Educação e violência: uma reflexão a partir da ontologia do ser social

  • Hormindo Pereira de Souza Júnior Universidade Federal de Minas Gerais
  • Celeste Deográcias de Souza Bitencourt Universidade Federal de Minas Gerais
  • Daniel Handan Triginelli Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Educação. Violência. Ontologia do ser social.

Resumo

A partir da leitura imanente de textos que compõem o aparato teórico da produção intelectual dos filósofos Marx, Lukács e Mészáros, em particular na perspectiva desse último, devido à sua atualidade, este artigo se propõe a contribuir com o debate em torno da educação e da violência, que é possibilitada e praticada pelas bases que estruturam a lógica da propriedade privada na sociedade de classes. Nos textos analisados, esses filósofos, e em particular Mészáros, explicitam a essência da violência no sistema do capital e a incidência dessa nos demais complexos sociais, como a educação, ao mesmo tempo em que apontam para as condições necessárias à superação da ordem produtora de violência rumo à emancipação humana. A leitura imanente dos textos matrizados por uma ontologia do ser social possibilita uma análise profícua do complexo social da violência que envolve a dimensão da política e da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hormindo Pereira de Souza Júnior, Universidade Federal de Minas Gerais
Bacharel e licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Educação pela UFMG. Doutor em História e Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Pós-Doutorado em Filosofia Política e Educação pela Universidade Federal Fluminense. Professor Associado da UFMG. Professor do Programa de Pós-Graduação Conhecimento e Inclusão Social em Educação da FAE-UFMG. Desenvolve pesquisas no campo de confluência entre trabalho, política, formação e emancipação humana.
Celeste Deográcias de Souza Bitencourt, Universidade Federal de Minas Gerais
Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação: Conhecimento e Inclusão Social em Educação da FaE/UFMG, na Linha de Pesquisa Política, Trabalho e Formação Humana, bolsa de fomento Capes. Mestre em Políticas Públicas e Formação Humana pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ. Licenciada em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais IGC/UFMG. Realizou Estágio Doutoral no Programa de Pós-graduação da Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Buenos Aires - UBA, sob a supervisão do Professor Dr. Miguel Vedda, com bolsa de fomento Capes; e em 2015 Estágio Docência no curso de Pedagogia da Faculdade de Educação - FAE/UFMG, sob a supervisão do Prof. Dr. Hormindo Pereira de Souza Junior.
Daniel Handan Triginelli, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em História com licenciatura e bacharelado pelo Centro Universitário de Belo Horizonte - UNI-BH. Especialista em História e Culturas Políticas, pelo Departamento de Pós-Graduação de História da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Mestre, com auxílio de bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social da Faculdade de Educação - FAE, da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Doutor, com auxílio de bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social da Faculdade de Educação - FAE, da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, realizou estágio doutoral sanduíche supervisionado pelo Professor Dr. Miguel Vedda na Univerdad de Buenos Aires - UBA.

Referências

Abbagnano, N. (2012). Dicionário de Filosofia. São Paulo: WMF Martins Fontes.

Engels, F. (1979). Anti-Dühring. Rio de Janeiro: Paz e Terra. Foster, J. B.(2013, diciembre).

Marx y la fractura en el metabolismo universal de la naturaleza. Monthly Review, 65(7). Retirado em junho de 2014, de http://www.herramienta.com.ar/herramienta-web-15/marx-y-la-fractura-en-elmetabolismo-universal-de-la-naturaleza.

Lukács, G. (2013). Para uma ontologia do ser sócia II (N. Schneider, I. Tonet, & R. V. Fortes, trads.). São Paulo/SP: Boitempo.

Marx, K. (2004). Manuscritos econômicos filosóficos. São Paulo: Boitempo.

Marx, K. (2013). O Capital: crítica da economia política (Livro I). São Paulo: Boitempo.

Mészáros, I. (2005). A educação para além do capital (I. Tavares, trad.). São Paulo: Boitempo.

Mészáros, I. (2006a). A teoria da alienação em Marx (I.Tavares, trad.). São Paulo: Boitempo.

Mészáros, I. (2006b). Para além do capital: rumo a uma teoria da transição (P. C. Castanheira, & S. Lessa, trads.). São Paulo: Boitempo.

Mészáros, I. (2007). O desafio e fardo do tempo histórico: o socialismo no século XXI. São Paulo: Boitempo.

Mészáros, I. (2011). A crise estrutural do capital (2a ed. rev. e ampliada, F. Cornejo, trad.). São Paulo: Boitempo.

Publicado
2017-05-02
Como Citar
Souza Júnior, H. P. de, Bitencourt, C. D. de S., & Triginelli, D. H. (2017). Educação e violência: uma reflexão a partir da ontologia do ser social. Pro-Posições, 28(1), 103-124. Recuperado de https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8649162
Seção
Artigos