Relações de gênero nas brincadeiras de meninos e meninas na educação infantil

  • Daniela F. Finco Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Educação infantil. Relações de gênero. Meninos e meninas. Brincadeiras. Cultura infantil

Resumo

Este artigo discute as formas de brincadeiras de meninos e meninas, em uma escola municipal de educação infantil, buscando questionar o fato "natural" de que meninos e meninas possuem papéis e comportamentos pré-determinados. Apresenta uma reflexão sobre a troca de papéis sexuais nas brincadeiras, fazendo uma discussão sobre os brinquedos considerados "certos" e "errados" para cada sexo. A análise se opõe às pesquisas que consideram que meninos e meninas demonstram comportamentos, preferências, competências, atributos de personalidade mais apropriados para o seu sexo, seguindo, desde bem pequenos, as normas e padrões estabelecidos. Deste modo o estudo propõe-se a tratar o tema das relações de gênero de uma perspectiva diferenciada, na tentativa de um olhar não "adultocêntrico", observando atentamente as transgressões dos papéis de gênero nos momentos de brincadeira, possibilitando enxergar novas formas de ser menino e de ser menina.

Abstract:

This article discusses the play of boys and girls, in a municipal center of Early Childhood Education, discussing the conceived idea that boys and girls have predetermined roles and behaviors. Ir presents a reflection on the exchange of sex-roles in play, discussing about the toys considered "right" and "wrong" for each sexoThe analysis opposes to researches that consider that boys and girls demonstrate behaviors, preferences, abilities and personality's attributes appropriated for their sex,following, since very young, the established norms and standards. Thereby, intently observing the transgressions of the sex-role during the play, this study proposes to deal with the subject of gender relationships from a differentiated perspective, where the "adult is not the center", making possible to realize new forms of being boy and being girl.

Key-words: Early childhood education. Gender relationships. Boys and girls. Play. Childhood culture

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniela F. Finco, Universidade Estadual de Campinas
Possui graduação em Pedagogia e mestrado em Educação na Área de Educação, Sociedade, Política e Cultura, pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas. Doutorado em Educação na Área de Sociologia da Educação, pela Faculdade de Educação da USP. Realizou estágio de doutorado no Instituto de Estudos da Criança - IEC da Universidade do Minho/ Braga, Portugal. Professora Adjunta do Departamento de Educação da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade Federal de São Paulo (EFLCH-Unifesp Guarulhos).

Referências

BELOTTI, Elena Gianini. Educar para a submissão. Petrópolis: Vozes, 1975.

FARIA, Ana Lúcia Goulart de. (org.) Prefácio. Cadernos Cedes. Infância e educação: As meninas, (56), 2002a, p.2-4.

FARIA, Ana Lúcia Goulart de; DEMARTINI, Zeila de Brito Fabri; PRADO, Patrícia Dias (orgs.). Por uma cultura da infância: mecodologias de pesquisa com crianças.Campinas: Editores Associados, 2002b.

FELIPE, Jane. Construindo identidades sexuais na Educação Infantil. Páreo, (7), nov.98/ jan.99, p. 56-58.

FELIPE, Jane. Infância, Gênero e Sexualidade. Educação e Realidade. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, v. 25, (1), p. 54-87, 2000.

GALLARDO, Gómez; VALENZUELA, Malu. Uma alternativa de equidade de gênero na pré-escola, Cadernos Sempreviva Organização Feminista - SOF, gênero e educação.

FARIA, Nalu; NOBRE, Miriam;AUAD, Daniela; CARVALHO, Marília (orgs.) São Paulo: SOF, 1999, p. 40-54.

GOBBI,Marcia.Lápisvermelhoé de mulherzinha:Desenho infantil, relaçõesde gêneroe criançapequena. Pro-Posiçães,v.l0, n.l(28), p. 139-156, 1999.

GRACIANO, Marília. Homem - Mulher: por que polarizamosos sexos?Cadernosde Pesquisa,n.26, 1978. p. 71-77.

GUARESCHI, Neuza Maria de Fátima. Escolas e Gênero: elas brincam de roda - eles jogambola. In.: CARDOSO, Reolina Silva(org.).É uma mulher... Petrópolis, 1994, p. 69-81.

LOURO, Guacira Lopes. Currfculo, gênero e sexualidade Porco,PT: Porto Editora, 2000.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade e Educação: uma perspectiva pósestruturalista. Petrópolis: Editora Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. Segredos e mentiras do currículo. Sexualidade e gênero nas práticas escolares. In. SILVA, L. H. (org.) A escola cidadã no contexto da globalização. Petrópolis: Vozes, 1998.

LOURq, Guacira Lopes. Gênero: questões para a educação. 1n: BRUSCH1N1, Cristina; UNBEHAUM, Sandra. Gênero, democracia e sociedade brasileira.São Paulo: Ed. 34, 2002.

LOURO, Guacira Lopes. Nas redes do conceito de gênero 1n: MEYER, M. ).; WALDOW, O .E. Gênero e Saúde. Porto Alegre, Artes Médicas, 1996.

LOURO, Guacira Lopes.Teoria queer: uma política pós-identitária para a educação. Escudos Feministas. Florianópolis: CFH/CCE/UFSC, v. 9, n 2, 2001.

ROCHA, Ruth. Facasem ponta galinha sem pé. São Paulo: Ed. Ática, 1996.

ROSEMBERG, Fúlvia. Caminhos Cruzados: educação e gênero na produção acadêmica. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 27, n.l, p. 47-68,2001.

SM VEDRA, Luísa;BARROS, Antônio M. Elaspreferem asbonecas, elesos carros:aquisição dos esrereótipos do género. Psicologia: Teoria, investigação e prática. Centro de Estudos em Educação e Psicologia, Universidade do Minho, Portugal, 1996, p. 129-160.

SCOTT, Joan Wallach. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, vol. 20, n.2, p.71-99, 1995.

SCOTf, )oan Wallach. Prefácio: a gender and polities ofhistory. Cadernos Pagu (3), p. 11-27, 1994.

Publicado
2016-03-03
Como Citar
Finco, D. F. (2016). Relações de gênero nas brincadeiras de meninos e meninas na educação infantil. Pro-Posições, 14(3), 89-101. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8643863
Seção
Dossiê