Banner Portal
Análise da qualidade de vida urbana sob a perspectiva dos espaços públicos de lazer em Videira, SC
PDF

Palavras-chave

Qualidade urbana
Qualidade de vida
Espaços públicos
Planejamento urbano

Como Citar

CAMARA, Inara Pagnussat; SECCO, Rafaela Hubler; FERNANDES, Gustavo; BIASI, Juliana Aparecida. Análise da qualidade de vida urbana sob a perspectiva dos espaços públicos de lazer em Videira, SC. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 13, n. 00, p. e022004, 2022. DOI: 10.20396/parc.v13i00.8662772. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8662772. Acesso em: 19 abr. 2024.

Resumo

Este trabalho analisa a qualidade de vida urbana na cidade de Videira, SC, através de um estudo realizado nos espaços públicos, destinados ao lazer. Primeiramente são classificados os sítios de lazer conforme as tipologias encontradas no município (parque, praça e largo) e investiga, baseado na evolução da cidade, a qualidade destes espaços, juntamente com sua infraestrutura, mobiliário urbano, estado de conservação e manutenção e a distribuição espacial relacionado a densidade populacional. Buscamos ainda, investigar em que medida os espaços de lazer desempenham função de qualidade ambiental e urbana, enquanto elementos do desenho urbano necessários as cidades contemporâneas. A qualidade de vida urbana pode ser percebida em níveis qualitativos e quantitativos, porém isto não é suficiente para quantificá-los pois precisamos compreender de que maneira estes espaços são distribuídos de maneira igualitária na malha urbana e atendem de maneira justa e democrática toda a população. Percebemos através das análises realizadas que os espaços são distribuídos de maneira desigual e necessitam de uma atenção mais holística no processo de planejamento urbano possibilitando cidades onde a distribuição territorial do espaço público de lazer é democrática, com as mesmas oportunidades de acesso à toda população.

https://doi.org/10.20396/parc.v13i00.8662772
PDF

Referências

ABATI, I. C. Videira. Italianos, terra e uva. Joaçaba: UNOESC, 2001. p. 73

ALCOFORADO, M. J. et al. Orientações climáticas para o ordenamento em Lisboa. Lisboa: Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa, 2005. 83 p.

CAMARA, I. P. Análise da qualidade da paisagem urbana e percepção dos usuários do Parque da Gare – Passo Fundo/RS. 159 p., 2018. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Meridional, Passo Fundo, 2018

CAMARA, I. P.; MOSCARELLI, F. Análise da paisagem e percepção pelos usuários do Parque da Gare, RS. Revista de Geografia e Ordenamento do Território, v. 16. p. 29-52, 2019. DOI: http://dx.doi.org/10.17127/got/2019.16.002

CARNEIRO, A. R. S.; MESQUITA, L. de B. Espaços livres do Recife. Recife: Prefeitura do Recife/UFPE, 2000.

CLIMATE-DATE.ORG. Videira Clima (Brasil), 2020. Disponível em: https://pt.climate-data.org/america-do-sul/brasil/santa-catarina/videira-43646/. Acesso em: 28 out. 2020.

CORONA, E.; LEMOS, C. A. C. Dicionário da arquitetura brasileira. São Paulo: Companhia das Artes, 1998.

CORRÊA, L. M. A atuação do holding Brazil Railway Company no Brasil (1904-1920). Assis: UNESP, 2019.

COSTA, A. J. D. A perdigão, a passagem do poder e a profissionalização nas empresas familiares. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA ECONÔMICA, 6.; CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE HISTÓRIA DE EMPRESAS, CONVESRATÓRIA, 7., Rio de Janeiro. Anais on-line [...]. Rio de Janeiro: ABPHE, 2005. Disponível em: http://www.abphe.org.br/arquivos/armando-joao-dalla-costa.pdf. Acesso em: 28 out. 2020.

DREW, P. La realidad del espacio: la arquitectura de Martorell, Bohigas, Mackay, Puigdomèneh. Barcelona: GG, 1993.

FERREIRA, A. B. H. Novo Aurélio Século XXI: o dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2003.

FONTES, Adriana Sansão; ESPÓSITO, Fernando; MARY, Fernanda Schwarc; ALVES, Lara Liberatto Nunes. Praças temporárias para ativação de vazios. O caso das Plazas Públicas de Bolsillo de Santiago. Arquitextos, São Paulo, ano 21, n. 245.04, Vitruvius, out. 2020. Disponível em: https://vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/21.245/7921.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Videira. Rio de Janeiro, IBGE, 2020. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sc/videira/panorama. Acesso em: 28 out. 2020.

IPCC - INTERGOVERNMENTAL PANEL ON CLIMATE CHNAGE. Climate change and land. [S.l.], 2019.

KLIASS, R. G. Os parques urbanos de São Paulo e sua evolução na cidade. São Paulo: PINI, 1993.

LAMAS, J. M. R. G. Morfologia urbana e desenho da cidade. [S.l]: Fundação Calouste Gulbenkian, 1993.

LIMA, V.; AMORIM, M. C. de C. T. A importância das áreas verdes para a qualidade ambiental das cidades. Formação (online), v. 1, n. 13, p. 139-165, 2006. DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v1i13.835

MACEDO, S. S.; SAKATA, F. G. Parques urbanos no Brasil. São Paulo: EDUSP, 2002.

MOSCARELLI, F.; CAROSO, G. T. Urban Rules and Morphology Analysis as Support to Solar Performance. IOP Conf. Ser.: Earth Environ. Sci. v. 503, 012034, 2020. DOI:

OLIVEIRA, L. A.; MASCARÓ, J. J. Análise da qualidade de vida urbana sob a ótica dos espaços públicos de lazer. Ambiente Construído, v. 7, n. 2, p. 56-69, 2007. Diposnível em; https://seer.ufrgs.br/ambienteconstruido/article/view/3737. Acesso em: 28 out. 2020.

PUPPI, I. C. Estruturação sanitária das cidades. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 1981.

ROBBA, F.; MACEDO, S. S. Praças brasileiras. São Paulo: EDUSP, 2003.

ROLNIK, R. O que é cidade. São Paulo: Brasiliense, 1998.

ROMERO, M. A. B. Arquitetura bioclimática do espaço público. Brasília: UnB, 2001.

VIDEIRA (Município). Portal de Turismo de Videira, 2020. Disponível em: https://turismo.videira.sc.gov.br/sobre-a-cidade. Acesso em: 28 out. 2020.

ZAGO, D. A campanha de nacionalização em Videira: um tempo para ser esquecido. 2007. 151 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2007. Disponível em: http://tede.upf.br/jspui/handle/tede/62. Acesso em: 28 out. 2020.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção

Downloads

Não há dados estatísticos.