Banner Portal
Analisando livros did·ticos na perspectiva dos Estudos do Discurso: compartilhando reflexıes e sugerindo uma agenda para a pesquisa
PDF

Palavras-chave

Livro didático. Estudos do discurso. Ensino de ciências

Como Citar

MARTINS, Isabel. Analisando livros did·ticos na perspectiva dos Estudos do Discurso: compartilhando reflexıes e sugerindo uma agenda para a pesquisa. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 17, n. 1, p. 117–136, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643659. Acesso em: 13 jun. 2024.

Resumo

Neste artigo, após uma breve revisão de pesquisas que tomam o livro didático como objeto, delineamos os pressupostos teórico-metodológicos de abordagens identificadas com os Estudos do Discurso e que têm fundamentado nossas investigações sobre o livro didático de ciências. Em seguida, apresentamos nossas investigações, que significam o livro didático de ciências em relação às suas condições sociais de produção, problematizam sua composição e estruturas retóricas, exploram formas de sua recepção pelas audiênciasalvo, investigam as práticas de leitura a ele associadas em diferentes contextos e discutem seus contextos de utilização e inserção em práticas educativas. Nossos resultados apontam para a necessidade de considerar o livro didático como artefato cultural, cujos textos, híbridos, genéricos e semióticos, são atravessados por diversas formações discursivas, materializando o discurso sobre ciência na escola e mediando interações entre sujeitos, autores e leitores, implícitos e empíricos. Argumentamos que este novo olhar para o livro didático permite avançar para além da constatação de erros conceituais, elaborar reflexões que relacionam diferentes dimensões relevantes do ensino das ciências, tais como linguagem e ensino de ciências, currículos, avaliação, objetivos para o ensino de ciências, formação de professores etc. Finalizamos apontando questões que podem se constituir numa agenda para futuras pesquisas na área, entre elas, a necessidade de estudos sobre a história cultural do livro didático de ciências, seus formatos de apresentação gráfica e suas práticas de leitura.

Abstract:

After a number of studies, which investigate the science textbook, this paper brings a study of the theoretical-methodological approaches identified with the field of Discourse Studies and that have been a basis for our research about science textbooks. It reports on results of our investigations that signify the science textbook with respect to its social conditions of production and discusses its composition and rhetorical structures, its reception by target audiences and reading practices in different contexts, and insertion in teaching practices. Our results stress the need to consider the science textbook as a cultural object whose text is both a semiotic and a generic hybrid, that materializes discourses about science and mediates the interaction between subjects, authors and readers, implicit and empirical. It is also argued that such a perspective can help go beyond the identifica- tion of conceptual errors and help elaborate reflections that relate relationships between educational materials and different relevant dimensions of science education such as language, teaching, curricula, assessment, teacher education etc. The paper ends with the presentation of some issues that may generate a plan for future research, which includes the need for studies of the cultural history of the science textbook, its visual presentation, reading practices and contexts of use.

Key words: Science textbook. Discourse studies. Science education

PDF

Referências

BAKHTIN, M. Marxismo e a filosofia da linguagem. São Paulo : HUCITEC, 2002 BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso Estética da criação verbal. São Paulo : Martins Fontes, 2. ed, 1997.

BARCELLOS I. A.; MARTINS, I. Discursos de professores de ciências sobre leitura. Atas do IX Encontro de Pesquisa em Ensino de Física, Jaboticatubas, MG, 2004. (em CDROM) BARROS, D. L. P. Contribuições de Bakhtin às teorias do discurso In: BREIT, B. (org.). Bakhtin, dialogismo e construção do sentido. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1997.

BITTENCOURT, C. M. F. Apresentação da seção Em foco: História, produção e memória do livro didático. Educação e Pesquisa, set./dez. 2004, v.30, n.3, p.471-473.

BIZZO N M V Falhas no ensino de ciências. Ciência Hoje, Rio de Janeiro, v. 159, p.26- 31, 2000.

BRAGA, S. A. M. O texto do livro didático de ciências: um gênero discursivo. 2003. Tese (Doutorado). Faculdade de Educação. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

BRAGA, S. M. A.; MORTIMER, E. F. Os gêneros de discurso do texto de Biologia dos livros didáticos de ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v.3, n. 3, set.- dez. 2003.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Plano Nacional do Livro Didático. www.mec.gov.br, 2005.

BURKE, P. O que é história cultural? Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

CARDOSO, S. Discurso e Ensino. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

CARNEIRO, M. As imagens no livro didático. In: Atas do I Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Ciências, Águas de Lindóia, SP. Atas: p.366-373, 1997.

CASSAB; MARTINS. Um balanço dos estudos recentes conduzidos com o livro didático de ciências. Anais do II Encontro Regional de Ensino de Biologia, Niterói, RJ, 2003a.

CASSAB, M.; MARTINS, I. A escolha do livro didático em questão. Atas do IV Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Bauru, SP, 25-29 de nov., 2003b. (CDROM).

CASSAB, M. Significando o livro didático: com a palavra, os professores de ciências. 2003. Dissertação (Mestrado). Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde. Rio de Janeiro: UFRJ.

CLEMENT, P; BERNARD, S.; QUESSADA, M-P; ROGERS, C.; BRUGUIÈRE, C.

Different theoretical backgrounds for different didactical analyses of biology school textbooks. V European Science Education Research Association Conference, Barcelona, Espanha, Atas: Em CD-ROM, 2005.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e mudança social. Brasília: Editora da UnB, 2001 FRACALANZA, H. O que sabemos sobre os livros didáticos para o ensino de ciências no Brasil. 1993. Tese (Doutorado). Faculdade de Educação. Campinas, SP: Unicamp.

FREITAG, B.; MOTTA, V.R.; COSTA, W.F. O livro didático em questão. São Paulo: Cortez, 1989.

FREITAS, D.S. et al. As imagens dos livros de biologia: recursos que demandam pesquisa.

Anais do IX EPEB – Encontro Perspectivas do Ensino de Biologia, São Paulo, 2004.

GILL, A. M.; WHEDBEE, K. Rhetoric. In: van DIJK, T. A. Discourse as structure and process: a multidisciplinary introduction. v.1. London: Sage, 1997.

HALLIDAY M. A. K. An introduction to functional grammar. London: Edward Arnold, 1985.

HALLIDAY M. A. K. Language as social semiotics. London: Edward Arnold, 1978.

HALLIDAY, M. A. K. Some problems of scientific English. In: HALLIDAY, M. A. K.; MARTIN, J. R. (eds.). Writing science: literacy and discursive power. London: The Falmer Press, 1992.

HALLIDAY, M. A. K Things and relations: regrammaticising experience as technical knowledge. In: MARTIN, J. R.; VEEL, R. (eds.). Reading science: critical and functional perspective on discourses of science. London: Routledge, 1998.

JOBIM e SOUZA S. J. Infância e linguagem: Bakhtin, Vygotsky e Benjamin. Campinas, SP: Papirus, 5. ed, 2000.

KRESS, G. Linguistic processes in sociocultural practice. Oxford: Oxford University Press, 1988.

KRESS, G.; JEWITT, C.; OGBORN, J.; TSATSARELIS, C. Multimodal rhetorics of the science classroom. London: Continuum, 2001.

LEMKE J. Textual politics. London: Taylor and Francis, 1995 LEMKE, J. Multiplying meaning: visual and verbal semiotics in scientific text. In: MARTIN, J.; VEEL, R. (eds). Reading Science. London: Routledge, 1998.

MAINGENEAU, D. Novas tendências em análise do discurso. Campinas, SP: Pontes, 1987.

MÁRQUEZ, C.; IZQUIERDO, M.; ESPINET, M. Comunicación multimodal en la clase de ciencias: El ciclo del agua. Enseñanza de las Ciencias, 21 (3), 371-386, 2003.

MARTIN, J. Literacy in Science: Learning to handle text as technology. In: HALLIDAY, M. A. K.; MARTIN, J. R (eds.). Writing science: literacy and discursive power. London: The Falmer Press, 1992.

MARTINS, I.; DAMASCENO, A. R.. Uma análise das incorporações de textos de divulgação científica em livros didáticos de ciências. Atas do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Ensino de Física, Águas de Lindóia, SP, 2002.

MARTINS, I. et al. Uma análise das imagens nos livros didáticos de ciências para o ensino fundamental. Anais do IV Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Bauru, SP, 2003.

MARTINS, I. Rhetorics of science communication. Proceedings of the VI Interamerican Conference on Physics Education, Canela, RS, Brasil, 2000.

MARTINS, I.; CASSAB, M.; ROCHA, M.B. Análise do processo de re-elaboração discursiva de um texto de divulgação científica para um texto didático. Revista Brasileira de Pesquisa em educação em Ciências, v.1, n. 3, p. 19-27, 2001.

MARTINS, I. Visual imagery in school science textbooks. In: GRAESSER, A.; OTERO, J.; DE LEON, J. A. The psychology of science text comprehension. Hillsdale, N.J.: Lawrence Erlbaum Associate Publ., 2002.

MARTINS, I.; GOUVÊA, G.; PICCININI, C. Aprendendo com imagens. Ciência e Cultura, -ano 57, No. 4, p. 38-40, out/nov/dez 2005.

MEGID NETO, J.; FRACALANZA, H. O livro didático de ciências: problemas e soluções. Ciência & Educação, v.9, n.2, p.147-157, 2003.

MELO, L. E. Estrutura da narrativa ou gêneros, mundos, lugares discursivos & companhia In: BREIT, B. (org.). Bakhtin: dialogismo e produção de sentido. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1997.

NASCIMENTO, T. G.; MARTINS, I. O texto de Genética no livro didático de ciências: uma análise na perspectiva da retórica crítica. Investigações em Ensino de Ciências, vol. 10, No. 2, 2005, disponível em http://www.if.ufrgs.br/ienci/ NASCIMENTO, T. G. O texto de Genética no livro didático de ciências: uma análise retórica.

Dissertação (Mestrado). Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde. Rio de Janeiro: UFRJ.

ORLANDI, E. P. Análise de discurso: Princípios e Procedimentos. São Paulo, Pontes, 1999a.

ORLANDI, E.P. Discurso e leitura. 4.ed. São Paulo: Cortez, 1999b.

OTERO, M. R.; GRECA, I. M. Las imágenes en los textos de Física: entre el optimismo y la prudencia. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v.21, n.1, p.37-67, 2004.

PECHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. Trad. Eni P. Orlandi, 3.ed., Campinas, SP: Pontes, 2002.

PICCININI, C. L.; MARTINS, I. Comunicação multimodal na sala de aula de ciências: construindo sentidos com palavras e gestos. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 6, n.1, 2004, disponível em http://www.fae.ufmg.br/ensaio/.

PINTO, M. Comunicação e discurso: Introdução à Análise de Discurso. São Paulo, Hacker Editores, 1999.

QUESADO, M. A natureza da ciência e os livros didáticos de ciências para o ensino fundamental – uma análise textual. Dissertação de Mestrado. Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde. Rio de Janeiro: UFRJ, 2003.

SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S Influências histórico-culturais nas representações sobre as estações do ano em livros didáticos de ciências, Ciência & Educação, vol. 9, No. 2, 2003.

SILVA, H C.; ALMEIDA, M. J. P. M. Condições de produção da leitura em aulas de física no ensino médio: um estudo de caso. In: ALMEIDA, M.; SILVA, H. (org.). Linguagens, leituras e ensino de ciências. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1998.

SUTTON, C. Words, science and learning. Buckingham: The Open Univeristy Press, 1992.

VAN DIJK, T. A.(ed.). Discourse as structure and process. London: Sage, 1997

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.