Banner Portal
Impactos das práticas familiares sobre a proficiência em Língua Portuguesa e Matemática no Ensino Fundamental
PDF
Remoto

Palavras-chave

Influência da família. Rendimento escolar. Métodos estatísticos.

Como Citar

MATOS, Daniel Abud Seabra; NOGUEIRA, Maria Alice; RESENDE, Tânia de Freitas; NOGUEIRA, Claudio Marques Martins; ALVES, Maria Teresa Gonzaga. Impactos das práticas familiares sobre a proficiência em Língua Portuguesa e Matemática no Ensino Fundamental. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 28, n. 1, p. 33–54, 2017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8649159. Acesso em: 20 maio. 2024.

Resumo

O objetivo do estudo aqui relatado é investigar o impacto de recursos e práticas familiares no desempenho escolar de alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Selecionaram-se 299 alunos que participaram do GERES 2005, aos quais se aplicou um questionário com 145 questões. Empregaram-se métodos quantitativos: modelagem de equações estruturais. Dentre os principais resultados, destaca-se que os fatores capital cultural objetivado, capital informacional, práticas de escrita e interação pais e filhos foram impactados pelo nível socioeconômico; as práticas de escrita foram a variável de maior impacto no desempenho em português; e o capital informacional, o fator de maior impacto em matemática. Ocorreu vantagem significativa das escolas privadas no que se refere à proficiência dos alunos; e a matemática se mostrou mais diretamente dependente do tipo de escola
PDF
Remoto

Referências

Alves, M. T. G., Nogueira, M. A., Nogueira, C. M. M., & Resende, T. de F. (2013). Fatores familiares e desempenho escolar: uma abordagem multidimensional. DADOS – Revista de Ciências Sociais, 56(3), 571-603. DOI 10.1590/S0011-52582013000300004

Alves, M. T. G., & Soares, J. F. (2009). Medidas de nível socioeconômico em pesquisas sociais: uma aplicação aos dados de uma pesquisa educacional. Opinião Pública, 15(1), 1-30. DOI 10.1590/S0104-62762009000100001

Andrade, M., Franco, C., & Carvalho, J. P. (2003). Gênero e desempenho em matemática ao final do ensino médio: quais as relações? Estudos em Avaliação Educacional, (27), 77-96. Bautier, É. (2011). Linguagem e diferenciação social. In A. Van Zanten (Ed.), Dicionário de Educação (pp. 551-557). Petrópolis: Vozes.

Bourdieu, P. (1998a). A escola conservadora. In P. Bourdieu (Ed.), Escritos de educação (pp. 39-64). Petrópolis: Vozes.

Bourdieu, P. (1998b). Os três estados do capital cultural. In P. Bourdieu (Ed.), Escritos de educação (pp. 71-79). Petrópolis: Vozes.

Brooke, N., & Bonamino, A. (Eds.). (2011). GERES 2005: razões e resultados de uma pesquisa longitudinal sobre eficácia escolar. Rio de Janeiro: Walprint.

Brooke, N., Fernandes, N. da S., Miranda, I. P. H. de, & Soares, T. M. (2014). Modelagem do crescimento da aprendizagem nos anos iniciais com dados longitudinais da pesquisa GERES. Educação e Pesquisa, 40(1), 77-94. DOI 10.1590/S1517-97022014000100006

Bryant, F. B., & Yarnold, P. R. (2000). Principal-components analysis and exploratory and confirmatory factor analysis. In L. G. Grimm, & P. R. Yarnold (Eds.), Reading and understanding multivariate statistics (pp. 99-136). Washington, DC: APA.

Cheung, G. W., & Rensvold, R. B. (2002). Evaluating goodness-of-fit indexes for testing measurement invariance. Structural Equation Modeling, 9(2), 233-255.

Coleman, J. S. (1997). Social capital in the creation of human capital. In A. H. Halsey (Ed.), Education: Culture, Economy, Society (pp. 80-95). Oxford: Oxford University Press.

Cooper, H., Robinson, J. C., & Patall, E. A. (2006). Does homework improve academic achievement? A synthesis of research,1987-2003. Review of Educational Research, 76(1), 1-62.

Curi, A. Z., & Menezes-Filho, N. A. (2013). Mensalidade escolar, background familiar e os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio. Pesquisa e Planejamento Econômico, 43(2), 223-254.

Duru-Bellat, M., & Vanzanten, A. (2006). Sociologie de l’École. Paris: Armand Colin.

Fan, X., & Sivo, S. A. (2007). Sensitivity of fit indices to model misspecification and model types. Multivariate Behavioral Research, 42(3), 509-529.

Ferrão, M. E., & Fernandes, C. (2003). O efeito-escola e a mudança – dá para mudar? Evidências da investigação brasileira. Revista Electrónica Iberoamericana sobre Qualidade Eficácia e Mudança em Educação, 1(1), 1-13. Retirado em 15de janeiro de 2016, de http://www.ice.deusto.es/RINACE/reice/vol1n1/Reo_FerraoyFernandes.htm

Franco, C., Ortigão, I., Albernaz, Â., Bonamino, A., Aguiar, G., Alves, F., & Sátyro, N. (2007). Qualidade e equidade em educação: reconsiderando o significado de “fatores intra-escolares.” Ensaio: avaliação e políticas públicas em Educação, 15(55), 277-298.

Giardinetto, J. R. B. (1997). O fenômeno da supervalorização do saber cotidiano em algumas pesquisas da educação matemática. Tese de Doutorado, Centro de Educação e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Glasman, D. (2005). Le travail des élèves pour l’école en dehors de l’école. Chambery: Université de Savoie.

Goody, J. (2012). A domesticação da mente selvagem. Petrópolis: Vozes.

Hair, J. F., Anderson, R. E., Tatham, R. L., & Black, W. C. (2005). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Jesus, G. R., & Laros, J. A. (2004). Eficácia escolar: regressão multinível com dados de avaliação em larga escala. Avaliação Psicológica, 3(2), 93-106.

Klem, L. (2000). Structural equation modeling. In L. G. Grimm, & P. R. Yarnold (Eds.), Reading and understanding more multivariate statistics (pp. 227-260). Washington, DC: APA.

Lahire, B. (1993). Culture écrite et inégalités sociales. Lyon: PUL.

Lahire, B. (1997). Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática.

Lareau, A. (2007). A desigualdade invisível: o papel da classe social na criação dos filhos em famílias negras e brancas. Educação em Revista, (46), 13-82.

Marsh, H. W., Hau, K., & Grayson, D. (2005). Goodness of fit in structural equation models. In A. Maydeu-Olivares, & J. J. Mcardle (Eds.), Contemporary psychometrics: A festschrift for Roderick P. McDonald (pp. 275-340). Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum Associates.

Marsh, H. W., Hau, K., & Wen, Z. (2004). In search of golden rules: Comment on hypothesis-testing approaches to setting cutoff values for fit indexes and dangers in overgeneralizing Hu and Bentler’s (1999) findings. Structural Equation Modeling, 11(3), 320-341.

Mortimore, P. (2008). A importância da escola: a necessidade de se considerar as características do aluno. In N. Brooke, & J. F. Soares (Eds.), Pesquisa em escola eficaz: origem e trajetórias (pp. 187-215). Belo Horizonte: Editora UFMG.

Muthén, L. K., & Muthén, B. O. (2006). Mplus. Los Angeles, CA: Muthén & Muthén.

Silva, L. C., & Matos, D. A. S. (2014). As percepções dos estudantes mineiros sobre a incidência de comportamentos de indisciplina em sala de aula: um estudo a partir dos dados do SIMAVE/PROEB 2007. Revista Brasileira de Educação, 19(58), 713-730.

Soares, J. F., & Alves, M. T. G. (2003). Desigualdades raciais no sistema brasileiro de educação básica. Educação e Pesquisa, 29(1), 147-165.

Soares, T. M. (2005). Modelo de três níveis hierárquicos para a proficiência dos alunos de 4a série avaliados no teste de língua portuguesa do SIMAVE/PROEB-2002. Revista Brasileira de Educação, (29), 73-88.

Trautwein, U., & Koller, O. (2003). The relationship between homework and achievement – still much of a mystery. Educational Psychology Review, 15(2), 115-45.

Proposições utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.