Estudo do desempenho térmico de células-teste enterrada e semienterrada

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/parc.v10i0.8653908

Palavras-chave:

Inércia térmica., Construção subterrânea, Construção enterrada.

Resumo

Uma alternativa construtiva vernacular dos grupos indígenas na região sul do Brasil baseava-se no enterramento da edificação com o provimento de cobertura leve. O presente estudo tem por objetivo avaliar o desempenho térmico de células-teste enterradas e semienterradas quando comparadas a uma célula controle térrea visando uma arquitetura bioclimática que utilize métodos passivos. O método é baseado na comparação das variações de temperatura medida no interior de células-teste quanto à temperatura externa e do solo medidos em Curitiba, PR, durante o período de inverno. As células testes foram confeccionadas em escala reduzida, todas com as mesmas dimensões e especificações de materiais. Para a avaliação de desempenho foram analisados a amplitude térmica, o atraso térmico, as diferenças de temperaturas e amplitudes de sensores superficiais e os índices de conforto de cada célula-teste. A análise de dados constatou que a célula-teste enterrada apresentou menor amplitude térmica e maior atraso térmico. No que tange à somatória dos graus-hora fora da faixa de temperatura de conforto, a célula-teste enterrada obteve o menor tempo em desconforto durante o período de inverno. Foi possível verificar também que quanto maior a área em contato com o solo, melhores as condições de conforto observadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Aparecida Biasi, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Mestre em Engenharia Civil (UTFPR). Especialista em Gestão de Projetos (PUCPR). Arquiteta e Urbanista (PUCPR). Docente na Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc).

Eduardo Leite Krüger, Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Engenheiro Civil (UCP). Mestre em Planejamento Energético (UFRJ). Doutor em Arquitetura (LUH). Docente na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Referências

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15220 – Desempenho Térmico de Edificações. Rio de Janeiro; 2005.

ALKAFF S. A. et al. A review of underground building towards thermal energy efficiency and sustainable development. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 60, p. 692–713. 2016. DOI: https://doi.org/10.1016/j.rser.2015.12.085.

ALVES, A. B. M.; SCHMID, A. L. Cooling and heating potential of underground soil according to depth and soil surface treatment in the brazilian climatic regions. Energy and Buildings, v. 90, p. 41-50. 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2014.12.025.

ANSELM, A. J. Earth shelters: a review of energy conservation properties in earth sheltered housing. Energy Conservation, v. 31, p.125–48. 2012. DOI:http://dx.doi.org/10.5772/51873

ANSELM, A. J. Passive annual heat storage principles in earth sheltered housing, a supplementary energy saving system in residential housing. Energy and Buildings, v. 40, p. 1214–1219. 2008. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2007.11.002.

BENARDOS, A. et al. Modern earth sheltered constructions: a paradigm of green engineering. Tunneling and Underground Space Technology, v. 41, p. 46–52. 2014. DOI: https://doi.org/10.1016/j.tust.2013.11.008.

CHMYZ, I. et al. A arqueologia da área do aterro sanitário da região metropolitana de Curitiba, em Mandirituba, Paraná. Curitiba: CEPA, 2003.

DERRADJI, M.; AICHE, M. Modeling the soil surface temperature for natural cooling of buildings in hot climates. Procedia Computer Science, v. 32, p. 615–621. 2014. DOI: https://doi.org/10.1016/j.procs.2014.05.468.

DUFFIE, J. A.; BECKMAN, W. A.; WOREK, W. M. Solar engineering of thermal processes. New York: Wiley, 2013.

FERNANDES, L. C.; KRÜGER, E. L. Thermal performance of a thermal performance of a roof-pond system under subtropical conditions. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON PASSIVE AND LOW ENERGY ARCHITECTURE (PLEA): DESIGN TO TRIVE, 33, 2017, Edinburgh. Proceedings [...]. Edinburgh: PLEA, 2017. v. 3, p. 4039-4045.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5ª ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GIVONI, B. Performance and applicability of passive and low-energy cooling systems. Energy and Buildings, v. 17, p. 177–199. 1991. DOI: https://doi.org/10.1016/0378-7788(91)90106-D.

GIVONI, B. Comfort climate analysis and building design guidelines. Energy and Buildings, v. 18 (1), p. 11-23. 1992. DOI: https://doi.org/10.1016/0378-7788(92)90047-K.

HAIT, J. Passive annual heat storage: improving the design of earth shelters. 3… ed. Chino Valley: Rocky Mountain Research Center, 2013.

KOTTEK, M.; J. GRIESER, C. BECK; B. RUDOLF; F. RUBEL. World map of the Köppen-Geiger climate classification updated. Meteorologische Zeitschrift, v. 15, p. 259–263. jun. 2006. DOI: https://doi.org/10.1127/0941-2948/2006/0130.

KRÜGER, E. L.; LANGE, S. C.; FERNANDES, L.; ROSSI, F. Avaliação do potencial de resfriamento de um sistema tetoreservatório para condições subtropicais. Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 16, n. 3, p. 107-125, jul./set. 2016. DOI:http://dx.doi.org/10.1590/s1678-86212016000300095.

LAMBERTS, R.; DUTRA, L.; PEREIRA, F.O.R. Eficiência energética na Arquitetura. 3.ed. Rio de Janeiro, 2014.

PERES, J. G.; BOSCHI, R. S.; SOUZA, C. F. Avaliação de modelos agrometeorológicos que utilizam a amplitude térmica do ar atmosférico para a estimativa das radiações global e líquida. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, v. 10, n. 4, Fortaleza, p. 715 - 725, Jul – Ago, 2016. DOI: https://doi.org/10.7127/RBAI.V10N400344.

ROSSI, Francine Aidie; KRUGER, Eduardo Leite; BRODE, Peter. Definição de faixas de conforto e desconforto térmico para espaços abertos em Curitiba, PR, com o índice UTCI. Ambient. constr., Porto Alegre, v. 12, n. 1, p. 41-59, mar. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1678-86212012000100004.

STANIEC, M.; NOWAK, H. Analysis of the earth-sheltered buildings' heating and cooling energy demand depending on type of soil. Archives of Civil and Mechanical Engineering, v. 11, n. 1, p. 221–235. 2011. DOI: https://doi.org/10.1016/S1644-9665(12)60185-X.

TALAMINI NETO, E. Caracterização geotécnica do subsolo de Curitiba para o planejamento de ocupação do espaço subterrâneo. 2001. 223 f. Dissertação (Mestrado em Geotecnia) – Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2001.

WEIMER, Günter. Arquitetura popular brasileira. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

WEIMER, Günter. Arquitetura indígena brasileira: suas origens remotas. In: FERREIRA, Mario dos Santos; BREGATTO, Paulo Ricardo; KOTHER, Maria Beatriz (Org.). Arquitetura & Urbanismo: posturas, tendências e reflexões. Porto Alegre: Livraria do Arquiteto, 2008. v. 1, p. 27–46.

Downloads

Publicado

2019-05-30

Como Citar

BIASI, J. A.; KRÜGER, E. L. Estudo do desempenho térmico de células-teste enterrada e semienterrada. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 10, p. e019023, 2019. DOI: 10.20396/parc.v10i0.8653908. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8653908. Acesso em: 31 jan. 2023.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)