O modelo físico ajustável para a identificação das prioridades dos usuários de habitação de interesse social

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/parc.v8i1.8649670

Palavras-chave:

Simulação. Modelo tridimensional físico. Habitação de Interesse Social.

Resumo

No Brasil, a oferta de projetos padronizados e com dimensões mínimas para as habitações de interesse social demanda maior atenção e aponta a necessidade do desenvolvimento de projetos mais eficientes considerando as transformações que ocorrem nos costumes e nos perfis familiares. A participação dos usuários no processo do projeto pode contribuir na qualidade do ambiente construído ao permitir o entendimento das necessidades desses usuários, pois este processo é baseado no aprimoramento da comunicação entre leigos e profissionais. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi realizar uma simulação com o uso do modelo tridimensional físico ajustável como modo de investigar as prioridades e desejos dos usuários das habitações de interesse social. O modelo permite ajustes e alterações rápidas nas posições de paredes e aberturas, proporcionando uma leitura clara de diferentes opções de projeto.  Além da simulação, o método de pesquisa também incluiu um questionário e a técnica de preferência declarada com modelos digitais. Foi possível observar que essas ferramentas auxiliaram na coleta das informações, permitindo que os entrevistados expressassem suas prioridades e as motivações das suas escolhas. A simulação com modelo físico ajustável demonstrou eficácia na comunicação do projeto, para pessoas leigas ao aproximar os envolvidos das decisões sobre o projeto da moradia e auxiliar os futuros moradores a fazerem escolhas mais conscientes. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcela Gomes de Albuquerque Zalite, Universidade Estadual de Londrina

Aluna Programa Associado de Pós-Graduação em Metodologia de Projeto em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá e Universidade Estadual de Londrina.

César Imai, Universidade Estadual de Londrina

Professor Associado da Universidade Estadual de Londrina no curso de Arquitetura e Urbanismo e no Programa de Pós Graduação em Metodologia de Projeto em Arquitetura e Urbanismo .Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Londrina (1992), mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2001) e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (2007). Líder do Grupo de pesquisa ARQ3 - Processo, Projeto e Comunicação na Arquitetura, atuando principalmente com os seguintes temas: Habitação de Interesse Social, Projeto Participativo, Metodologia de projeto, Avaliação Pós-Ocupação, Maquetes, Protótipos e Modelos Tridimensionais

Referências

ABIKO, A. K.; ORNSTEIN, S. W. (Org.). Inserção urbana e avaliação pós-ocupação (APO) da habitação de interesse social. São Paulo: FAUUSP, 2002. (Coletânea Habitare, v. 1).

AZUMA, M. H.. Customização em massa de projeto de Habitação de Interesse Social por meio de modelos físicos paramétricos. 2016. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo – IAU – USP, São Carlos.

BECHTEL, Robert. Advances in POE Methods: An Overview. In: Preiser, W.F. E. Building Evaluation. ed. Springer-Verlag US, 1989. p 199-206.

BARROS, A. A. B.; COUTO, M. E. G. Sobre os hábitos de morar e a estética da casa: alguns estudos de caso em Maceió, AL. In: PROJETAR: Ensino, Pesquisa e Prática, 6., 2013. Salvador. Anais... Salvador: UFBA, 2013. Disponível em: http://projedata.grupoprojetar.ufrn.br/dspace/handle/123456789/1871. Acesso em: 10 dez. 2015.

BLANK-FREITAS, A. C.; AÑAÑA, E. S.; SCHRAMM F. K. Avaliação pós-ocupação de habitações de intersse social e a captura de requisitos do cliente final. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE QUALIDADE DO PROJETO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 3., ENCONTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA CONSTRUÇÃO, 6., 2013, Campinas. Anais... Campinas: ANTAC, 2013. Disponível em: http://wp.ufpel.edu.br/naurb/files/2015/09/sbpq2013_aline.pdf. Acesso em: 20 nov. 2015.

CELANI, G. et al. Imprimindo ideias: viabilização do uso de impressoras para maquetes arquitetônicas. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON GRAPHICS ENGINEERING FOR ARTS AND DESIGN (GRAPHICA), 7., 2007, Curitiba. Proceedings... Curitiba: UFPR, 2007. Disponível em: https://sites.google.com/a/tematico.arq.br/principal/Home/publicacoes. Acesso em: 27 nov. 2015.

CELANI, G. et al. O processo de produção de uma maquete com técnicas de prototipagem digital. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOMETRIA DESCRITIVA E DESENHO TÉCNICO (GRAPHICA), 19., Bauru. Anais... Bauru: UNESP, 2009. Disponível em: http://www.fec.unicamp.br/~lapac/papers/celani-et-al2009b.pdf. Acesso em: 27 nov. 2015.

CONCEIÇÃO, P.A. Método para classificação de famílias visando a adoção de customização em massa por segmento de habitação de interesse social. 2015. 166 f.Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Programa Associado de Pós-graduação de Arquitetura, UEL/UEM, Londrina. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?view=vtls000202251

DEL RIO, V.; DUARTE, C. R.; RHEINGANTZ, P. A. Projeto do lugar: colaboração entre arquitetura, psicologia e urbanismo. Rio de Janeiro: Contra capa/PROARQ, 2002.

ELALI, G. V. M. A. Processo projetual e estresse ambiental: explorando aspectos que podem influenciar na relação usuário – ambiente. In: ORNSTEIN, S.; FABRÍCO, M. M. (Org.). Qualidade no projeto de edifícios. São Carlos: Rima, 2010.

ELALI, G. V. M. A.; PINHEIRO, J. Q. Analisando a experiência do habitar: algumas estratégias metodológicas. In: VILLA, S. B.; ORNSTEIN, S. W. (Org.). Qualidade ambiental na habitação: avaliação pós-ocupação. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

FLORIO, W.; TAGLIARI, A. Fabricação digital de maquetes físicas: tangibilidade no processo de projeto em Arquitetura. Exacta, São Paulo, 2011, v. 9, n. 1, p. 125-136. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=81018619010. Acesso em: 1 jun. 2015.

GÜNTHER, H.; ELALI, G. A.; PINHEIRO, J. Q. A abordagem multimétodos em Estudos Pessoa-Ambiente: características, definições e implicações. Brasília: Instituto de Psicologia, UNB, 2004. (Textos de Psicologia Ambiental, n. 23).

GÜNTHER, H.; ELALI, G. A.; PINHEIRO, J. Q. Multimétodos. In: CAVALCANTE, S.; ELALI, G. V. M. A. (Org.). Temas básicos em psicologia ambiental. Petrópolis: Vozes, 2011. p. 239-250.

IMAI, C. O processo projetual e a percepção dos usuários: o uso de modelos tridimensionais físicos na elaboração de projetos de habitação social. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 9, n. 2, p. 105-118, abr./jun. 2009. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/ambienteconstruido/article/view/7410

IMAI, Cesar et al. O MODELO TRIDIMENSIONAL FÍSICO COMO INSTRUMENTO DE SIMULAÇÃO NA HABITAÇÃO SOCIAL. Gestão & Tecnologia de Projetos, Brasil, v. 10, n. 2, p. 7-20, nov. 2015. ISSN 1981-1543. doi:http://dx.doi.org/10.11606/gtp.v10i2.101782.

KOWALTOWSKI, D. C. C. K. et al. Quality of life and sustainability issues as seen by the population of low-income housing in the region of Campinas, Brazil. Habitat International, v. 30,n. 4, p. 1100–1114, dec. 2006. ISSN 0197-3975 https://doi.org/10.1016/j.habitatint.2006.04.003

LEMOS, C. Transformações do espaço habitacional ocorridas na arquitetura brasileira do século XIX . Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 95-106, 1993. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5277. Acesso em: 11 ago. 2017.

PALLASMAA, J. Os olhos da pele. Porto Alegre: BOOKMAN, 2011.

ORNSTEIN S, FABRÍCIO M.M.; MELHADO S. B. Conceitos de qualidade no projeto de edifícios . In: ORNSTEIN, S.; FABRÍCO, M. M. (Org.). Qualidade no projeto de edifícios. São Carlos: Rima, 2010.

PALERMO, C. Avaliação da qualidade no projeto de HIS: uma parceria com a Cohab/SC. In: VILLA, S. B.; ORNSTEIN, S. W. (Org.). Qualidade ambiental na habitação: avaliação pós-ocupação. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. p. 209-233.

PINA, S. A. M.; BORGES FILHO, F.; MARANGONI, R. F. Maquetes e modelos como estímula à criatividade no projeto arquitetônico. In: Kowaltowski D. C.C.K.; Moreira, D. C.; Petreche, J. R.D.; Fabríco, M. M.(orgs.) O processo do projeto em arquitetura: da teoria à tecnologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.p. 109 - 123.

PUPO, R., A.; CELANI, M. G. C. Prototipagem rápida e fabricação digital na arquitetura: fundamentação e formação. In: KOWALTOWSKI, D. C. C. K. et al. (Org.). O processo de projeto em arquitetura: da teoria à tecnologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2011.

REIS, A. T.; LAY, M. C. D. Avaliação estética de empreendimentos habitacionais de interesse social. In: VILLA, S. B.; ORNSTEIN, S. W. (Org.). Qualidade ambiental na habitação: avaliação pós-ocupação. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

ROZESTRATEN, A. S. Estudo sobre a história dos modelos arquitetônicos: origens e características das primeiras maquetes de arquiteto. 2003. Dissertação (Mestrado em Estruturas Ambientais Urbanas) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo.

SILVA, R. D.; SILVA, B. F. O programa habitacional minha casa minha vida: uma avaliação através do caso do Conjunto Albino Meneguetti em Maringá – PR. set. 2012. Disponível em: http://revistas.javeriana.edu.co/index.php/cvyu/article/view/5916. Acesso em: 27 nov. 2015.

SALGADO, M. S. Arquitetura centrada no usuário ou no cliente? Uma reflexão sobre a qualidade do projeto. In: ORNSTEIN, S.; FABRÍCO, M. M. (Org.). Qualidade no projeto de edifícios. São Carlos: Rima, 2010.

SANOFF, H. Visual research methods in design. New York: Van Nostrand Reinhold, 1991.

SPRECKELMEYER, K. Environmental Programming, In: BECHTEL, R. et al. Environmental and behavioral research. (Ed.). New York: Van Nostrand Reinhold, 1987. p. 247-269.

TRAMONTANO, M. Habitações, metrópoles e modos de vida: por uma reflexão sobre a habitação contemporâneo. São Paulo: Instituto dos Arquitetos do Brasil/ Museu da Casa Brasileira, 1997. Texto premiado, 3º Prêmio Jovens Arquitetos.

VILLA, S. B. et al. A ineficiência de um modelo de morar mínimo: análise pós-ocupacional em habitação de interesse social em Uberlândia-MG. Observatorium: Revista Eletrônica de Geografia, Uberlândia, v. 5, n. 14, p. 121-147, out. 2013

VOORDT, V. D. T. J. M.; WEGEN, W. H. B.R. Arquitetura sob o olhar do usuário. São Paulo: Oficina de Textos, 2013.

WANG, D.; GROAT, L. Architecture reseach methods. New York: J. Wiley Sons, 2002.

ZALITE, M. G. de A.. A simulação com modelo físico como modo de identificação das prioridades declaradas dos usuários no projeto da habitação de interesse social .2016. 157 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Estadual de Londrina – UEL, Londrina, 2006. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000207942

Downloads

Publicado

2017-03-30

Como Citar

ZALITE, M. G. de A.; IMAI, C. O modelo físico ajustável para a identificação das prioridades dos usuários de habitação de interesse social. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 8, n. 1, p. 20–31, 2017. DOI: 10.20396/parc.v8i1.8649670. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8649670. Acesso em: 19 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos