O neoliberalismo como um dos fundamentos da educação domiciliar

Autores

  • Romualdo Luiz Portela de Oliveira Universidade de São Paulo
  • Luciane Muniz Ribeiro Barbosa Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Homeschooling. Neoliberalismo. Educação compulsória.

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar o neoliberalismo como um dos fundamentos da educação domiciliar, fenômeno de interesse crescente no Brasil, dada a tentativa de regulamentá-lo no país. Para tanto, foram tomados como referência três autorizados representantes do neoliberalismo: Friedrich Hayek; Milton Friedman e Ludwig von Mises e a reiterada preocupação destes com as liberdades, sobretudo as individuais. O artigo argumenta que o neoliberalismo se apresenta como uma das correntes teóricas que também dá suporte ao homeschooling, tendo como ponto crucial de sua fundamentação a rejeição da compulsoriedade da educação escolar, o que gera fortes implicações para o debate educacional, principalmente como desafios à escola pública compulsória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Romualdo Luiz Portela de Oliveira, Universidade de São Paulo

Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil. 

Luciane Muniz Ribeiro Barbosa, Universidade Estadual de Campinas

Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil. 

Referências

Arai, B. A. (1999, September). Homeschooling and the Redefinition of Citizenship. Education Policy Analysis Archives, 7(27).

Barbosa, L. M. R. (2012, janeiro/junho). Propostas que visam à legalização do ensino em casa no Brasil. Revista de Direito Educacional, 3(5), 41-58.

Barbosa, L. M. R. (2013). Ensino em casa no Brasil: um desafio à escola? Tese de Doutorado, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Bueno, R. (2012, 2º semestre). A centralidade do argumento neoliberal em Von Mises, Hayek e Firedman: uma via para a crítica política contemporânea. Ciências Sociais Aplicadas em Revista, 12(23), 9-34.

Davies, S., & Aurini, J. (2003, May). Home Schooling and Canadian Educational Politics: rights, pluralism and pedagogical individualism. Evaluation & Research in Education, 17(2&3), 63- 73.

Friedman, M. (1962). Capitalismo e liberdade. Recuperado em 16 de abril de 2016, de http://www.portalconservador.com/livros/Milton-Friedman-Capitalismo-eLiberdade.pdf

Friedman, M. (1968). Decentralizing Schools. Newsweek. Recuperado em 16 de abril de 2016, de http://0055d26.netsolhost.com/friedman/pdfs/newsweek/NW.11.18.1968.pdf

Friedman, M. (1975). Selling school like groceries: the voucher idea. The New York Times Magazine. Recuperado em 16 de abril de 2016, de http://www.edchoice.org/who-weare/our-founders/the-friedmans-on-school-choice/article/selling-school-likegroceries-the-voucher-idea/

Fukuyama, F. (1992). O fim da história e o último homem. Rio de Janeiro: Rocco.

Gaither, M. (2008). Homeschool: An American history. New York, NY: Palgrave Macmillan.

Gaither, M. (2009, November). Homeschooling in the USA: Past, present and future. Theory and Research in Education, 7(3), 331-346.

Hayek, F. (1983). Os fundamentos da liberdade. São Paulo: Visão.

Hayek, F. A. (1985). Direito, legislação e liberdade: uma nova formulação dos princípios liberais de justiça e economia política (Vol.II. A miragem da justiça social). São Paulo: Visão.

Herbert, A. (1978). The right and wrong of compulsion by the state, and other essays. Indianapolis: Liberty Fund.

Laski, H. J. (1973). O liberalismo europeu. São Paulo: Mestre Jou.

Lubienski, C. (2000). Whither the common good? A critique of home schooling. Peabody Journal of Education, 75(1&2), 207-232.

Lubienski, C. (2003). A critical view of home education. Evaluation and Research in Education, 17(2&3), 167-178.

Mises, L. (2010a). Ação humana: um tratado de economia. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises Brasil.

Mises, L. (2010b). Liberalismo: segundo a tradição clássica. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises Brasil.

Moraes, R C. C. (2001). Neoliberalismo: de onde vem, para onde vai¿. São Paulo: Ed. Senac.

Oliveira, R. P. (2007). O direito à educação. In R. P. Oliveira, & T. Adrião (Orgs.), Gestão, financiamento e direito à educação: análise da Constituição Federal e da LDB (3a ed., v.1, pp.15- 41). São Paulo: Xamã.

Paim, A. (1987). Evolução histórica do liberalismo (v. 1). Belo Horizonte: Itatiaia. Reale, M. (1987). Cercitividade e coercibilidade. In M. Reale. Filosofia do Direito (Cap. XLIV, pp. 672- 684). São Paulo: Saraiva.

Reich, R. (2002). Testing the boundaries of parental authority over education: the case of homeschooling. Nomos, 43, 275-313.

Rothbard, M. N. (2013). Educação: livre e obrigatória. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises, Brasil.

Thoreau, H. D. (1849). Desobediência civil. Recuperado em 14 de abril de 2016, de .

Tomasevski, K. (2001). Free and compulsory education for all children: the gap between promise and performance (Right to Education Primers, n.2). Lund and Stockholm Sweden: Raoul Wallenberg Institute and Swedish Internacional Development Cooperation Agency.

Vieira, A. O. P. (2012). “Escola? Não, obrigado”: um retrato da homeschooling no Brasil. Monografia de Graduação, Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Brasília.

Downloads

Publicado

2017-09-11

Como Citar

OLIVEIRA, R. L. P. de; BARBOSA, L. M. R. O neoliberalismo como um dos fundamentos da educação domiciliar. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 28, n. 2, p. 193–212, 2017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8650334. Acesso em: 1 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)