Banner Portal
O futuro professor como sujeito em formação
REMOTO
REMOTO (English)

Palavras-chave

Formação de professores que ensinam matemática
Educação matemática
Atividade de ensino

Como Citar

POZEBON, Simone; LOPES, Anemari Roesler Luersen Vieira. O futuro professor como sujeito em formação: reflexões sobre a significação da atividade de ensino. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 32, p. e20190056, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668334. Acesso em: 16 abr. 2024.

Resumo

Este artigo, que parte de uma pesquisa de doutorado voltada à formação de professores que ensinam matemática, intenciona analisar como futuros professores se percebem como sujeitos que se encontram em formação, no movimento de significação da atividade docente. Fundamentados na Teoria Histórico-Cultural, apresentamos a organização de um experimento formativo com acadêmicos de Licenciatura em Matemática. A análise dos dados da pesquisa, através dos três episódios elencados, possibilitou evidenciar alguns aspectos, como as mudanças dos motivos para tornarem-se professores de matemática; a compreensão da formação docente como um processo contínuo; e as mudanças de qualidade da atividade de ensino, que permitiram aos futuros professores se perceberem como sujeitos que se encontram em formação.

REMOTO
REMOTO (English)

Referências

Borowsky, H. G. (2017). Formação docente no Clube de Matemática: O projeto orientador de atividade [Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Maria].

Dias, M. S., & Souza, N. M. M. (2017). A atividade de formação do professor na licenciatura e na docência. In M. O. Moura (Org.), Educação escolar e pesquisa na teoria histórico-cultural (pp. 183-210). Loyola.

Fiorentini, D., Nacarato, A. M., Ferreira, A. C., Lopes, C. A. E., Freitas, M. T. M., & Miskulin, R. G. S. (2002). Formação de professores que ensinam matemática: Um balanço de 25 anos da pesquisa brasileira. Educação em Revista, (36), 137-160.

Fraga, L. P. (2017). A organização do ensino como desencadeadora da atividade de iniciação à docência: um estudo no âmbito do PIBID-Interdisciplinar Educação Matemática [Tese de doutorado, Universidade Federal de Santa Maria]. Repositório UFSM. https://repositorio.ufsm.br/handle/1/14117

Gatti, B. (2010). Formação de professores no Brasil: Características e problemas. Educação e Sociedade, 31 (113), 1355-1379.

Leontiev, A. N. (1978). O desenvolvimento do psiquismo Horizonte Universitário.

Leontiev, A. N. (1983). Actividad, conciencia, personalidad Pueblo y Educación.

Libâneo, J. C. (2004). A aprendizagem escolar e a formação de professores na perspectiva da psicologia histórico-cultural e da teoria da atividade. Educar, (24), 113-147.

Libâneo, J. C. (2007). Experimento didático como procedimento de investigação em sala de aula [texto não publicado]. Pontifícia Universidade Católica de Goiás.

Libâneo, J. C. (2014). A integração entre o conhecimento disciplinar e o conhecimento pedagógico na formação de professores e a contribuição da teoria do ensino de Vasili Davidov. In J. C. Libâneo, Adeus professor, adeus professora (pp. 50-70). Cortez.

Lopes, A. R. L. V. (2009). Aprendizagem da docência em matemática: O Clube de Matemática como espaço de formação inicial de professores Ed. Universidade de Passo Fundo.

Lopes, A. R. L. V. (2018). Processos formativos e a aprendizagem da docência: alguns princípios orientadores. In M. T. C. Trevisol, N. Feldkercher, & D. P. Pensin (Orgs.), Diálogos sobre formação docente e práticas de ensino (pp. 107-134). Mercado de Letras.

Lopes, A. R. L. V., Paiva, M. A. V., Pereira, P. S., Pozebon, S., & Cedro, W. L. (2017). Estágio curricular supervisionado nas licenciaturas em matemática: reflexões sobre as pesquisas brasileiras. Zetetiké, 25(1), 75-93.

Martins, L. M. (2007). A formação social da personalidade do professor: Um enfoque vigotskiano Autores Associados.

Moretti, V. D. (2007). Professores de matemática em atividade de ensino: Uma perspectiva histórico-cultural para a formação docente [Tese de doutorado, Universidade de São Paulo]. Biblioteca Digital USP. https://doi.org/10.11606/T.48.2007.tde-05102007-153534

Moura, M. O. (1996). A atividade de ensino como unidade formadora. Bolema, 2(12), 29-43.

Moura, M. O. (2004). Pesquisa colaborativa: Um foco na ação formadora. In R. L. L. Barbosa (Org.), Trajetórias e perspectivas da formação de educadores (pp. 257-284). Editora Unesp.

Pimenta, S. G., & Lima, M. S. L. (2012). Estágio e docência Cortez.

Saviani, D. (2000). Pedagogia histórico-crítica: Primeiras aproximações Autores Associados.

Vigotski, L. S. (2000). A construção do pensamento e da linguagem Martins Fontes.

Vigotski, L. S. (2001). Uma contribuição à teoria de desenvolvimento da psique infantil. In L. S. Vigotski, A. R. Luria, & A. N. Leontiev, Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem Ícone.

Vigotski, L. S. (2003). Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem Ícone.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Simone Pozebon, Anemari Roesler Luersen Vieira Lopes

Downloads

Não há dados estatísticos.