. 8, n. 2, p. 220-227, 2009. http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v8i2.8202.

RUAS, A. C. Avaliação de conforto térmico: contribuição à aplicação prática das normas internacionais. 1999. 78 p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Faculdade de Engenharia Civil, Universidade de Campinas, Campinas, 1999.

SATO, A. E.; GONÇALVES, F.; MONTEIRO, L. M. Resiliência às mudanças climáticas: conforto térmico de idosos em unidades residenciais. In: XV ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 15., Maceió, 2014. Anais... Maceió: ANTAC, 2014, p. 153-162. https://dx.doi.org/10.17012/entac2014.113.

SCHELLEN, L.; Van MARKEN LICHTENBELT, W. D.; LOOMANS, M. G. L. C.; TOFTUM, J.; de WIT, M. H. Differences between young adults and elderly in thermal comfort, productivity, and thermal physiology in response to a moderate temperature drift and a steady-state condition. International Journal of Indoor Environment and Health, v. 20, p. 273-283, aug. 2010. https://dx.doi.org/10.1111/j.1600-0668.2010.00657.x.

SHIBASAKI, M.; OKAZAKI, K.; INOUE, Y. Aging and thermoregulation. Journal of Physical Fitness and Sports Medicine, v. 2, n. 1, p. 37-47, 2013.

SIMÕES, R. Corporeidade e terceira idade. 3. ed. Piracicaba: Unimep, 1998.

TOUITOU, Y.; REINBERG, A.; BOGDAN A.; AUZÉBY, A.; BECK, H.; TOITOU, C. Age-related changes in both circadian and seasonal rhythms of rectal temperature with special reference to senile dementia of Alzheimer type. Gerontology, v. 32, p.110-118, 1986. http://dx.doi.org/10.1159/000212774.

TSUZUKI, K; OHFUKU, T. Thermal sensation and thermoregulation in elderly compared to young people in Japanese winter season. In: INDOOR AIR 2002 - INTERNATIONAL CONFERENCE ON INDOOR AIR QUALITY AND CLIMATE, 9. Monterey (CA), 2002. Proceedings… Rotterdam (Netherlands): In House Publishing, 2002, p. 659-664.

USHIDA, Y.; TAMURA, T.; IWASAKI, F. Changes in cold/warm thresholds with advancing age – the case of adult women aged from the 20s to the 80s. Sen’I Gakkaishi, v. 65, n. 5, p. 48-54, 2009. http://doi.org/10.2115/fiber.65.132.

VAN HOOF, J. Forty years of Fanger's model of thermal comfort: comfort for all? Indoor Air, v. 18, p. 182-201, 2008. http://dx.doi.org/10.1111/j.1600-0668.2007.00516.x.

VAN HOOF, J.; HENSEN, J. L. M. Thermal comfort and older adults. Gerontechnology, v. 4, n. 4, p. 223-228, 2006. http://dx.doi.org/10.4017/gt.2006.04.04.006.00.

WEINECK, J. Biologia do esporte. Barueri: Manole, 2005.

Downloads

Publicado

2016-12-31

Como Citar

MONTANHEIRO, F. P.; FARIA, J. R. G. de. A percepção térmica de idosos brasileiros em sala com ar condicionado: uma abordagem inicial. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 7, n. 4, p. 202–210, 2016. DOI: 10.20396/parc.v7i4.8648216. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8648216. Acesso em: 3 dez. 2022.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)