Banner Portal
O ensino da promoção da saúde na graduação de fonoaudiologia na cidade de São Paulo
Remote

Palavras-chave

Fonoaudiologia. Promoção da saúde. Educação superior. Ensino

Como Citar

CASANOVA, Isis Alexandrina. O ensino da promoção da saúde na graduação de fonoaudiologia na cidade de São Paulo. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 21, n. 3, p. 219–234, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643332. Acesso em: 18 abr. 2024.

Resumo

As Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para os cursos da saúde recomendam o ensino da promoção da saúde no sentido de adequar os currículos ao Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo deste estudo foi caracterizar o ensino da promoção da saúde em cursos de fonoaudiologia da cidade de São Paulo, identificando sua inserção curricular, estratégias educativas e mudanças propiciadas pelas DCN. A coleta de dados compreendeu análise documental dos planos de ensino e entrevistas com coordenadoras de cursos de fonoaudiologia. Os dados obtidos a partir dos planos de ensino foram sistematizados, considerando: denominação, inserção curricular, carga horária, objetivos, conteúdos e estratégias didáticas. Os núcleos que orientaram a análise temática das entrevistas foram concepções e mudanças curriculares. A promoção da saúde é abordada nas disciplinas em que predominam práticas tradicionais e, durante o estágio, em diferentes cenários de atuação. Na visão das coordenadoras, o ensino da promoção da saúde é relevante para a atuação do fonoaudiólogo no SUS, embora seja necessário incrementar o número de professores com experiência na área de saúde pública.

Abstract:

The National Curriculum Guidelines (NCG) for the courses on health recommend the teaching of health promotion in order to adapt curricula to the National Health System (NHS). The aim of this study was to characterize the teaching of health promotion in courses on speech-language therapy in the city of São Paulo, identifying its curricular insertion, educational strategies and changes offered by the NCG. Data collection consisted of documental review of teaching plans and interviews with coordinators of speech-language therapy courses. Data obtained from the teaching plans were systematized considering the name, curricular integration, teaching time, goals, content and teaching strategies. The nuclei that guided the thematic analysis of the interviews were conceptions and curriculum changes. Health promotion is taught in subjects with traditional practices and during internship, in different performance settings. In the coordinators´ point of view, health promotion teaching is relevant for the insertion of a speech therapist in the NHS, although it is necessary to increase the number of experienced teachers in the public health area.

Key words: Speech-language therapy. Health promotion. Higher education. Teaching

Remote

Referências

BATISTA, Nildo Alves; BATISTA, Sylvia Helena. Introdução à docência em saúde: desafios e perspectivas. In: BATISTA, Nildo Alves; BATISTA, Sylvia Helena (Org.). Docência em saúde: temas e experiências. São Paulo: Senac, 2004. 283 p.

BEFI, Débora Lopes. Fonoaudiologia na atenção primária à saúde. In: BEFI, Débora Lopes (Org.). Fonoaudiologia na atenção primária à saúde. São Paulo: Lovise, 1997. 199 p. v. 3.

BRASIL. Ministério da Saúde. Carta de Otawa. Brasília, DF: Ministério da Saúde, Projeto Promoção da Saúde, 2001. 112 p.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura (MEC). Resolução CNE/CES. 5/2002. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 19 fev. 2002. p. 5.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional da Promoção da Saúde. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2006. 48 p.

BUSS, Paulo Marchiori. Promoção e educação em saúde no âmbito da Escola de Governo em Saúde da Escola Nacional de Saúde Pública. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 15, p.177-185, 1999. supl. 2.

CHUN, Regina Yu Shon. Promoção de Saúde e as Práticas em Fonoaudiologia. In: FERREIRA, Leslie Piccoloto; BEFI, Débora Lopes (Org.). Tratado de Fonoaudiologia. São Paulo: Roca, 2004. 1104 p. Cap. 41.

DAHAN, Débora. Atuação fonoaudiológica em saúde pública: uma abordagem preventiva. 2001. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2007.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 30. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996. 146 p.

LEAVELL, Hugh Rodman; CLARK, Guarney. Medicina preventiva. Rio de Janeiro: Mc Graw-Hilll do Brasil, 1976. 684 p.

LOPES, Antonia Osima. Aula expositiva: superando o tradicional. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro (Org.). Técnicas de ensino: por que não? 12. ed. Campinas: Papirus, 2001. p. 35-48.

p.

MAGNARELLI, Gladis et al. El trabajo en pequeños grupos facilita la enseñanza- aprendizaje de Bioquímica em Medicina. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 33, n. 3, p. 374-381, jul./set. 2009.

MAIA, José Antonio. O currículo em ensino superior na saúde. In: BATISTA, Nildo Alves; BATISTA, Sylvia Helena (Org.). Docência em saúde: temas e experiências. São Paulo: Senac, 2004. 283 p.

MARIN, Carla Regina et al. Promoção da saúde em fonoaudiologia: ações coletivas em equipamentos de saúde e de educação. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 35-41, 2003.

MASETTO, Marcos Tarcisio. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus, 2003. 194 p.

MASSON, Maria Lucia Vaz. É melhor prevenir ou remediar? Um estudo sobre a construção do conceito de prevenção em Fonoaudiologia. 1995. 142 p. Dissertação (Mestrado em Distúrbios da Comunicação Humana) — Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

MINAYO, Maria Cecília Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 2004. 269 p.

PENTEADO, Regina Zanella; SERVILHA, Emilse Aparecida Merlin. Fonoaudiologia em Sáude Pública/Saúde Coletiva: compreendendo prevenção e o paradigma da promoção da saúde. Distúrbios da Comunicação, São Paulo, v. 16, n. 1, p. 107-116, abr. 2004.

REDE UNIDA. Contribuição da Rede Unida para as novas Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação da Área de Saúde. Olho Mágico, Londrina, v. 16, p. 11-28, 1998.

RODRIGUES, Viviane de Souza; REZENDE, Maria Teresa de Melo Carvalho; MARCHIORI, Luciana Lozza de Moraes. Estratégias para a implantação das diretrizes curriculares nacionais nos cursos de fonoaudiologia. Olho Mágico, Londrina, v. 10, n. 4, p. 55-60, out./dez. 2003.

RUIZ-MORENO, Lidia et al. Jornal vivo: um relato de uma experiência de ensino-aprendizagem na área da saúde. Interface: comunicação, saúde e educação, Botucatu, v. 9, n. 16, p. 195-204, fev. 2005.

RUIZ-MORENO, Lidia; PITTAMIGLIO, Silvia Elsa Lizarralde; FURUSATO, Meiry Akiko.

Lista de discussão como estratégia de ensino-aprendizagem na pós-graduação em Saúde. Interface: comunicação, saúde e educação, Botucatu, v. 12, n. 27, p. 883-892, out./dez. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php>. Acesso em: 12 maio 2010.

SEIFFERT, Otília. A formação do enfermeiro: uma aproximação à recente produção científica (2001-2005). Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 3, n. 3, set. 2005.

SONZOGNO, Maria Cecília. Metodologias no ensino superior: algumas reflexões. In: BATISTA, Nildo Alves; BATISTA, Sylvia Helena (Org.).Docência em saúde:temas e experiências. São Paulo: Senac, 2004. 283 p.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.