Banner Portal
Iluminação natural em habitação multifamiliar
PDF

Palavras-chave

Iluminação natural
Habitação multifamiliar
Métricas baseadas no clima
Opinião dos usuários

Como Citar

TECHIO, Liliana Martins; ZAMBONATO, Bruna; GRIGOLETTI, Giane de Campos; CLARO, Anderson. Iluminação natural em habitação multifamiliar: o caso do conjunto residencial videiras, Santa Maria, RS. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 12, n. 00, p. e021007, 2021. DOI: 10.20396/parc.v12i00.8659780. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8659780. Acesso em: 13 jun. 2024.

Resumo

A iluminação natural é importante tanto para a eficiência energética das edificações, quanto para o conforto visual e bem-estar dos usuários. Este artigo avalia a disponibilidade de iluminação natural no Conjunto Residencial Videiras, em Santa Maria, RS, empreendimento de habitação multifamiliar do Programa Minha Casa Minha Vida do governo federal. O método considerou a Autonomia da Luz Natural (DA) e a Iluminância Útil de Luz Natural (UDI), obtidas por simulação com o programa APOLUX. A avaliação considerou recomendações da NBR15575 e do RTQ-R, para três ambientes: (1) dormitório principal, (2) sala, (3) cozinha e lavanderia. A opinião de usuários também foi levantada, por meio de questionários. Os resultados obtidos por simulação indicam que são atendidos os níveis de iluminância preconizados pela NBR 15575 e pelo RTQ-R. No entanto, tomando como critério o nível 120 lux, este não é atingido em todos os cômodos simulados. A grande maioria dos usuários expressou satisfação com a iluminação natural disponível. Observou-se que os usuários desenvolvem tarefas domiciliares que exigem níveis mais altos de iluminância do que aqueles indicados nas normas e regulamentos brasileiros. A partir dos resultados, são indicadas diretrizes que visam contribuir para o melhor desempenho lumínico em habitações multifamiliares. Os resultados apontam também a necessidade de rever tais parâmetros para adequá-los à realidade social e econômica do contexto.

https://doi.org/10.20396/parc.v12i00.8659780
PDF

Referências

ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15215: Iluminação Natural. Rio de Janeiro, 2005.

ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575: Edificações Habitacionais – Desempenho. Rio de Janeiro, 2013.

ANDERSEN, M. Unweaving the human response in daylighting design. Building and Environment, v. 91, p. 101–117, 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/j.buildenv.2015.03.014

BADESCU, V.; DUMITRESCU, A. New models to compute solar global hourly irradiation forma point cloudiness. Energy Conservation and management, v. 67, p. 75–91, 2013. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enconman.2012.10.021

BOGO, A. J.; PEREIRA, F. O. R.; CLARO, A. Avaliação quantitativa e direcional da admissão de luz natural através de janelas com elementos de controle solar. PARC Pesq. Em Arquit. e Constr., v. 1, n. 4, p. 91–110, 2009. DOI: https://doi.org/10.20396/parc.v1i4.8634503

BRASIL. Ministério das Cidades. Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Pesquisa de satisfação dos beneficiários do Programa Minha Casa Minha Vida. Brasília, DF: MCIDADES; SNH; SAE-PR; IPEA, 2014.

CASTRO, Adriana Petito de Almeida Silva. Analise da refletância de cores de tintas através da técnica espectrofotométrica. 2002. 113p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Engenharia Civil, Campinas, SP. Disponível em: http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/258050. Acesso em: 22 jan. 2021.

CLARO, A. Método para Determinação da Estimativa Anual de Luz Natural Utilizando o Modelo Vetorial Esférico para Radiosidade. Tese (Progressão a Professor Titular) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.

DOGAN, T.; PARK, T. C. Testing the residential daylight score: Comparing climate-based daylighting metrics for 2444 individual dwelling units in temperate climates. Lighting res. Technol., v. 52, n. 8, p. 991–1008, 2020. DOI: https://doi.org/10.1177%2F1477153520924838

CUNHA, A. de V. L. da. Avaliação do Programa Apolux segundo Protocolos de Modelos de Céu do Relatório Técnico CIE 171:2006. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Florianópolis, 2011. Disponível em: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/95986. Acesso em: 21 jan. 2021.

ERIKSSON, S.; WALDENSTROM, L.; TILLBERG, M.; OSTERBRING, M.; KALAGASIDIS, A. S. Numerical simulations and empirical data for the evaluation of daylight factors in existing buildings in Sweden. Energies, v. 12, n. 11, p. 2200, 2019. DOI: https://doi.org/10.3390/en12112200

GALASIU, A. D.; VEITCH, J. A. Occupant preferences and satisfaction with the luminous environment and control systems in daylit offices: a literature review. Energy and Buildings, v. 38, n. 7, p. 728–742, 2006. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2006.03.001

GHISI, E.; LAMBERTS, R. Desenvolvimento de uma metodologia para retrofit em sistemas de iluminação. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 7., 1998, Florianópolis. Anais [...]. Porto Alegre: ANTAC, 1998.

HELDWEIN, A. B.; BURIOL, G. A.; STRECK, N. A. História natural de Santa Maria: o clima de Santa Maria. Revista Ciência & Ambiente, Santa Maria, n. 38, p. 43–58, 2009.

INMETRO. INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA. RTQ-R Regulamento Técnico da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edificações Residenciais. Portaria n.º 18, de 16 de janeiro de 2012. Brasília: Procel Edifica, 2012.

KHARVARI, F. An empirical validation of daylighting tools: Assessing radiance parameters and simulation settings in Ladybug and Honeybee against field measurements. Solar Energy, v. 207, p. 1021–1036, 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.solener.2020.07.054

LABEEE. LABORATÓRIO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES. Arquivos Climáticos. SWERA. Florianópolis, Universidade Federal de Santa Cataria, 2020. Disponível em: http://www.labeee.ufsc.br/downloads/arquivos-climaticos. Acesso em: jan. 2018.

LEDER, S. M.; LEAL, L. Q.; LIMA, E. F. C. Percentual de abertura na fachada e tipos de fechamento no desempenho lumínico da edificação. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 13., 2015, Campinas. Anais [...]. Campinas: ANTAC, 2015.

LEDER, S. M.; PEREIRA, F. R.; MORAES, L. N. Determinação experimental de coeficiente de reflexão médio para superfícies verticais em um meio urbano. In: ENCONTRO NACIONAL E V LATINO AMERICANO DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 9., 2007, Ouro Preto. Anais [...]. Porto Alegre: ANTAC, 2007. p. 1057–1065.

MARDALJEVIC, J.; HESCHONG, L.; LEE, E. Daylight metrics and energy savings. Lighting Research Technology, v. 41, n. 3, p. 261–283, 2009. DOI: https://doi.org/10.1177%2F1477153509339703

MENDES, M.C.M.; FABRÍCIO, M. M.; IMAI, C. Considerações sobre o desempenho térmico, lumínico e acústico de sistemas construtivos inovadores em uso. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 15., João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: ANTAC, 2019. p. 3012–3021.

MORAIS, M. V.; CARNEIRO, T. M.; BARROS NETO, J. de P. Projeto de habitação de interesse social: Satisfação do usuário final. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 15., Maceió. Anais [...]. Maceió: Universidade Federal do Ceará, 2014.

NABIL, A.; MARDALJEVIC, J. Useful Daylight Illuminances: A Replacement for Daylight Factors. Energy and Buildings, v.38, n.7, p. 905–913, 2006. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2006.03.013

NASCIMENTO, T. C. C. Avaliação da NBR 15575 quanto ao desempenho térmico e luminoso: estudo de caso em Maceió-AL. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2016.

ORNSTEIN, S. W. Avaliação pós-ocupação (APO)no Brasil, 30 anos: o que há de novo? Revista Projetar Projeto e Percepção do Ambiente, v. 2, n. 2, p. 7–12, 2017. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revprojetar/article/view/16580. Acesso em: 21 jan. 2021.

PORTAL MINITAB. Tabela de Coeficientes Codificados para Análise de Variabilidade. Disponível em: https://support.minitab.com/pt-br/minitab/18/help-and-how-to/modeling-statistics/doe/how-to/factorial/analyze-variability/interpret-the-results/all-statistics-and-graphs/coded-coefficients-table/#coef. Acesso em 24 de julho de 2018.

REINHART, C. F.; MARDALJEVIC, J.; ROGERS, Z. Dynamic daylight performance metrics for sustainable building design. LEUKOS: The Journal of the Illuminating Engineering Society of North America, n. 3, v. 1, p. 7–31, 2006. DOI: https://doi.org/10.1582/LEUKOS.2006.03.01.001

SANTA MARIA. Lei Complementar N° 072, de 04 de novembro de 2009. LUOS. Lei de Uso do Solo do Município de Santa Maria. Santa Maria, RS, 2009.

SARTORI, M. G. B. O clima de Santa Maria, RS: do regional ao urbano. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1979.

SILVA, J. C. da; HELDWEIN, A. B.; MARTINS, F. B.; TRENTIN, G.; GRIMM, E. L. Análise de distribuição de chuva para Santa Maria, RS. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 11, n.1, p. 67–72, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-43662007000100009

Techio, L. Avaliação da Iluminação natural de habitação multifamiliar de interesse social: Conjunto Residencial Videiras, Santa Maria, RS. 2018. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.

TECHIO, L.; GRIGOLETTI, G.; CLARO, A.; ZAMBONATO, B. Avaliação da iluminação natural com o programa APOLUX – Estudo de caso em Santa Maria, RS. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 15.; ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO. 11., 2019, João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: ANTAC, 2019a.

TECHIO, L.M.; GRIGOLETTI, G. de C.; CLARO, A.; ZAMBONATO, B. Avaliação da iluminação natural através da perspectiva do usuário – conjunto residencial Videiras, Santa Maria, RS. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 15.; ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO. 11., 2019, João Pessoa. Anais [...]. João Pessoa: ANTAC, 2019b.

TORRES, S. C.; MACHADO, P. J. O. Introdução à climatologia. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

WANG, J.; WEI, M.; RUAN, X. Characterization of the acceptable daylight quality in typical residential buildings in Hong Kong. Building and Environment, v. 182, p. 107094, 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.buildenv.2020.107094

WYMELENBERG, K. V. D.; INANICI, M. A critical investigation of common lighting design metrics for predicting human visual comfort in offices with daylight. LEUKOS: The Journal of the Illuminating Engineering Society of North America, v.10, n. 3, p. 145–164, 2014. DOI: https://doi.org/10.1080/15502724.2014.881720

XUE, P.; MAK, C. M.; CHUENG, H. D. The effects of daylighting and human behavior on luminous comfort in residential buildings: A questionnaire survey. Building and Environment, v. 81, p. 51–59, 2014. DOI: https://doi.org/10.1016/j.buildenv.2014.06.011

XUE, P.; MAK, C. M.; HUANG, Y. Quantification of luminous comfort with dynamic daylight metrics in residential buildings. Energy and Buildings, v. 117, n. 1, p. 99–108, 2016. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2016.02.026

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção

Downloads

Não há dados estatísticos.