Os arquivos escolares nas instituições educativas portuguesas.Preservara informação,construira memória

Autores

  • Maria João Mognrro Escola Superior de Educação de Potalegre

Palavras-chave:

Documento. Arquivo. Cultura escolar

Resumo

ActUalmt:nte, os arquivos escolaresmotivam profundas prt:ocupações relativamente à salvaguarda t: prest:rvação dos seus documentos, qUt: constituem instrumentos fundamentais para a construção da memória t:ducativa. A existência desses arquivos ganhará verdadeiramente um sentido quando o aCt:ssoàs informações que possuem for garantido, através da sua instalação em condições adequadas e de uma organização correcta dos seus documt:ntos. Os arquivos t:scolares constitUem o repositório das fontes de informação din:ctamt:ntt: relacionadas com o funcionamento das institUições educativas, o que lhes confere uma importância acrt:scida nos novos caminhos da investigação em educação, que colocam essas instituições numa posição de grandt: centralidade para a compreensão dos fenómt:nos t:ducativos e dos processos de socialização das gerações mais jovens. Com este contributo, pretendemos reflectir sobre osseguintes aspectos: o papel dos arquivos escolares nas instituições educativas; a sitUação dos arquivos escolares em Portugal; a natUreza dos documentos e os estudos a desenvolver; os arquivos escolares e as fontes de informação de diversa natureza; os arquivos escolares e a construção da memória educativa.

Abstract:

Nowadays. school fIlespromote deep concerns regarding the safety and preservation of thei.. documents. Thest: documents constitUtt:fundamental tools to build tht: educational memory. The t:xistcnct: of thest: files will gain a true meaning when the access to tht: information rhey hold is guaranteed, through a correcr organizarion of the documents and a proper location. 5chool files art: the stock of the sources of information direcrly related wirh school work. This gives schools an additional importance for new approaches in educational research and also puts them in a central position for the understanding of t:ducarive phenomena and rhe socialization process of younger generations. With this contribution, we intend to discuss the following points: the role of files in schools; rhe conditions of school files in Portugal; the nature of the exisring documents and the studies tO follow; rhe school files and the several sources of informarion; the school files and the building of educational memory.

Keywords: Document. File. School culture

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria João Mognrro, Escola Superior de Educação de Potalegre

Maria João Mogarro. É Professor Auxiliar na Universidade de Lisboa. Publicou 27 artigos em revistas especializadas e 27 trabalhos em actas de eventos, possui 28 capítulos de livros e 5 livros publicados. Possui 152 itens de produção técnica. Participou em 5 eventos no estrangeiro e 3 em Portugal. Recebeu 4 prémios e/ou homenagens. Nas suas actividades profissionais interagiu com 23 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos.

Referências

BERRIO, Julio Ruiz (ed.). La cultura escolar de Europa. Tendências históricas emergentes. Madrid: Biblioteca Nueva, 2000.

CHARTIER, Roger. A hisrória cultural entre práricas e representações. Lisboa: Difel, 1988.

CHARTIER, Roger. L hisroire aujourd'hui: doures, défis, propositions. Valencia: Universitat de Valencia & Asociación Vasca de Semiótica, 1994.

CHERVJ::L, André. Des disciplines scolaires à Ia culrure scolaire. In: STURM; DEKKER; ALDRICH; SIMON (eds.). Education and cultural tmnsmission. Gent: Paedagogica Historica, Internarional Journal of the History of Educarion (Supplementary Series - vol. 11),1996, p. 181-195.

CHERVEL, André. La culture scolaire. Une approche historique. Paris: Belin, 1998.

JULIA, Dominique. La culrure scolaire comme objer hisrorique. In: NÓVOA, António; DEPAEPE, Marc; JOHANNINGMEIER, Erwin V. (eds.). The colonial experience in education:historicalismesand perspectives.Gent: Paedagogica Hisrorica. Internacional Journal of rhe History of Educarion (SupplementarySeries- vol.I), 1995,p. 353-382. .

JULIA, Dominique. Consrrucción de Ias disciplinas escolares en Europa. In: BERRIO, Julio Ruiz (ed.). La cultura escolarde Europa. Tendências históricas emergentes. Madrid: Biblioteca Nueva, 2000, p. 45-78.

MAGALHÃES, Jusrino. Roteiro defontes para a história da educação.Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 2001.

MOGARRO, Maria João. Liceu Mouzinho da Silveira- Portalegre. In: NÓVOA, António; SANTA-CLARA, Ana Teresa (coord.). "Liceusde Portugal': Histórias, Arquivos, Memórias. Lisboa: Edições ASA, 2003, p. 558-579.

MOGARRO, MariaJoão. Os museus pedagógicos em Portugal: história e actualidade. In: SAAVEDRA, Vicente Pefia (coord.). / ForoIbéricode Museísmo Pedagóxico- O Muscísmo Pedagóxico en Espafia e Portugal: itinerarios, experiencias e perspectivas. Actas 2001. Santiago de Compostcla: Xunta da Galicia I Mupega - Museu Pedagóxico da Galicia, 2003a, p. 85-114.

MOGARRO, Maria João (coord.). Projecto:Rede deMuseusEscolaresdePortalegre(REMEP). Portalegre: 2003b.

MOGARRO, Maria João. O lugar dos museus nas correntes pedagógicas em Portugaluma perspectiva histórica. Revista !cone Educação - v. 8 - n. 1 e 2 - Jan.lDez., 2002, p. 183-192.

MOGARRO, Maria João. A formação de professores no Portugal contemporâneo - a Escolado Magistério Primdrio de Portalegre.2001. Tese de doutoramento (Ciências da Educação) - Instituto de Ciências da Educação, Universidade da Extremadura.

MOGARRO. Maria João et aI. Catálogo da Exposição História e Memória da Escola. In: Actasdo3.oEncontro de História Regional e Localdo Distrito de Portalegre.História eMemória da Escola- 2. v. Lisboa: A.P.H. -Associação de Professores de História, 200la, p. 75-103.

MOGARRO, Maria João. Projecro: História e memória da escola. Aprender - Revista da EscolaSuperior de EdllCilçãode Portalegre,n. 24, Ourubro. 2001 b, p. 91-93.

MOGARRO, Maria João; CRESPO. Maria Elvira. O liceu de Portalegre - percurso entre a memória e o arquivo. In: História e Memória da Escola.Actas do 1// Encontro de História Regional e Local do Distrito de Portalegre. Lisboa: APH - Associação de Professores de História, 2001, p. 73-77.

MORAES, Carmen S. V; ALVES, Júlia F.(org.). Inventário defontes documentais. S. Paulo: Centro Paula Souza, 2002.

NÓVOA, António (coord.). Instituto Históricoda Educação.Lisboa: Ministério da Educação, 1997.

NÓVOA, António; SANTA-CLARA, Ana Teresa (coord.). "Liceusde Portugal':-arquivos, histórias, memórias. Porro: Edições Asa, 2003.

VIDAL, Diana G.; ZAIA, Iomar B. De arquivo morro a permanente: o arquivo escolar e a construção da cidadania. In: MORAES, Carmen S. V; ALVES,Júlia F.(org.). Inventário defontes documentais. S. Paulo: Centro Paula Souza, 2002, p. 33-42.

VINAO, Anronio. Por una historia de Ia cultura escolar: cuestiones, enfoques, fuenres. In: Associación de Historia Conremporánea. Culturas y civilizaciones. 111 Congreso de Ia Asociación de Historia Contemporánea. Valladolid: Universidad de Valladolid , I998, p. I 67 -183.

VINAO, Antonio. Fracasan Ias reformas educativas? La respuesta de un hisroriador. In: SOCIEDADE BRASILEIRA DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO (org.). EducaçãonoBrasilhistária e historiografia. Campinas/ S. Paulo: Aurores Associados, SBHE - Sociedade Brasileira de História da Educação, 2001, p. 21-52.

Downloads

Publicado

2016-03-01

Como Citar

MOGNRRO, M. J. Os arquivos escolares nas instituições educativas portuguesas.Preservara informação,construira memória. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 16, n. 1, p. 103–116, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643757. Acesso em: 27 nov. 2022.

Edição

Seção

Dossiê