Especificação da vida útil dos sistemas construtivos a partir da NBR 15575, segundo a abordagem de projetos

Autores

  • Claudivana Sistherenn Pagliari Universidade Comunitária da Região de Chapecó
  • Marcelo Fabiano Costella Universidade Comunitária da Região de Chapecó & Faculdade Meridional
  • Silvio Edmundo Pilz Universidade Comunitária da Região de Chapecó

DOI:

https://doi.org/10.20396/parc.v9i1.8648828

Palavras-chave:

Vida útil. Norma de Desempenho. Especificações de sistemas construtivos.

Resumo

Tendo em vista a necessidade dos projetistas em realizar especificações da vida útil dos sistemas construtivos que compõe uma edificação habitacional, a presente pesquisa tem como objetivo analisar as especificações que estão sendo elaboradas por projetistas. O método de pesquisa consistiu em uma pesquisa de campo, primeiramente foi realizado um levantamento com profissionais da área de projeto por meio de questionário online dividido em questões diretas e indiretas. Posteriormente, avaliaram-se projetos e memoriais para verificar o nível de especificação atual. Por fim, realizou-se a investigação das especificações dos materiais por parte de seus fabricantes por meio de buscas em páginas da internet de fabricantes e contatos via e-mail dos subsistemas: pisos, revestimentos internos e externos e impermeabilização. Os subsistemas selecionados são considerados básicos e de grande influência visual em uma edificação, tendo como base o Anexo C da NBR 15575-1. Dentre os resultados obtidos, foi possível constatar a falta de informações disponibilizadas pelos fabricantes dos materiais a serem especificados nos projetos, sendo que a maioria dos fabricantes dos materiais selecionados nessa pesquisa não informam dados de durabilidade e vida útil, o que impossibilita os projetistas de cumprirem suas premissas perante a norma de desempenho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudivana Sistherenn Pagliari, Universidade Comunitária da Região de Chapecó

Engenheiro Civil. Graduação em Engenharia Civil pela Unochapecó. Pesquisadora do Programa de Pós-graduação em Tecnologia e Gestão da Inovação (Mestrado Profissional) na área de desempenho de edificações.

Marcelo Fabiano Costella, Universidade Comunitária da Região de Chapecó & Faculdade Meridional

Engenheiro Civil, Mestre em Engenharia Civil e Doutor em Engenharia de Produção pela UFRGS. Docente dos Programa de Pós-graduação em Tecnologia e Gestão da Inovação (Mestrado Profissional) na Unochapeco e Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil (Mestrado Acadêmico) na Faculdade Meridional IMED. Pesquisa na área de gestão e desempenho de edificações e em segurança do trabalho.

Silvio Edmundo Pilz, Universidade Comunitária da Região de Chapecó

Engenheiro Civil, Mestre em Engenharia Civil pela UFRGS. Docente do Programa de Pós-graduação em Tecnologia e Gestão da Inovação (Mestrado Profissional) na Unochapeco. Pesquisa na área de gestão e desempenho de edificações e em estruturas de concreto armado.

Referências

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575-1: Edificações habitacionais – Desempenho, Parte 1: Requisitos gerais. Rio de Janeiro, 2013a.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575-2: Edificações habitacionais – Desempenho, Parte 2: Requisitos para os sistemas estruturais. Rio de Janeiro, 2013b.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575-3: Edificações habitacionais – Desempenho, Parte 3: Requisitos para os sistemas de pisos. Rio de Janeiro, 2013c.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575-4: Edificações habitacionais – Desempenho, Parte 4: Sistemas de vedações verticais internas e externas. Rio de Janeiro, 2013d.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575-5: Edificações habitacionais – Desempenho, Parte 5: Requisitos para sistemas de coberturas. Rio de Janeiro, 2013e.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575-6: Edificações habitacionais – Desempenho, Parte 6: Sistemas hidrossanitários. Rio de Janeiro, 2013f.

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5674: Manutenção de edificações – Procedimento. Rio de Janeiro, 1999.

CBIC - CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO. Desempenho de Edificações Habitacionais: guia orientativo para atendimento à norma ABNT NBR 15575/2013. Fortaleza: Gadioli Cipolla Comunicação, 2013.

CBIC - CÂMARA BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO. Dúvidas sobre a norma de desempenho: especialistas respondem às principais dúvidas e elencam requisitos de suportes para elaboração de projetos. Brasilia: CBIC, 2015.

CHEVALIER, J.; SJOSTROM, C.; TRINIUS, W.; JASUJA, M. Life Performance of Construction Materials and Components. Rotterdam: CIB, 2005. 61 p. (Final Report, Performance Based Building Thematic Network – PeBBu Domain 1). Disponível em: http://www.irbnet.de/daten/iconda/CIB22200.pdf. Acesso em: 10.05.2018.

DANIOTTI, B.; SPAGNOLO, S. L. Service Life Estimation Using Reference Service Life Databases and Enhanced Factor Method. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON DURABILITY OF BUILDINGS MATERIALS AND COMPONENTS, 11, 2008, Istanbul. Proceedings… Istanbul: DBMC, 2008.

DEL MAR, C. P. Direito na Construção Civil. São Paulo: Pini: Leud, 2015.

FREITAS, L. S.; SCHMID, A. L.; SILVA, R. C. A Tomada de Decisão na Previsão da Vida Útil de Projeto para Edificações mais sustentáveis. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 16, São Paulo. Anais... Porto Alegre: ANTAC, 2016.

HERNÁNDEZ-MORENO, S. Aplicación de la Información de la Vida Útil em la Planeación y Diseño de Proyectos de Edificación. Acta Universitaria. Universidad de Guanajuato, v. 21, n. 2, 2011. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11799/39189. Acesso em: 13.05.2018.

LACASSE, M. A.; SJOSTROM, C. Recent advances in methods for service life prediction of building materials and components – an overview. In: CIB WORLD BUILDING CONGRESS, 16, 2004, Toronto. Proceedings… Delft: CIB, 2004.

OLIVEIRA, Luciana Alves; FONTENELLE, João Heitzmann; MITIDIERI FILHO, Claudio Vicente. Durabilidade de fachadas: método de ensaio para verificação da resistência à ação de calor e choque térmico. Ambient. constr., Porto Alegre , v. 14, n. 4, p. 53-67, Dec. 2014. doi:http://dx.doi.org/10.1590/S1678-86212014000400005.

ORTEGA MADRIGAL, Leticia; SERRANO LANZAROTE, Begoña; FRAN BRETONES, José M. Proposed method of estimating the service life of building envelopes. Revista de la Construcción, Santiago, v. 14, n. 1, p. 60-68, Apr. 2015. doi:http://dx.doi.org/10.4067/S0718-915X2015000100008.

PEÇAS, P.; RIBEIRO, I.; SILVA, A.; HENRIQUES, E. Comprehensive approach for informed life cycle-based materials selection. Materials & Design, v. 43, n. 1, p. 220-232, jan. 2013. doi:https://doi.org/10.1016/j.matdes.2012.06.064.

POSSAN, E.; DEMOLINER, C. A. Desempenho, Durabilidade e Vida Útil das Edificações: abordagem geral. Revista Técnico-Cientifica do CREA-PR, v. 1, n. 1, p. 93-111, 2013. Disponível em: http://creaprw16.crea-pr.org.br/revista/Sistema/index.php/revista/article/view/14. Acesso em: 10.05.2018

SANCHES, I. D.; FABRICIO, M. M. Projeto para Manutenção. In: WORKSHOP BRASILEIRO DE GESTÃO DO PROCESSO DE PROJETOS NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS, 8, São Paulo. Anais... São Paulo: POLI-USP, 2008.

SANTOS, F. M. Á. S.; HIPPERT, M. A. S. Gestão da Manutenção e a NBR 15.575/2013. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 16, São Paulo. Anais... Porto Alegre: ANTAC, 2016.

SANTOS, M. R. P. Metodologias de Previsão da Vida Útil de Materiais, Sistema ou Componentes da Construção. 2010. 129 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil – Especialização em Construção) - Faculdade de Engenharia. Universidade do Porto, Porto, 2010. Disponível em: http://hdl.handle.net/10216/60309. Acesso em: 13.05.2018.

SANTOS, V. J. Construção Civil: análise da normativa NBR 15.575 à luz do Código do Consumidor. Porto Alegre, 2011. Disponível em: http://www.espaco-vital.jusbrasil.com.br/noticias. Acesso em: 05.12.2014.

STRAUB, A. D. Using the Factor Method to get Realistic Service Lives of Applies Building Components. In: JOINT CIB W070, W092,& WTG72 INTERNATIONAL CONFERENCE ON FACILITIES MANAGEMENT, PROCUREMENT SYSTEMAS AND PUBLIC PRIVATE PARTNERSHIP, 2012, Cape Town. Proceedings…Delft:CIB, 2012. Disponível em: http://www.irbnet.de/daten/iconda/CIB_DC24053.pdf. Acesso em: 10.05.2018.

ZARZAR JÚNIOR, F. C. Metodologia para estimar a Vida Útil de elementos construtivos, baseada no Método dos Fatores. 2007. 173 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Católica de Pernambuco, Recife, 2007.

Downloads

Publicado

2018-03-31

Como Citar

PAGLIARI, C. S.; COSTELLA, M. F.; PILZ, S. E. Especificação da vida útil dos sistemas construtivos a partir da NBR 15575, segundo a abordagem de projetos. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 9, n. 1, p. 47–56, 2018. DOI: 10.20396/parc.v9i1.8648828. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8648828. Acesso em: 2 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos