Banner Portal
Desempenho higrotérmico de paredes de alvenaria em edificação residencial em clima subtropical úmido
PDF (English)

Palavras-chave

Umidade
Simulação computacional
Isolamento térmico
Umidade em paredes

Como Citar

BULIGON, Liliane Bonadiman; MACARTHY, Maritza da Rocha; BERNARDES, Luiza Coutinho; LEITZKE, Rodrigo Karini; GRIGOLETTI , Giane de Campos; CUNHA, Eduardo Grala da. Desempenho higrotérmico de paredes de alvenaria em edificação residencial em clima subtropical úmido. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 13, n. 00, p. e022029, 2022. DOI: 10.20396/parc.v13i00.8667258. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8667258. Acesso em: 24 maio. 2024.

Resumo

A falta do controle da umidade em edificações pode afetar a durabilidade dos materiais, o conforto térmico, o consumo energético e a qualidade do ar interno, assim como propiciar o crescimento de micro-organismos (fungos filamentosos) prejudiciais à saúde do usuário. Nesse contexto, o objetivo deste estudo é analisar o comportamento higrotérmico de quatro configurações de sistemas de vedação vertical externa (SVVE) de tijolos cerâmicos com diferentes níveis do isolamento térmico e estanqueidade à água para o clima subtropical úmido. Para isso, foram definidas as tipologias SVVE; em seguida, foram realizadas as simulações da edificação, considerando duas condições: ventilada naturalmente e condicionada artificialmente. Foram utilizados dois programas de simulação computacional: EnergyPlus (versão 8.7) e WUFI Pro 6.5. E por fim, foram avaliados os resultados quanto ao teor de umidade total, risco de condensação e o risco de formação de fungos filamentosos. Os resultados mostram que nas paredes que atendem aos requisitos da NBR 15575 não houve garantia da minimização da umidade na superfície interna, nem mesmo para os ambientes com climatização artificial. Quanto à formação de fungos filamentosos, só foi possível evitar os problemas nos ambientes com temperatura controlada, exceto na parede de tijolo cerâmico que apresentou risco em todas as condições simuladas.

https://doi.org/10.20396/parc.v13i00.8667258
PDF (English)

Referências

ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15.220-3: Desempenho Térmico de edificações - Parte 3: Zoneamento bioclimático brasileiro e diretrizes construtivas para habitações unifamiliares de interesse social. Rio de Janeiro: ABNT, 2005b.

ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15220: Desempenho Térmico de Edificações. Rio de Janeiro, 2005a.

ABNT. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575: Edificações Habitacionais — Desempenho. Rio de Janeiro, 2013.

ASHRAE. American Society of Heating, Refrigerating and Air-Conditioning Engineers. ASHRAE Standard 160: Criteria for Moisture - Control Design Analysis in Buildings. Atlanta, USA, 2016.

BERGER, J.; GUERNOUTI, S.; WOLOSZYN, M.; BUHE, C. Factors governing the development of moisture disorders for integration into building performance simulation. Journal of Building Engineering, v. 3, p. 1-15, Sept. 2015. DOI: 10.1016/j.jobe.2015.04.008.

BUSSER, T.; PAILHA, M.; PIOT, A.; WOLOSZYN, M. Simultaneous hygrothermal performance assessment of an air volume and surrounding highly hygroscopic walls. Building and Environment, v. 148, p. 677-688, Jan. 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.buildenv.2018.11.031.

CHO, H. M.; WI, S.; CHANG, S. J.; KIM, S. Hygrothermal properties analysis of cross-laminated timber wall with internal and external insulation systems. Journal of Cleaner Production, v. 231, p. 1353–1363, Sept. 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2019.05.197.

CUNHA, E. G.; VAUPEL, K.; LUKING, R.M. Verificação da Formação de Mofo e Bolor em Superfícies Interiores de Paredes Exteriores Situadas na Zona Bioclimática 3 de acordo com a NBR 15220 e PNBR 02.136.01. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL NUTAU-ESPAÇO SUSTENTÁVEL: INOVAÇÕES EM EDIFÍCIOS E CIDADES, 7., 2008, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: Núcleo de Pesquisa em Tecnologia da Arquitetura e Urbanismo - USP, 2008. Disponível em: https://www.usp.br/nutau/CD/51.pdf. Acesso em 30 ago. 2021.

DALBEM, R. Desempenho de edificação residencial no Sul do Brasil sob a ótica energética e econômica da NBR 15575 à Passive House. 2018. 122 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2018. Disponível em: https://wp.ufpel.edu.br/prograu/files/2021/04/dissertacao_renata_dalbem_UFPEL.pdf. Acesso em: 21 jan. 2021.

DELGADO, J. M. P. Q.; BARREIRA, E.; RAMOS, N.; FREITAS, V. Hygrothermal numerical simulation tools applied to building physics. London: Springer, 2013. 66 p.

DIN. DEUTSCHES INSTITUT FÜR NORMUNG. DIN 4108-2: Wärmeschutz und Energie - Einsparung in Gebäuden – Teil 2: Mindestanforderungen na den Wärmeschutz. Berlin, 2003.

DOE. U. S. Department of Energy. Getting started EnergyPlusTM Version 8.9.0 Documentation, 2018. Disponível em: https://bigladdersoftware.com/epx/docs/8-9/index.html. Acesso em: 20 out. 2021.

ECS. EUROPEAN COMMITTEE FOR STANDARDIZATION. BS EN 15026: Hygrothermal Performance of Building Components and Building Elements - Assessment of Moisture Transfer by Numerical Simulation. London: British Standars, 2007.

EMBRAPA. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Normais climatológicas: estacional. Pelotas: EMBRAPA, 2001. Disponível em: http://agromet.cpact.embrapa.br/estacao/estacional.html. Acesso em 20 de julho de 2021.

FRANÇA, C. M. C. Avaliação dos Programas para Quantificar Condensações em Engenharia Civil. 2013. 101 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil – Especialização em Construções) – Faculdade de Engenharia, Universidade do Porto, Porto, 2013.

GUERRA, F. L.; CUNHA, E. G.; SILVA, A. C. S. B.; KNOP, S. Análise das condições favoráveis à formação de bolor em edificação histórica de Pelotas, RS, Brasil. Ambiente Construído, v. 12, n. 4, p. 7–23, dez. 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1678-86212012000400002.

IBRAHIM, M.; WURTZ, E.; BIWOLE, P. H.; ACHARD, P.; SALLEE H. Hygrothermal performance of exterior walls covered with aerogel-based insulating rendering. Energy and Buildings, v. 84, p. 241-251, Dec. 2014. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2014.07.039.

INMETRO. INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA. Regulamento Técnico da Qualidade para o Nível de Eficiência Energética de Edificações Residenciais, RTQ-R, 2012. Disponível em: http://www.pbeedifica.com.br/sites/default/files/projetos/etiquetagem/residencial/downloads/RTQR.pdf. Acesso em: 20 jan. 2021.

IRGA. Instituto Rio Grandense do Arroz. Médias climatológicas: Pelotas. Porto Alegre: IRGA, [201?]. Disponível em: https://irga.rs.gov.br/medias-climatologicas. Acesso em: 20 jul. 2021.

JORNE, F. J. F. Análise do comportamento higrotérmico de soluções construtivas de paredes em regime variável. 2010. 154 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2010. Disponível em: https://run.unl.pt/bitstream/10362/4976/1/Jorne_2010.pdf. Acesso em: 21 ago. 2021.

KUINTCHER, A.; BURIOL, G. A. Clima do estado do Rio Grande do Sul segundo a classificação climática de Koppen e Thornthwaite. Disciplinarum Scientia: Ciências Naturais e Tecnologicas, v. 2, n. 1, p. 171-182, 2001. Disponível em: https://periodicos.ufn.edu.br/index.php/disciplinarumNT/article/view/1136/1077#. Acesso em 20 jan. 2021.

LABEEE. LABORATÓRIO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES. Arquivos Climáticos. Florianópolis. Universidade Federal de Santa Catarina. 2020 Disponível em: https://labeee.ufsc.br/index.php/downloads/arquivos-climaticos . Acesso em: 20 jan. 2021.

LABEEE. LABORATÓRIO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES. PROJETEEE. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina. 2021. Disponível em: http://www.mme.gov.br/projeteee. Acesso em: 20 jan. 2021.

LEITZKE, R. K.; BELTRAME, C. M.; FREITAS, J. R.; SEIXAS, J. N.; MACIEL, T. S.; CUNHA, E. G.; RHEINGANTZ, P. A. Optimization of the Traditional Method for Creating a Weather Simulation File: The Pelotas.epw Case. Journal of Civil Engineering and Architecture, v. 12, p. 741-756, 2018. DOI: 10.17265/1934-7359/2018.10.006.

MENDES, N. Modelos para Previsão da Transferência de Calor e de Umidade em Elementos Porosos de Edificações. 1997. 248 f. Tese (Doutorado em Engenharia Mecânica) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1997.

MENDES, N.; WINKELMANN, F. C.; LAMBERTS, R.; PHILIPPI, P. C. Moisture effects on conduction loads. Energy and Buildings, v. 35, n. 7, p.631–644, 2003. DOI: https://doi.org/10.1016/S0378-7788(02)00171-8.

MORISHITA, C.; BERGER, J.; CARNEIRO, A.; MENDES, N. Issues about moisture in residential buildings of Brazil. In: CIB WORLD BUILDING CONGRESS, 20., 2016, Tampere. Proceedings […]. Tampere: University of Technology, Tampere, 2016. v. 1, p. 865–884.

MORISHITA, C.; BERGER, J.; MENDES, N. Weather-based indicators for analysis of moisture risks in buildings. Science of The Total Environment, v. 709, p. 134850, Mar. 2020. DOI: 10.1016/j.scitotenv.2019.134850.

NASCIMENTO, M.; PEREIRA, J. G.; ALVES, G. L.; SANTOS, V. F.; DANTAS, A. A. N. Hygrothermal simulation: Use for service life prediction and maintenance of façades. In: SYNGELLAKIS S. (ed.). Eco-Architecture VII. Southampton: WIT Press, 2019, v. 183, p. 139–149. (Series: WIT Transactions on the Built Environment).

PARK, J. H.; KANG, Y.; LEE, J.; CHANG, S. J.; WI, S.; KIM, S. Development of wood-lime boards as building materials improving thermal and moisture performance based on hygrothermal behavior evaluation. Construction and Building Materials, v. 204, p. 576–585, Apr. 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.conbuildmat.2019.01.139.

RECKZIEGEL, S.; MARTINS D. J.; RAU S. L.; PRIEBE, A.; SILVA, A. C. B. Ensaio sobre a utilização da automação de aberturas na simulação do desempenho térmico de edificações. In: ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 6.; ENCONTRO NACIONAL, 10., 2009, Natal. Anais […]. Natal: ANTAC, 2009. 1 CD-ROM.

RIBEIRO, P. J. T. Análise Comparativa de Diferentes Modelos de Simulação Numérica na Avaliação da Ocorrência de Condensações Internas. 2013. 197 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil – Perfil de Construção) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2013. Disponível em: https://run.unl.pt/bitstream/10362/9924/1/Ribeiro_2013.pdf. Acesso em: 21 set. 2021.

SANTOS, A. Comportamento Higrotérmico de paredes em gesso: Avaliação da adequabilidade a zonas climáticas do Brasil. 2017. 210 f. Tese (Doutorado em Engenharia Civil) - Faculdade de Engenharia, Universidade do Porto, Porto, 2017. Disponível em: https://sigarra.up.pt/faup/pt/pub_geral.pub_view?pi_pub_base_id=176702. Acesso em 20 set. 2021.

SEDLBAUER, K. Prediction of mould fungus formation on the surface of an inside building components. 2001. 247 p. Thesis (Doctoral) - Fraunhofer Institute for Building Physics, 2001.

SEDLBAUER, K.; SCHUNCK, E.; BARTHEL, R.; KÜNZEL, H. Flat roof construction manual: materials, design, applications. 2nd. ed. Basel: Birkhäuser, 2010.

SETTER, L.; SMOORENBURG, E.; WIJESURIYA, S.; TABARES-VELASCO, P. C. Energy and hygrothermal performance of cross laminated timber single-family homes subjected to constant and variable electric rates. Journal of Building Engineering, v. 25, p. 100784, Sept. 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jobe.2019.100784.

SILVA, F. B.; OLIVEIRA, L. A. De. Características técnicas de barreiras resistentes à água para aplicação em fachadas no Brasil. In: WORKSHOP DE TECNOLOGIA DE PROCESSOS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS, 2., 2019, São Paulo. Anais [...]. São Paulo: ANTAC, 2019. Disponível em: https://eventos.antac.org.br/index.php/tecsic/article/view/338/275. Acesso em: 20 jan. 2021.

SORGATO, M. J.; MELO, A. P.; LAMBERTS, R. The effect of window opening ventilation control on residential building energy consumption. Energy and Buildings, v. 133, p. 1–13, Dec. 2016. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2016.09.059.

SOUZA, J; LUCENAS, R.; DIAS, S.; NASCIMENTO, M. A simulação higrotérmica no estudo da degradação de fachadas em Teresina-PI. In: CONFERÊNCIA SOBRE PATOLOGIA E REABILITAÇÃO DE EDIFÍCIOS - PATORREB, 6., 2018, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: POLI/UFRJ, 2018. Disponível em: https://www.nppg.org.br/patorreb/files/artigos/80636.pdf. Acesso em: 20 out. 2021.

TRINDADE, A. D.; COELHO, G. B. A.; HENRIQUES, F. M. A. Influence of the climatic conditions on the hygrothermal performance of autoclaved aerated concrete masonry walls. Journal of Building Engineering, v. 33, p. 101578, 2021. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jobe.2020.101578.

ZIRKELBACH, D.; SCHMIDT, T.; KEHRER, M.; KÜNZEL H. M. WUFI Pro-Manual. Stuttgart: Fraunhofer Institute for Building Physics, 2007.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção

Downloads

Não há dados estatísticos.