Banner Portal
Aplicação de experimento fatorial como método para a definição de zonas bioclimáticas a partir do conforto térmico
Neste volume apresentamos na capa a Residência para professores em Gando, Burkina Faso. Projetada por Francis Kéré. Imagem do Wikimedia Commons
PDF

Palavras-chave

Zoneamento bioclimático brasileiro
Desempenho térmico
Conforto adaptativo
Edifícios residenciais

Como Citar

FERREIRA, Camila Carvalho; CARLO, Joyce Correna. Aplicação de experimento fatorial como método para a definição de zonas bioclimáticas a partir do conforto térmico. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 14, n. 00, p. e023005, 2023. DOI: 10.20396/parc.v14i00.8669076. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/parc/article/view/8669076. Acesso em: 21 jun. 2024.

Resumo

O zoneamento bioclimático apresenta-se como importante ferramenta para fornecer subsídios para a estruturação de normativa de desempenho térmico e de códigos de eficiência energética de edificações. No entanto, uma metodologia consistente para o desenvolvimento de propostas de zoneamentos é ainda tema de ampla discussão. O objetivo deste artigo é avaliar a aplicabilidade do experimento fatorial como método para caracterização de zonas bioclimáticas. Para tal, empregou-se o experimento fatorial para a análise das variáveis de influência no desempenho térmico de edificações residenciais ventiladas naturalmente em diferentes climas brasileiros. Foram realizadas simulações de desempenho térmico a partir da fatorial e as cidades analisadas foram agrupadas de acordo com a performance quanto ao conforto térmico e com as variáveis de influência. De forma geral, as principais variáveis de influência no conforto térmico das edificações foram a absortância solar da envoltória, a transmitância térmica das coberturas e a ventilação. Para climas mais amenos a transmitância térmica das paredes também apresentou influência, enquanto a capacidade térmica das paredes apresentou influência para os climas de transição. Dentre as localidades amostradas, pode-se reconhecer quatro padrões de comportamento quanto ao conforto térmico e quanto às variáveis de influência, possibilitando o agrupamento das cidades. Identificou-se quatro zonas bioclimáticas, subdivididas de acordo com as necessidades de ventilação específicas locais. A originalidade deste trabalho está na proposta de uma caracterização de zonas bioclimáticas fundamentada em um modelo de conforto adaptativo, na inclusão de mais de um modelo de edificações multifamiliares na análise e na utilização do experimento fatorial.

https://doi.org/10.20396/parc.v14i00.8669076
PDF

Referências

ABNT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15.220-3: Desempenho Térmico de Edificações - Parte 3: Zoneamento Bioclimático Brasileiro e Diretrizes construtivas para Habitações Unifamiliares de Interesse Social. Rio de Janeiro: ABNT. 2005.

AHMED, B. Y. M. Climatic classification of Saudi Arabia: an application of factor – cluster analysis. GeoJournal, v. 41, Jan. 1997. p. 69-84. DOI: https://doi.org/10.1023/A:1006827322880.

AMORIM, A. C. Análise de Métodos de Determinação do Zoneamento Bioclimático Brasileiro a partir do Estudo de Caso de Colatina - ES. 2015. 130 p. Dissertação (Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo) - Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2015. Disponível em: https://www.locus.ufv.br/bitstream/123456789/7664/1/texto%20completo.pdf. Acesso em: 25 ago. 2020.

ARAÚJO, V. M. D. D. Parâmetros de Conforto Térmico para Usuários de Edificações Escolares no Litoral Nordestino Brasileiro. 1996. 179 p. Tese (Doutorado) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo. São Paulo. 1996.

ARAÚJO, V. M. D. D.; ARAÚJO, E. H. S. D. Estudo da aplicabilidade de índices e zonas de conforto térmico na avaliação de desempenho térmico de edificações em Natal-RN. In: ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 4., 1997, Salvador. Anais [...]. Salvador: ANTAC, 1997. p. 262-268.

ASHRAE. AMERICAN SOCIETY OF HEATING, REFRIGERATING AND AIR-CONDITIONINGENGINEERS. ASHRAE 90.1: Energy Standard for Buildings Except Low-Rise Residential Buildings. Atlanta: ANSI, 2013.

ASHRAE. AMERICAN SOCIETY OF HEATING, REFRIGERATING AND AIR-CONDITIONINGENGINEERS. ASHRAE 55: Thermal Environmental Conditions for Human Occupancy. Atlanta: ANSI, 2017.

CAMELO, S.; SANTOS, C. P.; RAMALHO, A.; HORTA, C.; GONÇALVES, H.; MALDONAO, E. (ed.). Manual de Apoio à Aplicação do RCCTE: Regulamento das Características do Comportamento Térmico dos Edifícios. Lisboa: INETI, 2005. p. 220.

CARLO, J. C. Desenvolvimento de metodologia de avaliação da eficiência energética do envoltório de edificações não-residenciais. 2008. 215 p. Tese (Doutor em Engenharia Civil) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2008.

CHILE. Ministerio de Vivienda y Urbanismo. Manual de Procedimientos Calificación Energética de Viviendas en Chile. Santiago: Minvu, 2018. v. 2. (Monografias y Ensayos. Estándares Técnicos para Edificaciones Residenciais). Dusponível em: http://biblioteca.digital.gob.cl/handle/123456789/3481. Acesso em: 20 jun. 2020.

COLOMBIA. Ministerio de Ambiente y Desarrollo Sostenible. Criterios Ambientales para el Diseño y Construcción de Vivienda Urbana. Bogotá: MADS, 2012. 200 p.

COSTA, S. R. G. D.; BARBIRATO, G. M.; GOULART, S. V. G. Desempenho Térmico e Habitação: uma avaliação comparativa no contexto climático da zona bioclimática. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 14., 2012, Juiz de Fora. Anais [...]. Juiz de Fora: ANTAC, 2012. p. 1907-1915.

DE DEAR, E.; XIONG, J.; KIM, J.; CAO, B. A review of adaptive thermal comfort research since 1998. Energy and Buildings, v. 214, May 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2020.109893.

DE DEAR, R.; BRAGER, G. S. Thermal Comfort in Naturally Ventilated Buildings: Revisions to ASHRAE Standard 55. Energy and Buildings, v. 34, n. 6, July 2002. p. 549-564. DOI: https://doi.org/10.1016/S0378-7788(02)00005-1.

DOE - U.S. DEPARTMENT OF ENERGY. High-Performance Home Technologies: Guide to Determining Climate Regions by Country. Washington: DOE, 2015.

EQUADOR. Ministerio de Desarrollo Urbano y Vivienda. NEC - Norma Ecuatoriana de la Construcción: Eficiencia energética en edificaciones residenciales (EE). Quito: MIDUVI, 2018. 48 p.

EQUADOR. Ministerio de Desarrollo Urbano y Vivienda. NEC 11 - Eficiencia Energética en la Construcción en Ecuador. Quito: MIDUVI, 2011.

ERELL, E.; PORTNOV, B. A.; ETZION, Y. Mapping the potential for climate-conscious design of buildings. Building and Environment, v. 38, n. 2, p. 271-281, Feb. 2003. DOI: https://doi.org/10.1016/S0360-1323(02)00119-1.

EVANS, J. M. The Comfort Triangles: a new tool for bioclimatic design. 2007. 315 p. Thesis (Doctor of Philosophy) Technische Universiteit Delft, Delft, 2007.

EVANS, J. M. Zonificacion Bioambiental en Latinoamerica para una Arquitectura Sustentable. Avances em Energías Renovables e Medio Ambiente, v. 8, n. 1, p. 163-168, 2004. Disponível em: http://sedici.unlp.edu.ar/handle/10915/81752. Acesso em: 20 ago. 2020.

FERREIRA, C. C.; SOUZA, H. A. D.; CARLO, J. C. Variáveis de influência no desempenho térmico de edificações em regime transiente. PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção, Campinas, SP, v. 12, 2021. DOI: https://doi.org/10.20396/parc.v12i00.8661655.

FERREIRA, C. C.; SOUZA., H. A. D. Avaliação da aplicabilidade de índices de conforto adaptativo para o caso brasileiro. ENCONTRO LATINOAMERICANO, 8.; ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 12., 2013. Anais […]. Brasília: ANTAC. 2013. p. 692-701.

GARCÍA, A. S. W. Zoneamento bioclimático para edificações baseado no desempenho térmico. 2017. 151 p. Tese (Doutora em Arquitetura, Tecnologia e Cidade) - Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual de Campina, Campinas, 2017.

GIVONI, B. Comfort, Climate Analysis and Buliding Design Guidelines. Energy and Buildings, v. 18, n. 1, p. 11-23, 1992. DOI: https://doi.org/10.1016/0378-7788(92)90047-K.

GONÇALVES, J. C. S.; BODE, K. (org.) Edifício Ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2015. 592 p.

GONÇALVES, W. B. Estudo de Índices de Conforto Térmico Avaliados com Base em População Universitária na Região Metropolitana de Belo Horizonte [manuscrito]. 2000. 241 p. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Engenharia Mecânica, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2000.

HUMPHREYS, M. A. Field studies of thermal comfort compared and applied. The Building Services Engineer, 44, p. 5-27, Apr. 1976.

INN. INSTITUTO NACIONAL DE NORMALIZACION (Chile). NCh 1078: Arquitectura y Construcción - Zonificación climático habitacional para Chile y recomendaciones para el diseño arquitetónico. 2. ed. Santiago: INN, 2008.

INVIDIATA, A.; MELO, A. N.; VERSAGE, R.; SOUSA, R.; LAMBERTS, R. Análise de agrupamento de 411 cidades brasileiras baseado em indicadores de desempenho de edificações residenciais naturalmente ventiladas. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 16., 2016. Anais […]. São Paulo: ANTAC, 2016. p. 1079-1094.

IRAM. INSTITUTO ARGENTINO DE NORMALIZACIÓN Y CERTIFICACIÓN. IRAM 11603 - Acondicionamiento Térmico de Edificios: Clasificación bioambiental de la República Argentina. Buenos Aires: Instituto Argentino de Normalización y Certificación, 2011. 43 p. Disponível em: https://procesosconstructivos.files.wordpress.com/2011/08/iram-11603-e1.pdf. Acesso em: 20 jun. 2021.

KOENIGSBERGER, O. H.; MAHONEY, C.; EVANS, J. M. Climate and House Design. New York: United Nations, 1970.

MARTINS, T. A. D. L.; BITTENCOURT, L. S.; KRAUSE, C. M. D. L. B. Contribuição ao Zoneamento Bioclimático Brasileiro: reflexões sobre o semiárido nordestino. Ambiente Construído, v. 12, n. 2, p. 59-75, abril/junho 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1678-86212012000200005.

MAZZAFERRO, L.; MACHADO, R. S.; MELO, A. P.; LAMBERTS, R. Do we need building performance data to propose a climatic zoning for building energy efficiency regulations? Energy and Buildings, v. 225, Oct. 2020. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2020.110303.

NEGREIROS, B.; PEDRINI, A. Métodos de predição de desempenho térmico de habitação em clima quente-úmido, com condicionamento passivo. In: Encontro Latinoamericano, 8.; ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 12., 2013, Brasília. Anais [...]. Brasília: ANTAC. 2013. p. 346-353.

NICOL, F.; HUMPHREYS, M.; ROAF, S. Adaptative Thermal Comfort: principles and practice. New Yok: Routledge, 2012.

NICOL, J. F. Adaptive thermal comfort standards in the hot-humid tropics. Energy and Buildings, v. 36, n. 7, p. 628-637, July 2004. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2004.01.016.

PEREIRA, I. M.; ASSIS, E. S. D. Avaliação de modelos de índices adaptativos para uso no projeto arquitetônico bioclimático. Ambiente Construído, v. 10, n. 1, p. 7-51, mar. 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S1678-86212010000100002.

PERU. Ministerio de Educacion Institucional. Guía De Aplicación De Arquitectura Bioclimática En Locales Educativos. Lima: Oficina de Infraestructura Educativa, 2008. 114 p. Disponível em: https://www2.congreso.gob.pe/sicr/cendocbib/con4_uibd.nsf/9A45F1BED1AB7C6705257CCA00550A. Acesso em 20 out. 2021.

REIS, E. A.; REIS, I. A. Análise Descritiva de Dados. Belo Horizonte: UFMG, 2002. 64 p. Disponível em: http://www.est.ufmg.br/portal/arquivos/rts/rte0202.pdf. Acesso em 20 ago. 2021.

RORIZ, M. Classificação de climas do Brasil versão 2. ANTAC - Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído. São Carlos: LabEEE, 2013a. Disponível em: http://www.labeee.ufsc.br/sites/default/files/Climas_v2.pdf. Acesso em: 25 ago. 2020.

RORIZ, M. Classificação de climas do Brasil versão 2.1. ANTAC - Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído. São Carlos: LabEEE, 2013b. Disponível em: http://www.labeee.ufsc.br/sites/default/files/Climas_v2-1.pdf. Acesso em: 25 ago. 2020.

RORIZ, M. Classificação de climas do Brasil versão 3.0. ANTAC - Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído. São Carlos: LabEEE, 2014. Disponível em: http://cb3e.ufsc.br/sites/default/files/Roriz_2014.pdf. Acesso em: 25 ago. 2020.

SAID, S. A. M.; HABIB, M. A.; IQBAL, M. O. Database for building energy prediction in Saudi Arabia. Energy conversion and management, v. 44, n. 1, p. 191-201, Jan. 2003. DOI: https://doi.org/10.1016/S0196-8904(02)00042-0.

SCHMID, A. L. Tradução comentada do clássico artigo que lança a ideia do diagrama bioclimático do edifício. In: ENCONTRO NACIONAL, 13.; ENCONTRO LATINO-AMERICANO DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 9., 2015. Anais [...]. Brasília: ANTAC. 2015.

SILVEIRA, A. L. R. C.; KALLAS, L. E.; RIBEIRO, S. C. Determinação de Zona de Conforto Térmico para Ambientes Escolares em Teresina. In: CONFERÊNCIA LATINO AMERICANA SOBRE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 2.; ENCONTRO NACIONAL DE CONFORTO NO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 7., 2003. Anais [...]. Curitiba: ANTAC. 2003. p. 346-353.

SORGATO, M. J. Desempenho térmico de edificações residenciais unifamiliares ventiladas naturalmente. 2009. 216 p. Dissertação (Mestre em Engenharia Civil) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

TEIXEIRA, C. A.; INVIDIATA, A.; SORGATTO, M. J.; MELLO, A. P.; LAMBERTS, R. Levantamento das características de edifícios residenciais brasileiros. CB3E. Florianópolis, 2015.

TELLES, C. P. Proposta de Simplificação do RTQ-R. 2016. 118 f. Dissertação (Magister Scientiae) - Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2016.

UNITED NATIONS. World Urbanization Prospects: the 2014 Revision. New York: United Nations, 2015. 517 p.

WALSH, A.; CÓSTOLA, D.; LABAKI, L. C. Comparasion of three climatic zoning methodologies for building energy efficiency applications. Energy and Buildings, v. 146, p. 111-121, July 2017a. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2017.04.044.

WALSH, A.; CÓSTOLA, D.; LABAKI, L. C. Review of methods for climatic zoning for building energy efficiency programs. Building and Environment, v. 112, p. 337-350, Feb. 2017b. DOI: https://doi.org/10.1016/j.buildenv.2016.11.046.

WALSH, A.; LABAKI, L.; CÓSTOLA, D. Panorama do Zoneamento Bioclimático nas Américas. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 15., 2014, Anais [...]. Maceió: ENTAC, 2014. DOI: https://doi.org/10.17012/entac2014.726.

WAN, K. K. W.; LI, D. H. W.; YANG, L.; LAM, J. C. Climate classifications and building energy use implications in China. Energy and Buildings, v. 42, n. 9, p. 1463-1471, Sept. 2010. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2010.03.016.

WBCSD. WORLD BUSINESS COUNCIL FOR SUSTAINABLE DEVELOPMENT. Energy efficiency in buildings: business realities and opportunities: facts and figures. London: NHBS, 2007. 44 p.

XAVIER, A. A. P. Condições de Conforto Térmico para Estudantes de 2 Grau na Região de Florianópolis. 1999. 209 p. Dissertação (Mestre em Engenharia Civil) - Curso de Pós-graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1999.

XIONG, J.; YAO, R.; GRIMMOND, S.; ZHANG, Q.; LI, B. A hierarchical climatic zoning method for energy efficient building design applied in the region with diverse climate characteristics. Energy and Buildings, v. 186, p. 355-367, Mar. 2019. DOI: https://doi.org/10.1016/j.enbuild.2019.01.005.

ZUHAIRY, A. A.; SAYIGH, A. A. M. The development of the bioclimatic concept in building design. Renewable Energy, v. 3, n. 4/5, p. 521-533, June-July 1993. DOI: https://doi.org/10.1016/0960-1481(93)90118-Z.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 PARC Pesquisa em Arquitetura e Construção

Downloads

Não há dados estatísticos.