Banner Portal
Práticas disciplinares inauguradas com a República no ensino secundário paranaense
Remote

Palavras-chave

Ensino secundário. Relações de poder. Normas disciplinares

Como Citar

RANZI, Serlei Maria Fischer; SILVA, Maclovia Corrêa. Práticas disciplinares inauguradas com a República no ensino secundário paranaense. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 20, n. 1, p. 149–171, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643428. Acesso em: 17 jun. 2024.

Resumo

Neste artigo, faz-se a análise do processo de criação e apropriação de práticas disciplinares no Ginásio Paranaense, no período de 1896 a 1930. A discussão tem como fundamento o poder disciplinar que se interpôs entre os sujeitos envolvidos, tanto na sala de aula quanto no recinto do estabelecimento responsável pela organização do curso secundário regular, no Estado do Paraná. Eram os membros da Congregação e o Diretor os responsáveis por interpretar e cumprir o regulamento escolar, de modo que as faltas correspondessem às penas, e estas fossem capazes de adestrar os delinqüentes. As práticas disciplinares inauguradas juntamente com a República dependeram da constante regulação de sanções e competências. A contribuição desta análise foi acrescentar ferramentas à discussão existente, que explicam, no tempo, a mobilização de relações de poder instauradoras do espaço escolar como palco de vivências cotidianas. Pa

Abstract:

This paper brings an analysis of the creation and application of disciplinary practices at an institution called Ginásio Paranaense from 1896 to 1930. The discussion has its bases on the disciplinary power interposed between the kinds of subjects involved, both in the classroom environment and and in the institution responsible for high school organization in Paraná. The members of the Congregation and the Principal were the people responsible for interpreting and accomplishing the school regiment in such a way that flaws would correspond to penalties, so that they would be able to tame the delinquents. The disciplinary practices inaugurated with the Republican government depended on the constant regulation of penalties and competences. This analysis was useful in adding tools to the present discussion by explaining the mobilization of power relations which, along time, were disciplinary and characterized schools as stages for daily life experiences.

Key words: High school teaching. Power relations. Disciplinary rules 

Remote

Referências

ABREU, Geysa S. A. A trajetória de Lysimaco Ferreira da Costa: educador, reformador e político no cenário da educação brasileira final do século XIX e primeiras décadas do século XX. 2007. 221 f. Tese (Doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

AMARAL, O. F. Carta para Lysimaco F. da Costa. Curitiba, 6 mar. 1920. 1 f. Memorial Lysimaco F. da Costa.

ANNUARIO. Gymnasio Paranaense. Curityba: Typografia João Haupt, n. 1, anno 1, 1929.

CARVALHO, Marta. Educação e política nos anos 20: a desilusão com a República e o entusiasmo da educação. In: LORENZO, H.; COSTA, W. A década de 1920 e as origens do Brasil moderno. São Paulo: Unesp, 1997. p. 115-132.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CERTEAU, Michel de. A cultura no plural. Campinas-SP: Papirus, 1995.

CHARTIER, Roger. Estratégias e táticas. De Certeau y las artes de fazer. Buenos Aires: Editora Manantial, 1996.

COLEÇÃO Atas da Congregação do Ginásio Paranaense. 1896-1911. [Manuscrito].

COLEÇÃO Atas da Congregação do Ginásio Paranaense. 1929-1930. [Manuscrito].

EDITAIS do Ginásio Paranaense. 1929-1930. [Manuscrito].

FOUCAULT, M. A microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 2003.

JORNAL A REPÚBLICA. Os sucessos do Gymnasio. Curytiba, 21 abr. 1920.

JORNAL GAZETA DO POVO. A crise e as innovações: a introdução do uniforme militar no Gymnasio Paranaense. Curytiba, 12 jul. 1920.

JORNAL GAZETA DO POVO. Gymnasio Paranaense ou collegio de freiras? Curytiba, 20 abr. 1920.

JORNAL GAZETA DO POVO. O Caso da Escola Normal. Curytiba, 21 jun. 1919.

JORNAL GAZETA DO POVO. Regimento do Colégio Modelo da República. Curytiba, 14 fev. 1927.

JORNAL O COMMERCIO DO PARANÁ. O caso do Gymnasio. Curytiba, 18 jun. 1919.

PARANÁ. Leis e decretos. Decreto n. 3. Decretos, Regulamentos, leis e actos do Estado do Paraná, 1890-1892. Coritiba: Typographia da Penitenciária do Estado, 1911.

PARANÁ. Leis e decretos. Regulamento da Instrução Pública do Estado do Paraná de 1897. Coritiba: Typographia da Penitenciária do Estado, 1911.

POGREBINSCHI, T. Foucault, para além do poder disciplinar e do biopoder. Lua Nova: Revista de cultura e política, São Paulo: CEDEC, n. 63, p. 179-201, 2004.

RANZI, S.; SILVA, M. Múltiplos itinerários de um lente e diretor do Ginásio Paranaense. Revista História da Educação. Pelotas/RS: Editora UFPel, v. 8, n. 16, p.153-67, 2004.

RANZI, S.; SILVA, M. Questões de legitimidade na primeira República: o ensino secundário regular e a equiparação do Ginásio Paranaense ao congênere federal. Educação, Santa Maria: Centro de Educação/UFSM, v. 31, n. 1, p. 133-52, 2006.

SABOIA, América da Costa. Curitiba de minha saudade: 1904-1914. Curitiba: Impresso, 1978.

SOUZA, C. dos Santos. A mulher professora na instrução pública de Curitiba (1903-1927) um estudo na perspectiva de gênero. 2004. 109 f. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

STRAUBE, Ernani Costa. Do Liceo de Coritiba ao Colégio Estadual do Paraná: 1846-1993. Curitiba: Fundepar, 1993.

VIÑAO, A. Espaços, usos e funções: a localização e disposição física da direção escolar na escola graduada. In: BENSCOTA, M. L. A. (Org.). A História da Educação, arquitetura e espaço escolar. São Paulo: Cortez, 2005.

ZUCKOW, M. Carta para Lysimaco F. da Costa. Curitiba, 8 dez. 1924. 1 f. Memorial Lysimaco F. da Costa.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.