A presença de Henri Lefebvre no debate acadêmico contemporâneo da arquitetura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/parc.v8i3.8650261

Palavras-chave:

Henri Lefebvre. Arquitetura. Desenho urbano.

Resumo

A vasta produção de Henri Lefebvre (HL) sobre a cidade, o urbano, o espaço e a sociedade urbana, poderia indicar sua relevância à arquitetura produzida após o apogeu do ciclo neoliberal e a sua crise em 2008. Este autor introduziu a base prático-sensível na dialética entre os processos espacial e social para discutir as dimensões ideológicas que fundamentam a intervenção urbanística e arquitetônica levada a cabo pela racionalidade do Estado. O objetivo deste artigo é identificar a relação entre os conceitos de HL e a arquitetura no debate acadêmico contemporâneo, no qual a cidade e o urbano são destacados. Como metodologia utilizamos a Revisão Sistemática de Literatura (RSL), com critérios de filtragem que buscavam a relação entre a obra de HL, destacada em revistas especializadas internacionais indexadas, sobre o espaço e a cidade e as preocupações mais diretamente voltadas para a arquitetura e desenho urbano. Conclui-se que a influência da obra lefebvriana nos temas arquitetônicos é pouco expressiva no âmbito acadêmico detectado aqui, e isso é um problema, se considerarmos as possibilidades compreensivas e críticas dessa obra, principalmente sob as determinações da globalização e a mais recente apropriação imediatamente política do “direito à cidade” (DC).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Silva Medrano, Universidade de São Paulo

Professor Livre-docente do Departamento de História da Arquitetura e Estética do Projeto da FAUUSP. Formado pela FAUUSP onde também obteve o título de doutor, fez mestrado na Universitat Politecnica de Catalunya, pós doutorado na Universitad Politecnica de Madrid e livre-docência na Unicamp. Seus principais trabalhos abordam questões relacionadas ao desenvolvimento urbano das cidades. Teoria da arquitetura e do urbanismo, urbanismo, desenho urbano, espaço urbano, habitação coletiva, habitação de interesse social e ensino superior, são alguns dos campos envolvidos em suas pesquisas recentes.

Luiz Antonio Recamán Barros, Universidade de São Paulo.

Professor Doutor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, nos programas de graduação e pós-graduação. Pesquisador Principal junto ao projeto temático "Arquitetura e Urbanismo frente ao espaço social no século 21", vinculado ao grupo de pesquisa Pensamento Crítico e Cidade Contemporânea (PC3). Atualmente é coordenador assistente e membro do conselho editorial da Revista ARA. Doutor em Filosofia (2002), mestre em Filosofia (1995), graduado em Ciências Sociais (1987) e em Arquitetura e Urbanismo (1983), todos pela Universidade de São Paulo. Suas principais pesquisas tratam da Estética da Arquitetura, Crítica de Arquietura, Arquitetura Moderna Brasileira e da relação entre Habitação Social e desenvolvimento urbano.

Mariana Martinez Wilderom Chagas, Universidade de São Paulo

Doutoranda pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (2015-2019), na Área de Concentração História e Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo, pela Linha de Pesquisa Fundamentos Sociais da Arquitetura, do Urbanismo e da Urbanização. Integra o grupo de pesquisa Pensamento Crítico e Cidade Contemporânea (PC3). Arquiteta e urbanista pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (2009) e mestre (2014) pela mesma instituição. Atua sobretudo nos seguintes temas: história, teoria e crítica da arquitetura moderna e contemporânea; arquitetura e cidade contemporânea na américa latina; arquitetura educacional.

Raphael Grazziano, Universidade de São Paulo

Doutorando pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP), na Área de Concentração História e Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo, pela Linha de Pesquisa Fundamentos Sociais da Arquitetura, do Urbanismo e da Urbanização, dentro do grupo de pesquisa Pensamento Crítico e Cidade Contemporânea. Atua sobretudo nos seguintes temas: teoria e história da arquitetura, sobretudo moderna e contemporânea, além de arte e estética.

Referências

AĞLARGÖZ, O. “We are at this campus, there is nothing in this campus …”: Socio-spatial analysis of a university campus. Tertiary Education and Management, v. 23, n. 1, p. 69–83, 2 jan. 2017. DOI: https://dx.doi.org/10.1080/13583883.2016.1207798

ARANTES, O. B. F. Urbanismo em fim de linha: e outros estudos sobre o colapso da modernização arquitetônica. São Paulo: Edusp, 1998. 224 p.

ARANTES, P. F. Em busca do urbano: marxistas e a cidade de São Paulo nos anos de 1970. Novos Estudos-CEBRAP, n. 83, p. 103–127, 2009. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/S0101-33002009000100007

BALZARINI, J. E.; SHLAY, A. B. Gentrification and the Right to the City: Community Conflict and Casinos. Journal of Urban Affairs, v. 38, n. 4, p. 503–517, out. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1111/juaf.12226

BELDA-MIQUEL, S.; BLANES, J. P.; FREDIANI, A. Institutionalization and Depoliticization of the Right to the City: Changing Scenarios for Radical Social Movements. International Journal of Urban and Regional Research, v. 40, n. 2, p. 321–339, mar. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1111/1468-2427.12382

BOWER, R. Who Decides and Who Provides? The Anarchistic Housing Practices of John Turner as Realizations of Henri Lefebvre’s Autogestive Space. Alternatives: Global, Local, Political, v. 41, n. 2, p. 83–97, maio 2016. DOI: https://doi.org/10.1177/0304375416684856

BROWN, A. The right to the city: road to Rio 2010. International Journal of Urban and Regional Research, v. 37, n. 3, p. 957–971, maio 2013. DOI: https://dx.doi.org/10.1111/1468-2427.12051

ÇELIK, Ö.; GOUGH, J. Introduction to the special section: Urban neoliberalism, strategies for urban struggles, and “the right to the city”. Capital & Class, v. 38, n. 2, p. 414–451, 2014. DOI: https://dx.doi.org/10.1177/030981681453329

CHIODELLI, F. Planning and urban citizenship: suggestions from the thoughts of Henri Lefebvre. Planning Perspectives, v. 28, p. 487–494, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/02665433.2013.800717

CHOI, K. Disneyfication and localisation: the cultural globalisation process of Hong Kong Disneyland. Urban Studies, v. 49, n. 2, p. 383–397, fev. 2012. DOI: https://dx.doi.org/10.1177/0042098011402234

DIXON, M. Transformations of the spatial hegemony of the courtyard in post-soviet St. Petersburg. Urban Geography, v. 34, n. 3, p. 353–375, maio 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/02723638.2013.778663

DRESCH, A.; LACERDA, D. P.; ANTUNES JR., J. A. V. Design science research: a method for science and technology advancement. Heidelberg, Nova York, Dordrecht, Londres: Springer, 2015. 163 p.

FRIEDMAN, M. T. “The transparency of democracy”: the production of Washington’s nationals park as a late capitalist space. Sociology of Sport Journal, v. 27, n. 4, p. 327–350, 2010.

HARVEY, D. Rebel cities: from the right to the city to the urban revolution. Londres, Nova York: Verso, 2012. 208 p.

JAMESON, F. A cultura do dinheiro: ensaios sobre a globalização. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2002. 207 p.

KIPFER, S.; SABERI, P.; WIEDITZ, T. Henri Lefebvre: debates and controversies. Progress in Human Geography, v. 37, n. 1, p. 115-134, 2012. DOI: https://dx.doi.org/10.1177/0309132512446718

KIPFER, S.; GOONEWARDENA, K. Urban marxism and the post-colonial question: Henri Lefebvre and “colonisation”. Historical Materialism, v. 2, n. 21, p. 76–116, 2013. DOI: https://dx.doi.org/10.1163/1569206X-12341297

KOOLHAAS, R.; MAU, B. S, M, L, XL. New York: The Monacelli Press, 1995. 1344 p.

KUYMULU, M. B. The vortex of rights: “right to the city” at a crossroads. International Journal of Urban and Regional Research, v. 37, n. 3, p. 923–940, maio 2013. DOI: https://dx.doi.org/10.1111/1468-2427.12008

LEFEBVRE, H. Quand la ville se perd dans une métamorphose planétaire. Le monde diplomatique, p. 16–17, maio 1989.

LEFEBVRE, H. Introduction to modernity: twelve preludes. 3a ed. Londres, Nova York: Verso, 1995. 402 p.

LEFEBVRE, H. O direito à cidade. 5a. ed. São Paulo: Centauro, 2008. 143 p.

LEFEBVRE, H. Toward an Architecture of Enjoyment. Tradução Robert Bononno. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2014. 190 p.

MARTINS, J. de S. Henri Lefebvre e o retorno à dialética. São Paulo: Hucitec, 1996. 151 p.

MERRIFIELD, A. El derecho a la ciudad y más allá: notas sobre una reconceptualización lefebvriana. Urban, v. 3, p. 101–110, 2011.

MERRIFIELD, A. The urban question under planetary urbanization. International Journal of Urban and Regional Research, v. 37, n. 3, p. 909–922, maio 2013. DOI: https://dx.doi.org/10.1111/j.1468-2427.2012.01189.x

OAKLEY, S. A lefebvrian analysis of redeveloping derelict urban docklands for high-density consumption living, Australia. Housing Studies, v. 29, n. 2, p. 235–250, 17 fev. 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/02673037.2014.851175

PIERCE, J.; WILLIAMS, O. R.; MARTIN, D. G. Rights in places: An analytical extension of the right to the city. Geoforum, v. 70, p. 79–88, mar. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.geoforum.2016.02.006

READ, S.; DE LAAT-LUKKASSEN, M.; JONAUSKIS, T. Revisiting “complexification,” technology, and urban form in Lefebvre. Space and Culture, v. 16, n. 3, p. 381–396, 2013. DOI: https://dx.doi.org/10.1177/1206331213487060

SANTOS JUNIOR, O. A. DOS. Urban common space, heterotopia and the right to the city: Reflections on the ideas of Henri Lefebvre and David Harvey. URBE - Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 6, n. 541, p. 146, 2014. DOI: https://dx.doi.org/10.7213/urbe.06.002.SE02

SMITH, N. Uneven development: nature, capital, and the production of space. 3a ed. Atenas: University of Georgia Press, 2008. 323 p.

STANEK, L. Henri Lefebvre on space: architecture, urban research and the production of theory. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2011. 371 p.

STANEK, Ł.; SCHMID, C.; MORAVÁNSZKY, Á. Urban revolution now: Henri Lefebvre in social research and architecture. Burlington: Ashgate Pub, 2014. 345 p.

WASSERMAN, V.; FRENKEL, M. Spatial work in between glass ceilings and glass walls: gender-class intersectionality and organizational aesthetics. Organization Studies, v. 36, n. 11, p. 1485–1505, 2015. DOI: https://dx.doi.org/10.1177/0170840615593583

Downloads

Publicado

2017-09-30

Como Citar

MEDRANO, L. S.; BARROS, L. A. R.; CHAGAS, M. M. W.; GRAZZIANO, R. A presença de Henri Lefebvre no debate acadêmico contemporâneo da arquitetura. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 8, n. 3, p. 170–180, 2017. DOI: 10.20396/parc.v8i3.8650261. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8650261. Acesso em: 25 jan. 2022.