Banner Portal
A formação de professores nos institutos federais e a aprendizagem da docência na prática como componente curricular
REMOTO
REMOTO (English)

Palavras-chave

Formação inicial de professores
Prática curricular
Inserção à docência
Estágio

Como Citar

PANIAGO, Rosenilde Nogueira; NUNES, Patrícia Gouvêa; SARMENTO, Teresa Jacinto; SILVA, José Luis Coelho da. A formação de professores nos institutos federais e a aprendizagem da docência na prática como componente curricular. Pro-Posições, Campinas, SP, v. 32, p. e20190011, 2021. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/proposic/article/view/8668336. Acesso em: 16 abr. 2024.

Resumo

Este artigo trata de uma investigação que está sendo realizada no contexto de um Instituto Federal de Educação, cujo objetivo é identificar como ocorre a iniciação à docência nas disciplinas que oferecem a prática como componente curricular (PCC). Neste recorte, será focalizado como se dá o atual modelo de trabalho com as PCC e serão sinalizados alguns caminhos para a articulação destas com a escola de educação básica. Utilizou-se, como metodologia, a análise de documentos e a recolha de narrativas com licenciandos dos cursos de Química e de Ciências Biológicas. Os resultados iniciais apontaram que as PCC cumprem o disposto na legislação brasileira em relação à carga horária, verificando-se que várias práticas de inserção à docência estão ocorrendo, tais como a construção de modelos, experimentos, jogos e aplicação de aulas práticas. Entretanto, identificam-se fragilidades, sobretudo, no nível da sobrevalorização da formação dos conhecimentos específicos, em detrimento da formação pedagógica para a docência.

REMOTO
REMOTO (English)

Referências

Arantes, F. J. F. (2013). Formação de professores nas licenciaturas do IF Campo: Políticas, currículos e docentes [Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Goiás]. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFG. Disponível em: https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3397

Bardin, L. (2013). Análise de conteúdo (5a ed.). Edições 70.

Bogdan, R., & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação: Uma introdução à teoria e aos métodos Porto Editora.

Canário, R. (2001). A prática profissional na formação de professores. In B. P. Campos (Org.), Formação profissional de professores no ensino superior (pp. 31-45). Porto Editora.

Clandinin, D. J., & Connelly, F. M. (2011). Pesquisa narrativa: Experiência e história em pesquisa qualitativa (Grupo de pesquisa narrativa e educação de professores ILEEI/UFU, Trad.). Edufu.

Conselho Nacional de Educação. (2002, 18 de janeiro). Parecer CNE/CP n. 28, de 2 de outubro de 2001. Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, seção 1, 31.

Conselho Nacional de Educação. (2002, 18 de janeiro). Parecer CNE/CP n. 8, de 8 de maio de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, seção 1, 31.

Conselho Nacional de Educação. (2005, 13 de maio). Parecer CNE/CES n. 15, de 2 de fevereiro de 2005. Solicitação de esclarecimento sobre as Resoluções CNE/CP n. 1/2002, que institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, e 2/2002, que institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior. Diário Oficial da União

Conselho Nacional de Educação. (2002, 4 de março). Resolução CNE/CP nº 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Diário Oficial da União, seção 1, 8.

Conselho Nacional de Educação. (2015, 2 de julho). Resolução CNE/CP nº 2, de 1 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior e para a formação continuada. Diário Oficial da União, seção 1, 8-12.

Gatti, B. A. (2010). Formação de professores no Brasil: Características e problemas. Educação e Sociedade, 31(113), 1355-1379.

Gatti, B. A. (2013). Educação, escola e formação de professores: Políticas e impasses. Educar em Revista, (50), 51-67.

Gatti, B. A., Barretto, E. S. S., & André, M. (2011). Políticas docentes no Brasil: Um estado da arte Unesco.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano. (2010). Projeto pedagógico curso de licenciatura em química. Campus Rio Verde. Disponível em: https://www.ifgoiano.edu.br/home/images/RV/CURSOS_SUPERIORES/LICENCIATURA_QUIMICA/Projeto_do_Curso_de_Qumica.pdf

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano. (2013). Projeto pedagógico do curso de licenciatura em ciências biológicas Campus Rio Verde. Disponível em: https://www.ifgoiano.edu.br/home/images/RV/Diretoria_de_Ensino/PPC_LIC.Ci.Biologicas-2013.pdf

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano. (2018). Ementas do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas Campus Rio Verde. Disponível em: https://www.ifgoiano.edu.br/home/images/RV/2019/fevereiro/Ementas-2018-Lic.-Cincias-Biolgicas.pdf

Lamb, M. E., Welter, G. H., & Marchezan A. (2014). A formação de professores e os currículos das licenciaturas dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia [Artigo apresentado]. 10º ANPED Sul, Florianópolis, SC, Brasil.

Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. (1996, 23 de dezembro). Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Lei n. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. (2008, 30 de dezembro). Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11892.htm

Lima, F. B. (2013). A formação de professores nos institutos federais: Perfil da oferta. Revista EIXO, 2(1), 83-105.

Machado, L. R. S. (2008). Diferenciais inovadores na formação de professores para a Educação Profissional. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, 1(1), 8-22.

Mizukami, M. G. (2013). Escola e desenvolvimento profissional da docência. In B. A. Gatti, C. A. Silva Junior, M. D. S. Pagotto, & M. G. Nicoletti (Org.), Por uma política nacional de formação de professores (pp. 23-54). Editora Unesp.

Moura, H. D. (2008). A formação de docentes para a educação profissional e tecnológica. Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, 1(1), 23-38.

Paniago, R. N. (2017). Os professores, seu saber e o seu fazer: Elementos para uma reflexão sobre a prática docente Appris.

Pimenta, S. G, & Lima, M. S. L. (2017). Estágio e docência (8. ed.). Cortez.

Pimenta, S. G, & Anastasiou, L. G. C. (2014). Docência no ensino superior (5a ed.). Cortez.

Souza, E. C., & Oliveira, R. C. M. (2013). Entre fios e teias de formação: Escolarização, profissão e trabalho docente em escola rural. In P. P. Vicentini, E. C. Souza, M. C. Passegui (Orgs.), Pesquisa (auto)biográfica: Questões de ensino e formação CRV.

Souza Neto, S., & Silva, V. P. (2014). Prática como componente curricular: Questões e reflexões. Revista Diálogo Educacional, 14(43), 889-909.

Shulman, L. (1987). Knowledge and teaching: Foundations of the new reform. Harvard Educational Review, 57(1), 1-22.

Sarmento, T. (2009). Contextos de vida e aprendizagem da profissão. In J. Formosinho (Org.), Sistemas de formação de professores: Saberes docentes, aprendizagem profissional e acção docente (pp. 303-328). Porto Editora.

Tardif, M. (2013). Saberes docentes e formação profissional (15a ed.). Vozes.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Rosenilde Nogueira Paniago, Patrícia Gouvêa Nunes, Teresa Jacinto Sarmento, José Luis Coelho da Silva

Downloads

Não há dados estatísticos.