Banner Portal
O ambiente construído e a ocorrência de crimes: uma análise em estacionamentos de campus universitário
PDF

Palavras-chave

Campus universitário. Ocorrência de crimes. Vigilância Natural.

Como Citar

SOARES, Mariana; GROSSKOPF, Gabriel George; ELI, Julia Roberta; SABOYA, Renato Tibiriçá de; BARTH, Fernando. O ambiente construído e a ocorrência de crimes: uma análise em estacionamentos de campus universitário. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 8, n. 2, p. 102–116, 2017. DOI: 10.20396/parc.v8i2.8649893. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8649893. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

Embora haja um grande número de estudos que analisam a relação entre a forma urbana e arquitetônica e a ocorrência de crimes, estudos específicos em ambientes universitários ainda são raros. Neste trabalho, são analisados dois pares de estacionamentos no campus principal da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, para verificar se a visibilidade, permeabilidade, nível de apropriação e diversidade de uso do solo podem ser fatores explicativos de uma maior ou menor ocorrência de crimes nesses locais. Eles foram escolhidos por apresentar, em cada par, quantidades semelhantes de vagas e quantidades contrastantes de crimes, sendo um estacionamento com alta e o outro com baixa ocorrência. A análise comparativa foi feita com base em levantamentos in loco, observação e elaboração de mapas. Os resultados indicam que a visibilidade e permeabilidade são efetivamente importantes para diminuir a ocorrência de crimes. Por outro lado, a quantidade de pessoas em cada local, por si só, não foi capaz de explicar as diferenças nas taxas de crimes, a não ser quando foi considerada sua distribuição ao longo do dia e a visibilidade a partir dos principais caminhos para os estacionamentos. Quanto aos usos do solo, os resultados mostraram-se contrários à crença disseminada entre arquitetos e urbanistas de que maior diversidade estaria relacionada a menor número de ocorrências criminais. As conclusões trazem elementos para fomentar os debates, planos e intervenções em campi universitários sob a lógica da segurança.

 

 

https://doi.org/10.20396/parc.v8i2.8649893
PDF

Referências

BONDARUK, Roberson Luiz. A Prevenção do crime através do desenho urbano. 2. ed. Curitiba: Edição do autor, 2007.

CALDEIRA, T. Cidade de muros: Crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: USP, 2000.

CLARKE, R.; CORNISH, D. B. Modeling offenders’ decisions: a framework for research and policy. In: ANDRESEN, M. A.; BRANTINGHAM, P. J.; KINNEY, J. B. (Eds.). Classics in Environmental Criminology. Hoboken: CRC Press, 2010 [1985]. p. 311–340.

COHEN, L. E.; FELSON, M. Social Change and Crime Rate Trends: A Routine Activity Approach. In: ANDRESEN, M. A.; BRANTINGHAM, P. J.; KINNEY, J. B. (Eds.). Classics in Environmental Criminology. Hoboken: CRC Press, 2010 [1979]. p. 187–216.

COZENS, Paul Michael; SAVILLE, Greg; HILLIER, David. Crime prevention through environmental design (CPTED): a review and modern bibliography. Property Management, v. 23, n. 5, p.328-356, 2005. ISSN 0263-7472 https://doi.org/10.1108/02637470510631483

HILLIER, B. et al. Natural movement: or, configuration and attraction in urban pedestrian movement. Environment and Planning B: Planning and Design, v. 20, n. 1, p. 29–66, 1993. ISSN 2399-8083. https://doi.org/10.1068/b200029

JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2001. (publicado originalmente em 1961 com o título: Life and Death of Great American Cities).

NEWMAN, Oscar. Defensible Space. Crime Prevention Through Urban Design. New York: Collier Books/Macmillan Publishing Co., Inc., 2. ed. 1976.

NEWMAN, Oscar. Personal email to Stephen Town, Police Architectural Liaison Officer, Bradford District, dez.2003.

QUINTANA, Efreu Brignol. Influência de características físico-espaciais na ocorrência de crimes e na percepção de segurança em áreas residenciais com condomínios fechados. 2013. 290f.. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

SABOYA, Renato Tibiriçá de; BANKI, Gabriela Hall; SANTANA, Júlia Mayer Alves de. Uso do solo, visibilidade e ocorrência de crimes: um estudo de caso em Florianópolis, Santa Catarina. Oculum ens., Campinas, 13(2), 255-274, Julho-Dezembro 2016. ISSNe 2318-0919. https://doi.org/10.24220/2318-0919v13n2a2990

SORENSEN, David. The nature and prevention of residential burglary: A review of the international literature with an eye towards prevention in Denmark. 2003. Disponível em: http://www.justitsministerietdk/sites/default/files/media/Arbejdsomraader/Forskning/Forskningspuljen/2011/2003/The_Nature_and_Prevention_of_Residential_Burglary.pdf. Acesso em: 15 jun. 2015.

VIVAN, Mariana. Arquitetura, espaço urbano e criminalidade: relações entre o espaço construído e a segurança sob a ótica da intervisibilidade. 2012. 191f.. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

WILCOX, Pamela; LAND, Kenneth C.; HUNT, Scott A. Criminal circumstance: a dynamic multicontextual criminal opportunity theory. Rev. ed. New York: Walter de Gruyter, Inc, 2003.

WORTLEY, Richard; MAZEROLLE, Lorraine. Environmental criminology and crime analysis: situating the theory, analytic approach and application. In: WORTLEY, R.; MAZEROLLE, L. G. (Eds.). Environmental criminology and crime analysis. Crime science series. Cullompton, UK: Willan, 2008.

ZANOTTO, Karen da Rosa. Segurança em área urbana central: Configuração, Forma Urbana e Usuários. 2002. 161f.. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

A PARC Pesquida em Arquitetura e Construção utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.