Banner Portal
Tabus sexuais entre professores e alunos
PDF

Palavras-chave

Indústria cultural. Tabus sexuais. Teoria crítica. Sócrates. Theodor Adorno

Como Citar

ZUIN, Antônio. Tabus sexuais entre professores e alunos. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 19, n. 2, p. 135–150, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643477. Acesso em: 22 jun. 2024.

Resumo

O poder da sexualidade nas relações entre professores e alunos é tão intenso quanto o esforço feito pelos agentes educacionais em negá-lo. O termo tabu representa a exata designação do que tal terminologia suscita: algo misterioso e, principalmente, proibido. De fato, a questão sexual entre professores e alunos concerne a uma esfera tão proibitiva que sequer é mencionada, haja vista a escassez de pesquisas que versam a esse respeito. Daí o objetivo deste artigo, ou seja, analisar a ambivalência dos sentimentos de amor e de ódio que se objetivam na sexualidade existente entre professores e alunos.

Abstract:

The power of sexuality in teacher-student relationships is as intense as the effort made by educational institutions to deny it. The term taboorepresents the exact designation of what such terminology means: something mysterious and mainly forbidden. In fact, the sexual issue among teachers and students concerns such a forbidding sphere that it is hardly mentioned, which explains the little research that has been carried out in this field. Thus, this paper is aimed at analyzing the ambivalence of feelings of love and hate found in the teacherstudent sexuality.

Key words: culture industry; sexual taboos; critical theory; Socrates; Theodor Adorno.

PDF

Referências

ADORNO, Theodor W. Erziehung nach Auschwitz. In: Erziehung zur Mündigkeit. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1971, 147 p.

ADORNO, Theodor W. Gesammelte Scriften 10.2. Frankfurt am Main: Suhrkamp Verlag, 1996, 843 p.

ADORNO, Theodor W. Tabus a respeito do professor. Tradução de Newton Ramos de Oliveira. In: ZUIN, Antonio; PUCCI, Bruno; RAMOS-DE-OLIVEIRA, Newton. Adorno: o poder educativo do pensamento crítico. 3.ed. Petrópolis: Vozes, 2000, 191 p.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução de Leonel Vallandro e Gerd Bornheim. São Paulo: Abril Cultural, 1991, 283 p.

CAMBI, Franco. História da Pedagogia. Tradução de Álvaro Lorencini. São Paulo: Editora da Unesp, 1999, 701 p.

COLIVA, Anna. Apollo e Dafne. Milano: Tascabili degli Editori Associati, 1998, 84 p.

FREUD, Sigmund. Totem e tabu. Tradução de Órizon Carneiro Muniz. Rio de Janeiro: Imago, 1999, 164 p.

FREUD, Sigmund. Drei Abhandlungen zur Sexualtheorie. Frankfurt am Main: Fischer Verlag, 2004. 151 p.

JAEGER, Werner. Paidéia: a formação do homem grego. Tradução de Artur Parreira. São Paulo: Martins Fontes, 1995, 1413 p.

MANACORDA, Mario A. História da Educação: da antiguidade aos nossos dias. Tradução de Gaetano Lo Mônaco. São Paulo: Cortez e Autores Associados, 1989, 382 p.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falou Zaratustra. Tradução de Mário da Silva. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005, 381 p.

PLATÃO. Diálogos O Banquete, Fédon, Sofista, Político. Tradução de José Cavalcante de Souza, Jorge Paleikat e João Cruz Costa. São Paulo: Abril Cultural, 1991, 264 p.

PLATÃO. Apologia de Sócrates. Tradução de Maria Lacerda de Moura. Rio de Janeiro: Ediouro, 1999, 138 p.

REALE, Giovanni. Introduzione. In: Platone Simpósio. Milano: Bompiani, 2000, 210 p.

ROUSSEAU, Jean Jacques, Emílio ou da educação. Tradução de Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992, 581 p.

STEINER, George. Lições dos mestres. Tradução de Maria Alice Máximo. Rio de Janeiro: Record, 2005, 239 p.

VERNANT, Jean Pierre. Entre mito e política. Tradução de Cristina Murachco. São Paulo: Edusp, 2002, 517 p.

ZUIN, Antônio A. S. O trote na universidade: passagens de um rito de iniciação. São Paulo: Cortez, 2002, 120 p.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.